A moral dos super-heróis

fevereiro 28, 2019

É inegável que eles estão na moda, mas hoje queremos propor uma interessante reflexão sobre a moral dos super-heróis.

Atualmente há uma grande quantidade de filmes dedicados às suas aventuras. Desde os clássicos do Super-Homem e Batman, passando pelos filmes que levam alguns super-heróis pela primeira vez às telonas, como a Mulher-Maravilha, até os filmes que juntam vários super-heróis, como Os Vingadores. A questão aqui é que os super-heróis são atrativos. Embora cada um de nós tenha a sua preferência, há sempre um super-herói que combina conosco de alguma maneira.

A pergunta é: por que eles são tão atrativos? Uma das respostas possíveis é a moral dos super-heróis. Os super-heróis estão acima do bem e do mal. Os super-heróis que são bons vão fazer todo o possível para defender o bem, enquanto os maus vão querer que o mal prevaleça.

Mulher-Maravilha

O que é a moral?

Todos nós temos a nossa moral, temos uma ideia relativa do que é certo e do que é errado. No entanto, o fato de todos nós termos moral não significa que ela seja igual para todos. 

A busca de uma moral universal tem dado muitas dores de cabeça a diversos filósofos e pensadores. O problema é que a nossa moral vai guiar os nossos pensamentos e os nossos comportamentos. Por isso, vamos acabar por julgar como “más” as pessoas que pensam e atuam de maneira oposta às nossas crenças morais.

Podemos dizer que a moral é um conjunto de valores e crenças. Ou seja, na nossa vida cotidiana vamos nos ajustando a várias regras que consideramos adequadas para conviver com os outros. 

Quando essas crenças assumem uma grande importância para nós, diz-se que temos uma forte convicção moral, e por isso a moral vai ter um impacto mais incisivo em nossa vida. Assim, quando a moral se torna mais forte, vamos sentir uma obrigação moral. Isto significa que vamos estar motivados a agir em defesa daquilo que consideramos estar certo.

“Não posso salvar todo o mundo porque não sou Deus, mas posso tentar porque sou o Super-Homem”.
-Super-Homem-

A moral dos super-heróis

Como é a moral de um super-herói? Vamos pensar, por exemplo, no Batman. Apesar de ser um super-herói um pouco sombrio e com um passado problemático, ele se sacrificaria para salvar qualquer pessoa. Ele inclusive se recusa a matar alguém, prefere castigar os maus usando a violência somente quando é necessário. 

É possível encontrar uma moral semelhante no Super-Homem, um extraterrestre com superpoderes que está sempre do lado da justiça e que usa os seus poderes somente quando é necessário lutar contra o mal.

Poderíamos continuar com uma enorme lista de super-heróis, como a Mulher-Maravilha, Pantera Negra, Thor, Homem-Aranha, Capitão América, Mulher Invisível, entre outros. Todos eles, cada um com as suas peculiaridades, têm o objetivo comum de lutar pela justiça. Mesmo que tenham que sacrificar outras coisas, estão dispostos a sacrificar a vida para acabar com os vilões. 

Sua “obrigação moral” é tão forte que, sempre que sentem que alguém não cumpre com os seus princípios morais, se sentem obrigados a fazer algo.

Outra situação curiosa é quando eles têm que decidir entre salvar muitas pessoas ou apenas uma. Normalmente, nessas situações essa única pessoa é alguém próximo do super-herói. Essa decisão entre salvar alguém próximo ou salvar muita gente cria uma forte dissonânciaA solução que acabam por encontrar é arriscar a vida para não ter que tomar essa decisão, ou seja, tentam salvar todos sem exceção.

“Se você puder fazer coisas boas para outras pessoas, tem a obrigação moral de fazer essas coisas”.
-Homem-Aranha-

Thor e seu martelo

A moral no nosso dia a dia

O que nós faríamos nessas situações? Se tivéssemos que escolher entre salvar vários desconhecidos ou alguém conhecido, a resposta seria a pessoa conhecida. Ainda que esses outros fossem muita gente, o mais provável é que optássemos por salvar as pessoas mais próximas. 

Isso acontece porque a nossa moral não é tão forte como a dos super-heróis. Mesmo tendo uma grande convicção moral, a nossa obrigação moral não é tão forte a ponto de agirmos sempre que alguém viole as nossas normas morais.

Enfim, é por isso que gostamos tanto dos super-heróis, ou, pelo menos, é uma das razões. Não podemos esquecer o atrativo dos superpoderes e dos uniformes fantásticos que eles usam.

Os super-heróis representam o tipo de pessoas morais que todos desejamos ser. Eles agem em situações em que nós ficaríamos parados. Defendem a moral sem quebrar as normas morais deles, como, por exemplo, a de não matar. Isso é o que faz deles super-heróis e não supervilões: o seu grande senso de moral acompanhado de uma forte convicção moral e uma alta obrigação moral.

  • Sabucedo, J.-M., Dono, M., Alzate, M., & Seoane, G. (2018). The importance of protesters’ morals: Moral obligation as a key variable to understand collective action. Frontiers in Psychology, 9(MAR), 1–12. https://doi.org/10.3389/fpsyg.2018.00418