Assertividade no trabalho: 5 segredos importantes

Assertividade no trabalho: 5 segredos

Maio 28, 2018 em Psicologia 0 Compartilhados
Assertividade no trabalho

A assertividade no trabalho tende a ser confundida, muitas vezes, com outros conceitos, como a agressividade ou a hostilidade. Mas isso não poderia estar mais longe da realidade, porque ela se baseia no respeito. Ou seja, ser assertivo é conhecer e defender os direitos que temos como indivíduos e cidadãos, sem atentar contra os demais. Como vemos, a assertividade se encontra do lado oposto da passividade, que é precisamente deixar a decisão nas mãos dos outros.

Quando aplicada ao âmbito de trabalho, a assertividade tem importantes benefícios, tanto para o trabalhador quanto para a organização na qual ele desempenha o seu trabalho. Por isso, é importante desenvolvê-la e colocá-la em prática. Como podemos fazer isso?

Como aplicar a assertividade no trabalho?

Defenda o seu trabalho

Em certas ocasiões, os chefes levam o crédito pelo trabalho de seus funcionários. Isso é muito frustrante para os subordinados, que entendem seu esforço como não reconhecido. Por exemplo, imagine que você está trabalhando em um relatório importante para a empresa durante semanas, mas que na hora de expô-lo aos clientes, o seu superior nem o menciona ou sequer o convoca para a apresentação.

Assertividade no trabalho

A assertividade no trabalho nos motiva a não ficarmos calados e a transmitir o nosso mal-estar ao chefe.  Assim, uma vez terminada a reunião, podemos ir falar com ele e pedir-lhe que valorize o nosso trabalho. Não é questão de se incomodar, nem de falar com ele em tom desafiador, mas de exteriorizar a nossa desmotivação que é fruto de um direito não reconhecido.

Dê a sua opinião sem se sobrepor ou ficar atrás

Uma reunião de todo o departamento no qual você trabalha é convocada. É um conselho chave: serão tomadas decisões com relação ao futuro que o afetam diretamente. Por isso, é pedida a opinião de todos os empregados da planta. Diante de um grupo assim, a maioria dos trabalhadores adota duas posturas: agressividade ou passividade.

Digamos que a questão a se debater é a seguinte: você acredita que a empresa deveria aumentar o orçamento alocado ao seu departamento? Como você responderia?

  • Agressividade: “Claro que sim. Ele não dá nem para a máquina do café.”
  • Passividade: “Pra mim dá na mesma. Nesse momento, isso não está me afetando.”
  • Assertividade: “Do ano passado para este, notamos mudanças negativas grandes em consequência do orçamento alocado reduzido. Seria conveniente que ele fosse aumentado novamente aos níveis anteriores para que seja possível realizar com maior precisão as tarefas próprias do departamento.”

Como vemos, a primeira e a segunda geram conflitos. A terceira enfatiza que a assertividade no trabalho é uma habilidade social que permite nos comunicarmos de maneira mais satisfatória com os demais. Com ela, nós expressamos as nossas necessidades, compreendendo as possíveis relutâncias que o outro possa ter e tentando satisfazê-las e, inclusive, facilitando saídas intermediárias no caso de que as nossas solicitações não possam ter exatamente a resposta que queremos.

Valorize-se

Se você já consegue dar a sua opinião de forma assertiva, tenha o cuidado de não cometer um erro de principiante: desvalorizar a sua mensagem. “Não sei se isso irá funcionar…”; “Era só uma ideia”; “De qualquer maneira, é muito cedo…”; “Pode parecer uma bobagem…”. Tente evitar essas frases feitas: não são boas aliadas. Muito pelo contrário. Demonstram que você sente insegurança e pouca confiança em si mesmo. Além disso, dificilmente as suas sugestões serão adotadas se há sinais de que nem você aposta com firmeza nelas.

Use a comunicação subjetiva

A comunicação subjetiva se baseia em manifestar em primeira pessoa o que sentimos ou pensamos. É aquela que nos permite falar sem culpar, julgar, criticar e procurar responsabilidades alheias.

Por exemplo, considerando os resultados que a empresa está obtendo com o nosso esforço e dedicação, podemos acreditar que seria justo recebermos um aumento de salário. Existem duas maneiras de comunicar isso ao chefe: “Eu gostaria de falar sobre o meu salário” ou “Precisamos falar sobre o meu salário”.

O primeiro é muito menos agressivo que o segundo, que é mais impessoal. Um simples detalhe acrescenta respeito, naturalidade e importância ao que você está dizendo.

Reunião de trabalho

Clareza e concisão

Para podermos utilizar a assertividade no trabalho, existem dois aspectos que devem ser esclarecidos. Por um lado, os objetivos aos quais você quer chegar. E, por outro, a ideia central da sua mensagem.

Se você sabe qual é a sua meta, você poderá ir se aproximando dela gradualmente. Se não, colocar em prática essa habilidade será muito mais difícil e, em certos casos, inclusive, você poderá conseguir o efeito contrário. De fato, um erro muito comum das pessoas que querem ser mais assertivas é começar a dizer “não” a tudo o que lhes é proposto. Negue apenas quando o que lhe dizem entra em conflito com os seus direitos; não por querer parecer mais forte.

Além disso, evite falar em rodeios. Se você pode dizer em um minuto o que antes diria em cinco, melhor. Faça-o, porque se você fala muito em rodeios, os que estão ali presentes podem deixar de prestar atenção em você e o que você propõe terá o seu valor diminuído.

Estudada através do Modelo dos 5 Fatores, a assertividade encontra-se dentro do traço de personalidade de extroversão. Ninguém é assertivo por natureza, mas, como vemos, é uma habilidade social que podemos praticar; algo que requer esforço e conhecimento sobre o que realmente significa esse conceito.

Recomendados para você