Administrar os pensamentos obsessivos: 3 estratégias úteis

3 estratégias para administrar os pensamentos obsessivos

março 2, 2018 em Emoções 0 Compartilhados
Como administrar os pensamentos obsessivos

Administrar os pensamentos obsessivos é uma árdua tarefa que requer uma enorme vontade e disciplina. É uma luta contra nossos próprios impulsos mentais, muitas vezes inconscientes. Além disso, somente quem é vítima deste tipo de ideias sabe o quanto pode ser difícil se afastar delas. Uma parte de nós quer sair do cerco, outra parte briga ferozmente para que tudo se mantenha igual.

Para administrar os pensamentos obsessivos, o primeiro passo é entender do que se tratam. São batizadas com este nome aquelas ideias intrusas que tendem a se fixar na mente e, em muitos casos, se tornam recorrentes. Eles se apresentam de uma maneira que percebemos como involuntária. Simplesmente chegam, cortam outros fios de pensamento e não podemos nos desfazer deles. Seu conteúdo geralmente é intimidante, falam de catástrofes e danos, causando medo.

Por trás de muitas destas ideias existem conflitos não solucionados, quase sempre relacionados a uma culpa não consciente ou que não foi enfrentada. A ideia contínua é uma forma de castigo por algo que se fez e que se considera muito reprovável. No entanto, escapa da consciência. Seja como for, é possível administrar os pensamentos obsessivos para que eles percam seu poder. Estas são três estratégias para conseguir.

“A paixão é uma obsessão positiva. A obsessão é uma paixão negativa”.
– Paul Carvel –

Como administrar os pensamentos obsessivos

1. A metáfora da areia movediça

Uma boa maneira de administrar os pensamentos obsessivos é a de vê-los como se fossem uma armadilha de areia movediçaImagine que alguém caiu em um lugar assim. Seu instinto o levará a querer sair dali o quanto antes. No entanto, se tentar se mover, movendo uma de suas pernas, só conseguirá se afundar mais.

O mesmo acontece com os pensamentos obsessivos. Desta armadilha de areias movediças somente se pode sair se a pessoa se acalma e aceita que está em uma zona na qual cada movimento deve ser calculado. Deve-se tentar deitar e flutuar, tranquilamente. Assim, é muito provável que pouco a pouco a pessoa alcance a borda.

Neste caso, o melhor é fazer o mesmo. Não se deve lutar diretamente contra os pensamentos obsessivos. Não temos que resistir. Dê ao seu pensamento obsessivo 15 a 20 minutos de seu tempo. Deixe-o ali, observe-o, detalhe seu conteúdo. Uma vez que passe esse tempo, tente se dedicar a outra coisa por outros 15 ou 20 minutos. Repita o ciclo até que se sinta melhor.

Homem enterrado na areia

2. Sustentar as emoções

Se você quer administrar seus pensamentos obsessivos adequadamente, faça um esforço para sustentar suas emoções. Aceite que irá sentir um mal-estar emocional por um momento. Se você se permitir experimentar essas emoções – especialmente a ansiedade – pouco a pouco os pensamentos vão se dissipar.

Deixe que fluam até o final. Este tipo de emoção se esgota sozinha se não mexemos com elas. Para entender melhor, é como se tivéssemos uma espinha ou uma picada de mosquito que coça muito. Você a sente, mas decide não se coçar. Logicamente é muito incômodo, mas acaba passando.

O incômodo subirá até um certo ponto, e depois começará a descer. A chave está em não tentar se aliviar se coçando de maneira direta. Temos que fazer o mesmo com a ansiedade ou com qualquer outra emoção negativa que acompanhe o pensamento obsessivo.

Flores voando de mãos unidas

3. Exercícios recomendados

Lembre-se de que seu objetivo é administrar os pensamentos obsessivos, não impedir que apareçam. As obsessões não podem ser controladas com a mente só porque queremos fazer isso. Elas requerem um processo mais profundo e mais extenso, geralmente através da psicoterapia. Dito isso, existem alguns pequenos exercícios que podem ajudar:

  • Fale de sua obsessão em voz alta, durante um minuto. Não fale com sua obsessão, fale sobre ela. Você deve fazê-lo o mais rapidamente possível. Não importa se não tem um discurso coerente, o que menos importa é a coerência. Na verdade, pode dizer somente uma ou outras palavras. Por exemplo, se você fica obcecado que os ladrões entrarão em sua casa, repita “ladrões-entram-ladrões-entram”, rápido e sem interrupções durante um minuto.
  • Cante sua obsessão. Busque uma melodia que goste e tente colocar uma nova letra que fale sobre sua obsessão. Cada vez que essas ideias intrusas chegarem em sua mente, comece a cantar. Mude a letra toda vez que quiser.
  • Desenhe suas obsessões. Dê-lhes uma forma. Invente personagens se quiser. Não faça qualquer desenho, e sim o melhor que puder. Encha-o de cores, de enfeites, de tudo o que vier à sua mente.

Mulher escrevendo em diário

Como dissemos desde o início, administrar os pensamentos obsessivos não é nada fácil. Mas, se estas estratégias forem aplicadas assiduamente, certamente conseguiremos minimizar o efeito e a frequência dos intrusos. Para afugentá-los, precisaremos de ajuda terapêutica. Não hesite em buscá-la.

Recomendados para você