Amigas Para Sempre

· outubro 13, 2018

Quão grande e bela é a literatura. Um mundo paralelo, assim como qualquer arte. Muitas vezes tão próxima da realidade. Tão espelho sem moderação no que narra, no que conta, nos despindo, sem censura. No fundo, os batimentos do autor. Neste caso da autora, Kristin Hannah. Um livro pode ser precioso, como é o caso de Amigas Para Sempre.

Ele fala do medo de duas adolescentes que se sentem solitárias, quando nenhuma das duas pensa ser possível que a outra seja. Este muro cai, o encontro ocorre, e acontece como acontece muitas vezes na realidade, com um infortúnio e uma confissão em um momento de vulnerabilidade.

Um momento em que Tully não aguenta mais e tem que parar de se proteger, de confiar, porque senão iria se desarmar. Kate está lá, esperando por ela, como sempre o fará (em seus últimos anos do ensino médio, na faculdade e depois, muito depois), para que Tully não desapareça. Na verdade, para que nenhuma das duas o faça.

Para fazer amigas de verdade você tem que se arriscar. Às vezes as pessoas vão te desapontar, as meninas podem ser muito cruéis umas com as outras, mas você não pode deixar que isso te intimide. Se te machucarem, levante-se, tire a poeira de seus sentimentos e tente novamente.

Amigas Para Sempre é a história de duas amigas

O livro fala sobre como o medo da rejeição acaba derretendo pela curiosidade de saber mais e romper o casulo. O desafio sobre o conhecido, o desejo de encontrar um amor semelhante aos que existem nos romances. Isso nos mostra que, além da experiência, o importante é o que fazemos com ela: nossa caixa de ferramentas para as grandes ocasiões.

Kate tem uma família que a ama e que lhe impõe regras. Tully é uma estrela que, de tantas vezes abandonada pela mãe, aprendeu a brilhar sozinha. Em ambas, vemos uma necessidade compartilhada que nenhum adolescente jamais confessa: o desejo de despertar uma expressão de orgulho em seus pais. Kate acha que Tully tem tudo, Tully acha que Kate tem tudo.

Os pensamentos, até mesmo os medos, eram coisas etéreas e incorpóreas até que lhes déssemos solidez através da voz.

A importância da amizade

Sua amizade nasce quando percebem que uma sabe contar e que a outra sabe escutar. Tully logo sabe a que quer se dedicar e como quer fazer. Kate demora um pouco mais, enquanto segue Tully e a levanta quando ela ameaça cair, quando a força de seu passado ameaça mandá-la de volta para o fundo de um poço escuro.

Cada uma irá procurar se salvar como aprendeu. Tully sendo uma estrela (de televisão), Kate amando, desejando, entregando e compreendendo que existem pessoas que foram tão danificadas que não aprenderam a pedir perdão.

Tully é tão forte que consegue captar toda a atenção de uma sala cheia de pessoas. Kate é tão corajosa que consegue ficar na mesma sala, mesmo que ninguém olhe para ela, protegendo a todos. De uma forma ou de outra, Kate é o ar para Tully e Tully é o ar para Kate, e aparentemente vivendo em dois mundos diferentes, as duas são capazes de respirar uma da outra.

Amor e amizade

Amigas Para Sempre não é um romance realista, não pretende ser. Ele não aspira ser um espelho fiel, é ciente de que a maioria das amizades não funciona dessa maneira. No entanto, é uma pequena canção de esperança, uma narrativa preciosa de como poderia ser.

Talvez um dos mais belos elementos de suas páginas seja como a obra é capaz de dar uma voz ao que pode sentir uma mãe ou uma filha nos momentos em que uma é muito consciente dos perigos e a outra os ignora completamente, se aproximando do fogo ardente que queima sobre uma bandeira enganosa de liberdade.

Descreve com precisão, através dos personagens, essa ambivalência que implica que a segurança está no mesmo lugar no qual buscamos a independência quando crescemos: a família.

Para não estragar o prazer de quem, depois deste artigo, mergulhar em suas páginas, eu não pretendo revelar muito sobre Amigas Para Sempre. A narrativa talvez seja mais valiosa do que o que foi narrado, e isso tem muito mérito quando o pano de fundo, a história em si, vale a pena.

O apoio dos amigos

Talvez o grande mérito de Kristin Hannah seja construir duas personagens que podemos reconhecer em sua evolução. Algo que podemos ver muito bem em Kate e em como ela aprende a ser uma boa mãe. Os gestos de sua filha que a machucam, aqueles que a confortam, a irritam ou a emocionam.

São muitas as razões que nos convidam a ler Amigas Para Sempre, e o melhor é que você encontre a sua. Então, abra bem os olhos e aproveite.

Tully olhou para sua melhor amiga e, naquele olhar, por mais de trinta anos, elas se aglomeraram, fazendo com que se lembrassem das meninas que tinham sido, dos sonhos que tinham compartilhado e das mulheres que haviam se tornado.

Nota do editor para os medos do leitor. Amigas Para Sempre não é um romance adolescente, é um romance de toda a vida. A adolescência é apenas o ponto de partida do caminho emocionante que será traçado separadamente, juntas.