Emoções: moedas com duas faces valiosas

· abril 26, 2018

As emoções são um dos conteúdos mais importantes da nossa vida psíquica. Isso por conta do que representam, pela forma como acontecem e pela sua capacidade de condicionar pensamentos e processos fisiológicos. Elas podem mudar o ritmo do nosso coração, a pausa da nossa respiração ou a eletricidade da nossa pele.

São únicas porque inspiram e porque nos permitem reconhecer os demais como pessoas semelhantes a nós. Semelhantes em alegria, em dor ou nas surpresas. Semelhantes em grandes características, porque na verdade somos muito diferentes quando falamos sobre pequenas características.

Não existem duas faces que se encaixem exatamente em suas rugas ou em sua expressão; o mesmo acontece com o eco emocional em nosso interior.

A primeira face das nossas emoções: a mensagem

Dissemos no título que as emoções são moedas de duas faces. As duas são igualmente valiosas, mesmo que possam ser influenciadas e se rebelar contra nós. Qual é a primeira? Não, não é o rosto de um rei ou algum outro rosto reconhecido. A primeira face das emoções é a mensagem: aquilo que elas nos dizem ou tentam dizer.

Chave para lidar com as emoções

A alegria diz “Ei! Se você ainda não percebeu, algo bom aconteceu!”. Recarregue as baterias porque você vai disfrutar de algo e, provavelmente, haverá diversão. O sorriso aparece e nosso rosto se ilumina.

Nós nos transformamos em uma espécie de flor que se abre porque temos vontade de compartilhar o que está acontecendo conosco com os demais; tudo isso enquanto abraçamos a emoção com toda a nossa vontade.

A alegria também nos diz que acertamos na decisão tomada. Valida o procedimento escolhido e o reforça de maneira que, no seguinte dilema semelhante, é mais provável que optemos pela mesma alternativa. Além disso, a alegria nos torna mais generosos, menos desconfiados, e a partir da compreensão de sua mensagem também podemos sentir que, talvez, tenhamos sido um pouco “bobos” por nos preocuparmos tanto.

“A alegria foi nomeada o bom tempo do coração”.
– Samuel Smiles –

A tristeza também tem mensagens para nós. Ela nos informa que perdemos algo que, de alguma forma, nos importa. Seja um amigo, uma oportunidade ou até mesmo um objeto pelo qual tínhamos muito apreço.

A tristeza também é um convite a parar e refletir. Ela costuma nos dizer que há algum elemento que não encaixa em nossa história e ao qual precisamos dedicar certa atenção para que possa se integrar a ela, sem causar sofrimentos nem danos.

Talvez a emoção que tenha a mensagem mais perigosa seja o desgosto. É um convite direto e contundente para que nos afastemos daquilo que nos causou essa emoção. No fundo, ela age da mesma forma que o medo, nos avisa de um perigo, apesar de, com essa emoção, o repertório de respostas ser mais reduzido. O mais comum é evitar.

Estas três emoções são exemplos da primeira face da moeda: a mensagem. Consequentemente, a função da inteligência emocional aqui é clara, trata-se de saber escutar, de saber identificar o que a emoção tenta nos dizer.

Mas, não é tão simples assim. Por que, na verdade, é tão difícil?

Bom, porque é muito difícil viver apenas uma emoção por vez. Quantas vezes já sentimos alegria e medo quando começamos um novo projeto e, de repente, surgem dúvidas sobre estarmos ou não preparados para aquilo?

Assim como também já sentimos alegria e tristeza quando pudemos aproveitar uma oportunidade, mas sabendo que isso significa renunciar a outras muitas que também gostaríamos de aproveitar… ou quando mudamos e acabamos nos aproximando de algumas pessoas, mas ao mesmo tempo nos afastando de outras.

A segunda cara das emoções: a energia

Você chegou em casa esgotado, foi até a cozinha para comer algo e, de repente, percebeu que está saindo uma fumaça escura do apartamento de baixo. Em momentos assim, o cansaço desaparece e você se coloca imediatamente em movimento.

É exatamente o mesmo que ocorre quando um estudante tem uma prova no dia seguinte; ele é capaz de passar horas e mais horas estudando. Muitas das emoções que sentimos nos dão mais energia do que qualquer uma dessas bebidas repletas de açúcar e cafeína que encontramos por aí.

Rosto de mulher em meio ao universo

Quanto mais intensa for a emoção, mais energia ela vai nos proporcionar. Isso pode ser muito positivo se estivermos na selva e dermos de cara com um leão, mas no mundo contemporâneo, essa energia precisa ser regulada com mais inteligência. Por exemplo, podemos causar muito dano com a energia vinda da raiva ou da ira, tanto para os demais quanto para nós mesmos.

Pode ser que nos arrependamos ao dizer algo aos demais, causando dor ou deixando feridas indesejadas que serão muito difíceis de esquecer. Quando guardamos demais essa energia e não buscamos uma forma de externalizá-la, também estamos fazendo mal a nós mesmos.

É por isso que os exercícios e os esportes são tão importantes para as emoções: eles nos permitem gastar essa energia sem causar dano a nós e aos demais.

Cara ou coroa? Bom, como vimos, as emoções são cara ou coroa. São informação e energia. Elementos muito poderosos que podem proporcionar muita alegria se soubermos canalizá-los de forma inteligente.