7 dados fascinantes sobre os sonhos – A mente e maravilhosa

7 dados fascinantes sobre os sonhos

julho 17, 2015 em Psicologia 1 Compartilhados
sonhos

Fechar os olhos e, simplesmente, nos deixar levar pelas águas do onírico. Ali onde fica um velho navio que, dia após dia, nos conduz a um mundo do qual quase nunca nos lembramos com total clareza. As lembranças se misturam com fantasias aparentemente sem sentido, cenas carregadas de simbolismos que são difíceis de compreender. Sigmund Freud dizia que se as pessoas se comportassem do mesmo modo que fazemos nos sonhos, seríamos tidos como uns loucos desequilibrados.

Entretanto, gênios como Dalí faziam dos seus sonhos um modo de vida. As emoções se misturam com imagens surrealistas, os medos têm máscaras e os desejos falam com voz própria nos bosques sinuosos.

Caímos no vácuo, aparecem amores de infância, corremos aterrorizados, e, às vezes, inclusive, durante um instante, podemos tocar com os dedos o iceberg dos nossos anseios mais profundos. Não podemos negar: o mundo dos sonhos é fascinante. Continue lendo se quiser conhecer algumas informações interessantes sobre eles.

1. Nunca inventamos rostos

Você pode sonhar que tem a capacidade de voar, que viaja por países nos quais nunca esteve e, inclusive, que fala idiomas que não estudou, mas nunca verá um rosto desconhecido por você. É possível que não se lembre, mas os rostos que aparecem em nossos sonhos correspondem a pessoas que ou vimos durante um momento, ou que conhecemos com alguma profundidade. O cérebro não inventa pessoas para os seus sonhos.

2. Colorido ou preto e branco?

Já se perguntou alguma vez de que cor são os seus sonhos? Coloridos ou com um romântico tom preto e branco, no estilo dos filmes de Bogart? É curioso, mas segundo a American Psychological Association, o mundo da televisão determina de um modo muito intenso a cor dos nossos sonhos. Você acha estranho? Ai vai um dado: antes de a televisão chegar em nossas casas, os estudos indicavam aos cientistas que as pessoas costumavam sonhar colorido. Entretanto, com a chegada dos primeiros televisores em preto e branco, a tonalidade dos sonhos mudou. Mais adiante, quando a modernidade alcançou os televisores e o cinema com o fabuloso tecnicolor, as pessoas voltaram a sonhar com toda a tonalidade de cores. Hoje em dia, segundo dizem os estudos, somente 12% da população sonha preto e branco.

3. As emoções

Outro dado a ser levado em consideração. Quase 70% dos nossos sonhos costumam ter uma emoção negativa. Isso se explica pelas situações de estresse, de ansiedade, irregularidades pessoais, medos, temores… os sonhos são um palco catártico onde se reflete o nosso complexo mundo emocional.

4. Esquecemos quase tudo que sonhamos

Com certeza lhe ocorreu alguma vez. Estar sonhando, acordar e lembrar de cada detalhe do sonho. Mas logo volta a dormir e, quando levanta pela manhã, só se lembra de alguns fragmentos isolados desse sonho. Pode ser que fiquem as sensações, se era agradável ou não, alguma imagem isolada, algum rosto… mas quase nunca um fio perfeito de cada sequência.

5. Todos nós sonhamos

Pessoas e animais. Absolutamente todos sonhamos. Mas, é verdade, os golfinhos por exemplo dormem com somente uma metade do cérebro, ou seja, mantêm sempre um hemisfério em modo consciente. Sabe por quê? Esses animais fantásticos dispões de uma particularidade de fio duplo, sua respiração não é um ato reflexo como no resto dos seres vivos, e sim voluntário. Isso implica em manter um lado do seu cérebro acordado quando querem descansar, para manter a respiração em todos os momentos e evitar a morte, enquanto o outro hemisfério cai no mundo onírico para dormir. Simplesmente assombroso.

As pessoas cegas também sonham. Mesmo tendo uma cegueira congênita ou adquirida ao longo da vida.

6. Simbologia

Os sonhos significam coisas. Sempre. Todo palco, ato, movimento ou comportamento, tem uma explicação que tem a ver com nossas emoções. Sonhar que somos perseguidos ou que caímos em um vazio tem muito a ver, por exemplo, com situações de estresse, com questões da vida diária que nos preocupam, das quais não é impossível fugir. Os sonhos são uma complexa obra pictórica.

7. A vida é sonho

Essa romântica expressão tem o seu próprio sentido. As pessoas passam pelo menos um terço da vida dormindo. Como isso se traduz? Simplesmente em 70 primaveras, ou quase 20 anos em estado onírico, nada mais e nada menos. Talvez você se surpreenda e diga a você mesmo que é um desperdício passar um terço da vida como uma Branca de Neve, que perde a vida na inquietude mais absoluta. Mas não é assim. Dormir é tão necessário quanto respirar ou comer. É parte indispensável da nossa natureza e essencial para a nossa saúde física e emocional.

A lástima é que, segundo os especialistas, teremos em todo esse tempo uns 130.000 sonhos, dos quais, como já sabe, lembraremos cerca de 10%. Ao menos temos que agradecer por não ter que dormir como os golfinhos…

Recomendados para você