A surpresa: uma emoção fugaz e inesperada

junho 12, 2019
A surpresa é a emoção mais breve de todas. Ela aparece de forma repentina e desaparece com a mesma rapidez.

Vamos imaginar que não reagimos de maneira alguma quando nos fazem uma festa que não estamos esperando, quando alguém nos dá um presente inesperado ou quando ouvimos um barulho repentino ao caminhar na rua. Estaríamos deixando de lado uma das seis emoções básicas! Nós estamos falando da surpresa, uma emoção esquecida, mas fascinante, que surge diante de uma novidade.

O mundo das emoções é realmente interessante. Estamos acostumados a reconhecer a alegria, a tristeza, a raiva e o medo. No entanto, na hora de fazer essa lista nos esquecemos da surpresa e do nojo, embora este último tenha ganhado protagonismo em filmes expressamente dedicados às emoções, como Divertida Mente, por exemplo.

Neste artigo, vamos explorar a emoção mais fugaz e, ao mesmo tempo, inesperada. Ou seja, vamos mergulhar no mundo da surpresa. Descobriremos do que se trata, quais são suas características e seus efeitos.

“A vida é cheia de surpresas; quando você menos espera, acontecem as coisas que menos imagina”.
-Anônimo-

Criança fazendo cara de surpresa

Surpresa: do que se trata?

A surpresa é uma emoção súbita que aparece diante de uma situação ou contexto que a pessoa não está esperando. Chega e desaparece com absoluta rapidez e se vincula rapidamente a outra emoção que seja coerente com a situação.

Mas, por que ocorre esse vínculo? Vamos imaginar que estamos caminhando e, de repente, somos assaltados, ou que estamos chegando em casa e alguém está nos esperando, sem que saibamos, com um buquê de flores. Como reagiríamos? Certamente com surpresa, mas logo aparece outra emoção de acordo com a situação.

Por exemplo, no caso do assalto reagiríamos com raiva ou medo, e no caso das flores com alegria. Então, a surpresa está em conformidade com o contexto.

Além disso, junto com a reação emocional, há um aumento da atividade cognitiva, o que permite analisar os fatores associados à surpresa. Assim, a surpresa se vincula rapidamente a uma emoção.

No entanto, a surpresa é uma das emoções básicas. Junto com a alegria, a raiva, o medo, a tristeza e o nojo. De fato, elas podem ser encontradas em qualquer cultura! Sabemos disso graças a Paul Ekman, um psicólogo especializado na maneira como exteriorizamos nossas emoções.

Características da surpresa

A surpresa não é nem positiva nem negativa. Trata-se de uma emoção neutra. Vamos observar algumas de suas características:

  • É a emoção mais breve de todas.
  • Aparece de forma súbita.
  • Estímulos inovadores são capazes de gerá-la.
  • Pode aparecer diante de um aumento brusco da estimulação.
  • A surpresa é o reflexo de uma realidade: em nosso futuro há muitas coisas imprevisíveis.
  • É intensificada quando a situação é importante para nós.
  • Surge marcada pela emoção que vem na sequência.
  • Facilita a atenção diante de novos estímulos.
  • Pode surgir diante da interrupção da atividade que está em curso no momento.

No entanto, a surpresa é importante porque facilita a curiosidade e a aprendizagem. Além disso, pode chegar a afetar crenças sobre outros acontecimentos.

Por exemplo, quando uma pessoa adota uma postura inesperada, os argumentos se tornam surpreendentes e, na maioria das vezes, mais persuasivos.

Filha fazendo surpresa para o pai

Efeitos da surpresa

A surpresa facilita tanto a emergência emocional quanto a comportamental apropriada diante de situações inesperadas. Para isso, elimina a atividade residual do sistema nervoso central que pode gerar interferências com a reação apropriada diante das inovadoras exigências do acontecimento.

Além disso, possui efeitos fisiológicos e subjetivos. Vamos analisar cada um deles:

Fisiológicos

Os efeitos fisiológicos são aqueles que estão relacionados com o funcionamento do organismo. Na surpresa, ocorrem dois tipos de ativações:

  • Ativação do sistema nervoso autônomo. Há uma diminuição da frequência cardíaca, vasoconstrição periférica e vasodilatação cefálica, aumento brusco da condutância da pele e dilatação das pupilas.
  • Ativação do sistema somáticoOcorre um aumento momentâneo da atividade neuronal que pode ser detectado por uma dessincronização. Entretanto, se a resposta for inespecífica ou prolongada, a dessincronização envolve todo o córtex cerebral e se torna tônica.

Além disso, há uma expressão corporal característica. As sobrancelhas e as pálpebras superiores se elevam, as pupilas se dilatam, a boca se abre e a mandíbula, consequentemente, desce.

Os joelhos podem se dobrar levemente e nosso corpo se inclina se estivermos em pé. Além disso, essas reações podem ser acompanhadas por sons ou palavras como: Ah! Oh! Mmm…

Mulher expressando sua surpresa

Efeitos subjetivos

São os efeitos baseados nos julgamentos e sentimentos de cada pessoaSua duração vai depender do momento em que a reação emocional posterior se iniciar. Assim, facilita a mobilização para outra emoção.

O principal efeito subjetivo é o fenômeno chamado “mente em branco”. Isso acontece porque a situação nos pega desprevenidos e porque é difícil dar uma explicação ao que está acontecendo exatamente naquele momento.

Além disso, a surpresa é uma sensação difícil de definir devido à quantidade de estímulos que podem causá-la. Por outro lado, em muitas ocasiões, a surpresa atua como prólogo ou prelúdio de outra emoção. Ou seja, depois de sentir a surpresa, muitas vezes nos sentimos alegres ou bravos.

Devido a essa natureza de prólogo, talvez seja a emoção mais breve de todas. Algo que não diminui sua importância a nível evolutivo.

Por isso, a surpresa facilita processos que envolvem atenção, assim como comportamentos de exploração e curiosidade diante de situações estranhas. E o faz dirigindo os processos cognitivos à situação que se apresenta.

Embora comumente não se fale sobre ela, a sentimos com frequência. De fato, é um dos elementos-chave da publicidade viral. Uma evidência disso é o estudo publicado pela Revista científica iberoamericana de comunicación y educación, realizado por Alberto Dafonte Gómez.

Nesse estudo, os vídeos mais compartilhados foram analisados e sugeriu-se que 76% dos vídeos que tiveram mais sucesso utilizam a surpresa como recurso. Impressionante, não é?

Além disso, é uma emoção altruísta. Facilita a reação emocional e comportamental posterior a partir da análise da situação nova. Assim, nos prepara para passar rapidamente para outra emoção. E a verdade é que a companheira perfeita da surpresa é a alegria.

“A vida te dá surpresas, e as surpresas te dão vida”.
-Rubén Blades-

  • Gómez, A.D. (2014). Claves de la publicidad viral: De la motivación a la emoción en los vídeos más compartidos. Comunicar: Revista científica iberoamericana de comunicación y educación, 43, pp. 199-207.
  • Montañez, M.C. (2005). Psicología de la emoción: el proceso emocional. Universidad de Valencia.