As faces do narcisismo

· fevereiro 22, 2019
Descobrir as diferentes faces do narcisismo nos ajudará a saber identificar essa característica tanto em nós mesmos quanto nos outros.

Todos nós precisamos de uma dose de amor-próprio para saber nos valorizar e desfrutar de uma boa autoestima. Perante essa ideia, as pessoas narcisistas acreditam ser e parecem ser muito seguras de si mesmas quando, no fundo, se sentem muito inseguras. Hoje, descobriremos as diferentes faces do narcisismo para detectá-lo tanto nos outros quanto em nós mesmos.

A principal característica das pessoas narcisistas é que seu ego é tão grande que o espaço para os outros – em seu foco de atenção – fica muito reduzido. Trata-se de algo muito relacionado com a empatia, assim como afirma a tese El transtorno narcisista de la personalidad (O transtorno de personalidade narcisista, tradução livre) de José Luis Trechera Herrerros.

De fato, aos olhos dos outros, costumam ser pessoas consideradas egocêntricas. Assim, só buscam a admiração, exaltando suas conquistas e querendo que os demais as considerem as melhores.

Pode-se dizer que o narcisista se alimenta dos outros. Se ninguém o admira, se não tem ninguém para se vangloriar, seu poder mingua.  Então, pode se deparar com a falta de autoestima que tanto medo lhe causa. Por isso, as faces do narcisismo são as máscaras que a pessoa vai utilizar para fugir dessa possibilidade.

Pessoa caminhando na praia

Os narcisistas vulneráveis

As primeiras faces do narcisismo que abordaremos estão relacionadas com pessoas que usam uma máscara de vulnerabilidade. No entanto, por trás dela, existe um pedido de atenção, um medo atroz e uma tentativa de manipular quem está ao seu lado.

  • Narcisista dependente. Seu medo do abandono lhe faz sentir um vazio que maltrata constantemente a pessoa com quem está, a qual é responsabilizada por isso. Suas demandas emocionais aumentam à medida que a relação avança, e o narcisista manipula para evitar que a outra pessoa o deixe. Busca carinho e quer ser o centro de atenção de alguém.
  • Narcisista mártir. Utiliza o sofrimento para, assim, justificar sua necessidade de apoio e atenção, embora ninguém consiga satisfazer completamente tais necessidades. Tenta fazer com que as pessoas se sintam presas a ele, fazendo-as se sentir culpadas por não apoiá-lo da forma como necessitam.

Como podemos ver, esse tipo de narcisista sente um grande vazio que não consegue preencher, e utiliza a manipulação para ganhar a atenção e o carinho dos outros. Esse tipo de narcisista cria relações muito prejudiciais e destrutivas.

Os narcisistas maliciosos

As faces anteriores do narcisismo utilizam a vulnerabilidade para chamar a atenção e ser o centro da atenção para os outros. No entanto, neste caso, os narcisistas maliciosos utilizam outras técnicas variadas.

Jovem narcisista gritando

  • Narcisista vingativo. Utiliza os outros para destruí-los, mentindo, difamando-os e pisoteando-os para sair por cima. Não suporta estar sob a sombra de ninguém. Por isso, vai tentar humilhar e deixar no chão a autoestima dos outros, aqueles que enxerga como adversários.
  • Narcisista trapaceiro. Em um primeiro momento, pode parecer uma pessoa muito amável e simpática, mas isso é só uma fachada. Sua melhor face é uma arma para ganhar a confiança daqueles que vai utilizar para conseguir se sentir melhor.
  • Narcisista hostil. Suas palavras são sua melhor arma, as quais utiliza para destruir qualquer pessoa ao seu redor. Quaisquer palavras direcionadas a si são tomadas como um ataque pessoal ao seu valor. Sua raiva só é tranquilizada se o exaltam como espera, com exagero.
  • Narcisista tirano. É incapaz de estabelecer relações sem tentar dominar os outros. Acredita que é o melhor e que os outros são todos pessoas inferiores, tanto que chega a considerá-las como objetos. Sua dominação chega ao ponto de possuir os outros, culminando em abuso.

 “Era como um galo que achava que o sol tinha aparecido para ouvi-lo cantar”.
-George Eliot-

Outras faces do narcisismo

Existem outras faces do narcisismo. Também identificamos esse traço em pessoas que dedicam muito tempo aos cuidados com sua imagem. As redes sociais, junto com os comentários bajuladores sobre seu físico, retroalimentam seu narcisismo. Além disso, podem achar que podem conseguir tudo com a imagem. Por exemplo, um(a) parceiro(a), um trabalho, etc.

Em seguida, há outros tipos de narcisistas que se julgam seres messiânicos e são infinitos em seus sermões. Isso reforça o sentimento de superioridade (ou combate o de inferioridade). “Ajudam” os outros, mesmo que não peçam, mas tentam cobrar esse favor de uma ou outra maneira.

Por fim, há os narcisistas que se vangloriam de sucessos e conquistas que, na verdade, nunca obtiveram (pelo menos, não da forma como constroem o relato). Seu propósito é cultivar a admiração nos outros. Quando as pessoas ao seu redor descobrem suas mentiras, costumam trocar o sentimento de admiração por tudo que é oposto. É nesse momento que os narcisistas costumam mudar de círculo e começar de novo uma história que conhecem de memória.

Duas máscaras frente a frente

Como pudemos observar, existem múltiplas faces do narcisismo que é necessário identificar. Esse tipo de pessoa, apesar de ter profundas carências, pode fazer muito mal. Por isso, quando a identificamos, o ideal é tomar precauções, mas tentar fazer com que mude ou procurar um psicólogo não costumam ser metas possíveis.

Os narcisistas acham que os outros estão errados enquanto eles são os melhores, os sofredores ou aqueles que todos querem derrubar.

  • https://dialnet.unirioja.es/servlet/tesis?codigo=106273
  • https://www.raco.cat/index.php/AnuarioPsicologia/article/view/61820/76253