7 técnicas psicológicas que podem nos ajudar a perder peso

7 técnicas psicológicas que ajudam a perder peso

junho 12, 2017 em Psicologia 0 Compartilhados
7 técnicas psicológicas que podem nos ajudar a perder peso

Perder peso é motivo de preocupação para uma infinidade de pessoas. Nossa sociedade se encarregou de endeusar a aparência física e convertê-la em um valor pessoal quando, na realidade, não é, já que não podemos demonstrar que ninguém seja superior ou inferior a ninguém pelo simples fato de ter um físico mais ou menos “bonito”.

Esta preocupação constante para se encaixar nos padrões estabelecidos e, assim, ganhar a aceitação de nosso entorno, é em parte a responsável por diversos transtornos psicológicos que giram em torno de uma aparência ideal, como a anorexia e a bulimia.

No entanto, existe um “porém”. Embora idealizar o físico e a silhueta e ficar obcecado pelo peso não seja o caminho, abandonar o corpo e deixar de se cuidar também não é a melhor opção.
Compartilhar

O sobrepeso quase sempre esconde um problema emocional, e é nestes casos que a comida pretende ser o curativo que tampe momentaneamente os problemas que não sabemos gerenciar de outra forma. Por isso, é necessário integrar técnicas cognitivas, emocionais e comportamentais que nos ajudem a controlar a nós mesmos.

Esqueça os métodos milagrosos que quase sempre são restritivos, pois você só conseguirá gastar dinheiro e se desmotivar ao perceber que não obtém resultados, ou que está fazendo mal à sua saúde.

A única via que existe para perder peso é seguir uma dieta individualizada e elaborada por um profissional, complementada por uma boa rotina de exercícios físicos. O mais simples, no entanto, também é o mais complicado. Quer saber como conseguir? A verdade é que ao seguirmos este caminho, a psicologia pode nos ajudar.

mulher-correndo

Perder peso com a ajuda da psicologia

A psicologia é uma disciplina que pode nos oferecer diversas técnicas encaminhadas a conseguir um maior controle de nossos impulsos. O sobrepeso, muitas vezes, é consequência de uma forma de agir impulsiva que nos leva a atacar a despensa, ou da ausência de uma organização adequada que nos permita fazer exercícios com frequência.

Além disso, ao vermos que nosso peso aumentou o normal é que nossa moral fique ressentida, e nos abandonamos ainda mais à nossa própria sorte, a nossos impulsos.

Para quebrar este círculo, o primeiro passo é estar preparado para a ação. Ou seja, ter claro o que você quer mudar e estar disposto a usar todas as suas energias para conseguir. Não será fácil, nem rápido, mas você se sentirá enormemente realizado quando chegar ao seu objetivo.

Pratos menores

Muitas vezes comemos e comemos até acabar o prato simplesmente porque ele está cheio, mas talvez nem estivéssemos com fome. Parece óbvio, mas se você quer perder peso, é preciso afastar os pratos enormes que você mantém na cozinha e comprar pratos menores. Desta forma, você só poderá servir a quantidade de comida que se adequar ao recipiente.

Você pode repetir depois. No entanto, o fato de ter que ir até a cozinha, voltar a servir-se e comer um segundo prato fará com que você pense muito mais antes de fazê-lo.

Ir ao mercado de estômago cheio

Se você vai ao mercado e faz compras com fome, é muito provável que acabe comprando comidas hipercalóricas, como bolos, chocolates, doces industrializados, etc. É melhor fazer compras logo depois de comer e estando saciado, para que seja nosso cérebro, e não nosso estômago, o que nos guie. Da mesma forma, se pudermos evitar ter em casa estes tipos de alimentos pouco saudáveis, será muito mais fácil não cair em tentação.

fazer-compras-supermercado

Nada de dietas hipocalóricas

Embora não seja recomendado adquirir alimentos hipercalóricos, também não é uma boa ideia manter uma dieta pobre em calorias que te deixe com fome. Se você não ficar saciado após as refeições, é muito provável que caia na compulsão, e mais provável ainda que esta compulsão o leve a comer alimentos hipercalóricos. Portanto, coma de maneira saudável, mas não fique com fome.

Tolerância das emoções

A comida muitas vezes é uma forma de encobrir nossas emoções negativas. Elas são um reforço negativo e positivo, o que faz com que cada vez que nos sentimos mal, recorramos à geladeira ou à despensa. Desta forma, a emoção descende e nos sentimos melhor.

O problema é que esta melhoria só dura um momento, para depois levar à culpa. Portanto, é preciso aprender a tolerar as emoções, a abraçá-las como parte de nós mesmos, e não tentar fugir delas passando-as ao estômago e digerindo-as com culpa.

Fazer seis refeições diárias

A ideia é não ficar com fome e exagerar para compensar. Assim como não é recomendável fazer uma dieta hipocalórica, também não é ideal comer poucas vezes ao dia, já que podemos cair no hábito de beliscar o dia todo. É melhor fazer seis refeições bem estabelecidas de maneira que não fiquem buracos nos quais possa chegar a fome e apareçam as tentações.

Não há alimentos proibidos

Tudo que é proibido acaba se convertendo em desejável, por isso não devemos cortar nenhum alimento por completo. Isso não significa que tenhamos carta branca para comê-lo sempre que quisermos, mas podemos nos permitir ingeri-lo pelo menos uma vez por semana. Desta maneira, mataremos a vontade e ele não será mais tão apetecível.

Pensamentos racionais sobre a comida

Muitos dos alimentos de que nosso paladar e nosso cérebro mais gostam são os menos saudáveis. Uma boa estratégia é manter com nós mesmos um diálogo interior racional sobre os alimentos que selecionamos para o consumo.

mulher-pensando-em-comida

Por exemplo, se você quer comer um sanduíche com alguma carne embutida, pode mandar ao seu cérebro a mensagem de que este é um alimento pouco saudável, feito de restos de carne de má qualidade, misturados com açúcar, que só irão proporcionar um prazer momentâneo. Você continua tendo vontade de comê-lo?

Junto a estas estratégias, nunca deve faltar uma hora de exercício físico diário, uma boa hidratação, um círculo social de qualidade, e força para enfrentar os problemas, buscando soluções funcionais. Se formos capazes de integrar estas técnicas em nosso dia a dia, antes do que imaginamos o que hoje parece muito difícil acabará se transformando em um hábito, e você poderá perder peso de forma saudável e mantê-lo longe.

Recomendados para você