As pessoas não mudam, na verdade nunca foram como você pensava

· fevereiro 21, 2016

Você não sabe bem como acontece, mas certo dia, em uma situação muito simples e comum, você acaba abrindo os olhos. Talvez você já esteja há 5 meses ou 5 anos com certa pessoa, mas de repente você percebe como ela é de verdade. Com toda a sua crueldade.

É aí que muitos dos seus sonhos são arrasados, que escapam as ilusões e esperanças. Porque você viveu com a máscara da fascinação ou de um amor cego que o impedia de apreciar a verdade autêntica.

Ninguém pode conhecer as pessoas em profundidade rapidamente. Isso requer tempo, cumplicidade e momentos chave que nos abrem os olhos. Até que isso ocorra, muitas vezes temos a tendência a idealizá-las ou atribuir-lhes dimensões extraordinárias; mas pouco a pouco, os véus vão caindo…

É claro que às vezes as pessoas realmente podem mudar. As circunstâncias nos fazem mudar, as experiências vividas… Contudo, todos nós dispomos de uma essência inconfundível, de um tipo de personalidade, integridade e valores que costumam ser constantes ao longo do tempo.

Está nas nossas mãos saber perceber a tempo, saber ler os gestos, saber intuir nas palavras, saber deduzir das atitudes.

Às vezes o amor é um filtro traiçoeiro na hora de sermos objetivos, mas devemos manter o coração aberto e os pés no chão. Amarrados às raízes do equilíbrio e da autoproteção.

As pessoas não mudam, mas criam máscaras

No início todos nos esforçamos para sermos semelhantes aos outros. Muitas são as pessoas que, por exemplo, procuram encaixar as suas arestas e vazios particulares com os do seu companheiro para que tudo tenha a mais perfeita harmonia…

Entretanto, muitas dessas uniões surgem mascarando ou disfarçando carências próprias. Ou ainda pior, mostrando virtudes que não são reais. De nosso lado, vemos o companheiro como “completo”, quase idílico, sem perceber máscara alguma.

Cedo ou tarde aparece a primeira decepção. Não sabemos como, nem entendemos como a outra pessoa foi capaz de fazer ou dizer tal coisa, mas aconteceu e não podemos fazer nada para mudá-lo.

Pouco a pouco vão surgindo essas situações tão reveladoras em que as pessoas são postas à prova. É aí que surge a sua verdadeira essência, a sua autêntica personalidade.

O que aconteceu? Como podem ser tão diferentes do que eram no início da relação? É preciso aceitar: as pessoas não mudam da noite para o dia. Na verdade, há pessoas que não são como achávamos no início.

E essa descoberta costuma ser desoladora.

A nossa resistência em ver a verdade sobra as pessoas queridas

Como aceitar que a pessoa de quem gostamos não seja como pensávamos no início? Acredite se quiser, este tipo de situação é uma realidade muito comum no dia a dia, e de fato não acontece unicamente entre casais. Acontece também entre amigos e inclusive entre muitos vínculos familiares.

As pessoas não mudam da noite para o dia, nem costumam mudar com o tempo. Na verdade, é o próprio tempo que permite ver a verdade.

Não existe uma fórmula mágica que nos permite ver de cara como as pessoas são de verdade. De fato, muitas vezes nem elas mesmas sabem. É preciso compartilhar momentos, experimentar vivências para que seja a própria vida a trazer à luz as penumbras e belezas interiores.

Agora, apesar de ser complicado, há uma série de aspectos que deveríamos considerar:

Evite manter uma venda nos olhos

Se já é comum que muitas pessoas andem pelos salões da vida cobertos por suas próprias máscaras de sedução, não vale a pena que você vá com uma venda nos olhos para completar.

Evite idealizar. Tire conclusões através das palavras, das atitudes, dos gestos e também dos silêncios. Uma pessoa não se conhece pelos títulos que atribui a si mesma, e sim pelos detalhes que você pode intuir.

Não espere que alguém mude por você

Este é um erro no qual muitos costumamos cair. Às vezes pode acontecer de sabermos de antemão como é uma certa pessoa. Conhecemos seus defeitos, sabemos que pode nos prejudicar… Contudo, dizemos para nós mesmos “comigo vai ser diferente: ela vai mudar”.

Infelizmente, isso não costuma acontecer. Não é comum que as pessoas mudem a sua forma de ser, os seus costumes, as suas necessidades, as suas nuances. Continuaremos aguardando em uma espera inútil na qual a nossa autoestima e as nossas esperanças desaparecem. É algo perigoso.

O problema das pessoas sinceras é que elas pensam que os outros também o são. Por isso é tão difícil ver o que os outros escondem sob a suas máscaras.

Imagens cortesia de Catrin Welz-Stein.