A lenda de Ulisses, um herói engenhoso

maio 21, 2020
A lenda de Ulisses é uma das mais ricas e interessantes da mitologia grega. Este personagem foi caracterizado pela sua inteligência, astúcia e amor pela sua terra natal. Representa o exilado que anseia pela volta ao lar.

A lenda de Ulisses (também conhecido como Odisseu), fala sobre o mais humano dos heróis gregos, famoso pela sua inteligência e protagonista da famosa Odisseia de Homero. Ele passou por inúmeras aventuras e sempre foi admirado pela sua astúcia; nasceu quando a sua mãe foi surpreendida por uma chuva na estrada. A palavra “Odisseu” significa “Zeus choveu pelo caminho”.

Ele nasceu em Ítaca e se tornou seu rei. Dizem que era um discípulo do centauro Quíron. Desde muito jovem, viveu uma série de aventuras. No entanto, a lenda de Ulisses tornou-se conhecida após a Guerra de Troia, na qual ele foi o protagonista. Quando a guerra começou, ele já era casado com Penélope e tinha um filho, Telêmaco.

Para evitar a obrigação de ir à guerra, ele fingiu estar louco, mas a sua farsa foi descoberta e ele foi forçado a partir. A lenda de Ulisses conta que, primeiro, ele acompanhou o instigador da guerra, chamado Menelau, para conseguir um acordo pacífico. Como não obteve sucesso, participou ativamente dos preparativos para a luta.

Ulisses viveu muitas aventuras durante a guerra e sempre se destacou pela sua capacidade de lidar com qualquer situação. Foi ele quem inventou a armadilha famosa do “cavalo de Troia”, que levou seu exército à vitória. No entanto, a lenda de Ulisses se torna muito mais interessante durante o retorno para sua terra natal, Ítaca, depois de vencer a guerra de Troia.

“Nenhum homem ou mulher, nascido covarde ou corajoso, pode evitar o seu destino”.
– Homero –

O cavalo de Troia

O retorno a Ítaca na lenda de Ulisses

Um dos destaques da lenda de Ulisses é o acúmulo de dificuldades que ele precisou enfrentar para retornar à sua terra natal. Foram necessários dez anos na guerra e outros dez para retornar a Ítaca.

Muitos pensam que Ulisses é o mito do exílio, porque viveu a experiência de estar longe de seu local de nascimento e entes queridos, juntamente com a dificuldade para retornar.

Pouco depois de iniciar a viagem de volta, Ulisses teve um confronto na ilha dos Cícones, do qual ele não escapou muito bem. O vento começou a soprar forte e o desviou de sua rota para Ítaca, de modo que chegou à ilha dos lotófagos, assim chamada porque seus habitantes só comiam flores de lótus.

Esse alimento os levou a esquecer o passado e a viver sempre felizes e em paz. Os companheiros de Ulisses comeram e esqueceram tudo. Ele teve que levá-los à força para o navio, até que o efeito passasse. Então, eles chegaram à ilha dos Cíclopes, seres com um olho só. Lá, ele teve que enfrentar um gigante, filho de Poseidon. Ele o derrotou deixando-o cego e o enganou; por isso, o monstro clamou por vingança.

Novas aventuras para Ulisses

Segundo a lenda de Ulisses, ele continuou a navegar com seus homens e, assim, chegou à ilha do rei dos ventos, Eolo. Este guardou todos os ventos em um odre e presenteou o herói para que ele pudesse retornar a Ítaca. Eles já estavam perto da terra natal quando os marinheiros abriram o odre, pensando que ele continha um tesouro. Então, teve início uma grande tempestade que os afastou do destino desejado.

Mais tarde, grande parte da tripulação de Ulisses pereceu em uma ilha de canibais gigantes. Então, eles encontraram a ilha Eea, onde lamentaram as suas desventuras. Ali vivia a bela feiticeira Circe, que transformou parte da tripulação em porcos. Ulisses, com a ajuda de Hermes, conseguiu resgatá-los e conquistou o respeito da bruxa, que os alojou durante um ano e os instruiu para refazerem a sua travessia.

Seguindo os conselhos de Circe, Ulisses e seus homens conseguiram resistir às sereias, rochas erráticas e aos monstros chamados Scylla e Carybdis. Eles foram punidos por comerem o gado sagrado de deus Sol e Ulisses ficou sozinho e sem embarcação. Assim, ele chegou à ilha onde morava a bela Calipso.

Sereia no mar

O regresso a Ítaca

Calipso acolheu Ulisses, o confortou e cuidou dele até ele se recuperar de todos os seus males. A ilha desta deusa era um paraíso, mas o herói sonhava em voltar para casa, para sua esposa e filho. No entanto, devido à vingança de Poseidon pelo que Ulisses havia feito ao seu filho, ele passou oito anos nessa ilha.

A deusa Atena, que tinha o herói em alta consideração, falou com os outros deuses para que Calipso o deixasse ir, pois ele chorava todas as tardes com saudades de sua casa. Embora Calipso tentasse resistir, ela foi ameaçada com um castigo pelos outros deuses e deixou o seu hóspede partir. Poseidon continuou a puni-lo com furacões e tempestades, mas Atena novamente o ajudou e, assim, ele chegou à ilha dos feácios.

O rei de Feácia, graças à intervenção da princesa, finalmente providenciou tudo para Ulisses voltar para casa. Ele lhe deu um navio e uma tripulação que levaram o herói para Ítaca. Finalmente, com a ajuda de seu filho Telêmaco, Ulisses reencontrou a sua amada Penélope, que o esperava há 20 anos, mantendo-se fiel ao seu amor.

Castillo Didier, M. (2003). El mito de Odiseo. Atenea (Concepción), (487), 11-23.