A ditadura dos likes

dezembro 22, 2018

As redes sociais chegaram para ficar. Essa nova forma de comunicação revolucionou por completo a maneira como entendemos o mundo. Na verdade, em alguns aspectos, obtivemos grandes vantagens em relação a épocas passadas. No entanto, para algumas pessoas isso teve um preço alto: o começo da ditadura dos likes.

Hoje em dia, estamos mais dependentes do que nunca da ideia de que se importem conosco. Com o auge de redes sociais como o Instagram ou o Facebook, parece que se não temos centenas de seguidores, ninguém nos valoriza. Isso gera um intenso mal-estar emocional em grande parte da população.

Por isso, neste artigo, vamos falar sobre os efeitos negativos dessa ditadura dos likes. No entanto, antes temos que compreender por que as redes sociais são capazes de gerar tanta dependência.

Por que as redes sociais são tão viciantes

Os seres humanos são animais completamente sociais. Um de nossos instintos básicos é a busca pela aceitação. Segundo a psicologia evolucionista, nossos antepassados precisavam do seu grupo para sobreviver. Por isso, aqueles que não prestavam atenção ao efeito que causavam nos demais morriam sem deixar descendência.

A ditadura dos likes

Devido a isso, nós viemos dos outros: dos que dependiam constantemente do que o resto pensava deles. Assim, herdamos o instinto de tentar agradar aos demais. Em épocas passadas, isso se traduzia em ter boa relação com os vizinhos ou os amigos próximos. No entanto, hoje em dia, as redes sociais mudaram o paradigma por completo.

Agora, foi instaurada uma espécie de competição para ver quem é mais popular no Facebook ou no Instagram. A ditadura dos likes que essas plataformas geraram nos faz ficar obcecados com parecer melhores do que os demais. Assim, nos comparamos com o resto, nos sentindo péssimos se a vida dos outros parece mais atraente.

Alguns estudos mostram que grande parte da população jovem é viciada nas redes sociais. Em parte, isso se deve ao fato de que receber um like em uma foto ativa os mesmos mecanismos de recompensa cerebral que dar um beijo em alguém que nos importa ou escutar um elogio.

A ditadura dos likes gera novos transtornos

Devido a essa semelhança entre a atenção online e a real, nosso cérebro não é capaz de diferenciá-las em alguns aspectos. No entanto, o maior problema com a dependência à validação proveniente da Internet é que todo mundo parece ser mais atraente do que nós.

Por sua própria natureza, a rede nos permite ver as pessoas mais notáveis do mundo. Podem ser as mais atraentes, mais diferentes, mais populares… Mas em geral, quando alguém conquista uma grande fama na Internet, é porque se trata de uma pessoa excepcional em algum sentido.

O problema é que, ao observar nosso perfil do Facebook ou do Instagram, estamos nos comparando com essas pessoas que estão muito acima da média. Nossa vida, por contraste, parece acinzentada e entediante. Temos a sensação de que precisamos viver experiências incríveis a toda hora para estar à altura.

Assim, surgem grandes quantidades de vícios e problemas. Por exemplo, muitas pessoas sofrem o famoso FOMO (fear of missing out ou, em português, medo de ficar por fora). Essa distorção cognitiva nos leva a pensar que todos os demais têm vidas mais interessantes que as nossas.

Outras pessoas, em contrapartida, ficam obcecadas em demonstrar ao mundo que são as melhores. Assim, estão constantemente preocupadas em postar fotos da sua última viagem, de uma saída espetacular com os amigos ou do novo hobby tão divertido que estão praticando. Tudo isso sem serem capazes de aproveitar realmente essas situações.

Menina nas redes sociais

Como superar esses problemas?

Infelizmente, um grande número de pessoas caiu nas garras da ditadura dos likes. No entanto, essa tendência tão prejudicial pode ser revertida. Para isso, você só tem que seguir estes passos:

  • Aceitar que a vida dos outros não é realmente como aparece nas redes sociais. Todos tentamos colocar apenas as melhores situações da vida na Internet. No entanto, a verdade é que a maior parte do tempo é gasta em tarefas cotidianas, iguais para todo mundo.
  • Desconectar-se das redes. Passar muito tempo na Internet pode piorar os sintomas do vício. Por isso, reserve um momento todos os dias para ficar longe do celular, do computador e de outros aparelhos eletrônicos.
  • Buscar fontes de validação interna. Em muitas situações, queremos que os outros nos digam como somos legais porque não nos sentimos bem com nós mesmos. Por isso, se você conseguir melhorar sua autoestima, muitos dos problemas da ditadura dos likes vão simplesmente desaparecer.

Certamente, o caminho para ser independente das redes sociais é longo e estará cheio de desafios. No entanto, recuperar sua autoconfiança é uma das melhores ações que você pode empreender por si mesmo.