Benefícios da sálvia, a planta da mulher

· junho 15, 2018

Os benefícios da sálvia são inúmeros. O nome desta planta medicinal vem do latim “salvare” (curar), e é considerada um dos melhores recursos naturais para a saúde da mulher. Ela atenua os sintomas da menstruação e da menopausa, reduz a inflamação, a dor, a retenção de líquidos, e também oferece benefícios cardiovasculares importantes.

O uso da fitoterapia teve uma aplicação quase tradicional ao longo da história. O mundo vegetal, a partir de um ponto de vista químico, esconde grandes mistérios que a medicina vem tentando desvendar praticamente desde o começo da civilização. Plantas como o ginseng, o hipérico, o ginkgo biloba ou qualquer tipo de chá apresentam interessantes efeitos farmacológicos, que bem compreendidos e corretamente ingeridos, podem favorecer o nosso bem-estar.

A sálvia tem, desde a antiguidade, um uso medicinal: era utilizada para tratar as mais diversas doenças, desde os transtornos mentais até os incômodos gastrointestinais. A ciência tem comprovado algumas das suas aplicações médicas.

As plantas não curam as doenças e nem os transtornos psicológicos sozinhas. Graças às suas enzimas, óleos essenciais, flavonoides, minerais, etc., elas intercedem na otimização de certos processos. Relaxam, estimulam neurotransmissores, facilitam a circulação sanguínea e ativam a imunidade celular. Fazendo um uso correto das mesmas, elas podem servir como um tipo de terapia complementar bastante útil para algumas condições.

Entre todas essas propostas que a natureza oferece para o nosso bem-estar, a sálvia é uma das plantas mais interessantes. Vejamos mais informações a seguir.

Folhas de sálvia

Os interessantes benefícios da sálvia

A revista “Medical News Today” indica que vários benefícios da sálvia podem ser comprovados cientificamente. Cabe apontar que a família das lamiaceae é bastante extensa. Até o momento, contamos com trabalhos de pesquisa bem reveladores sobre dois tipos específicos de sálvia: a salvia officinalis e a salvia lavandulaefolia (as espécies mais comuns).

Assim como indica o título desse artigo, a sálvia pode ser um recurso maravilhoso na vida da mulher. Na Grécia Antiga, por exemplo, fazia-se uso dela com fins cosméticos, culinários e, especialmente, terapêuticos. Seu chá, de sabor adstringente mas agradável, é rico em inúmeras vitaminas, minerais e componentes capazes de desinflamar e regular os hormônios femininos.

A sálvia e a menstruação

Entre os benefícios da sálvia mais conhecidos está a sua utilidade para atenuar os sintomas da tensão pré-menstrual. O que ela faz é diminuir a sensação de dor, o inchaço, a dor de cabeça, etc. Assim, ela também é eficaz para aliviar a sintomatologia associada à menopausa (o seu óleo essencial tem uma leve atividade estrogênica).

A inflamação

A Universidade de Viena publicou um trabalho de pesquisa em 2013 muito interessante sobre a sálvia. Esta planta demostra ter uma ação anti-inflamatória e antimicrobiana bastante útil.

Algo tão simples como beber uma ou duas xícaras de chá de sálvia por dia vai permitir reduzir a inflamação abdominal, aliviar as infecções urinárias e tratar os incômodos da gengivite.

A sálvia e a depressão

O chá de sálvia também é conhecido pelas suas virtudes para melhorar o nosso humor. A presença de antioxidantes como o diosmetin, a apigenina e a luteolina é ótima para reduzir (embora não cure) a sintomatologia associada à depressão.

Chá de sálvia

A sálvia é a planta da memória

Diversos estudos, como um realizado pela Universidade de Oxford, concluíram algo revelador. O extrato de sálvia pode aumentar a capacidade cognitiva. Atualmente ainda não se sabe qual é a dose exata para que possamos notar o seu efeito. No entanto, recomenda-se consumir o seu extrato ou, inclusive, consumir a planta crua diretamente.

A relação que existe entre a sálvia e a melhora da memória está na colinesterase. Trata-se de uma enzima que intercede na catalisação da hidrólise da acetilcolina. Um nível baixo deste neurotransmissor é associado a uma menor agilidade cognitiva.

Regula o hormônio T3

O hormônio T3 é a triiodotironina. Trata-se de um hormônio da tiroide relacionado com importantes processos fisiológicos e metabólicos. Assim, as pessoas que sofrem de hipotireoidismo saberão que esta condição aparece quando há um nível mais baixo do hormônio T3 e do T4.

Por outro lado, algo que pode ser demonstrado é que quando uma mulher entra na menopausa, é comum que apareça um déficit neste tipo de hormônio. Não existem somente mais riscos de sofrer de problemas na tiroide, mas também se reduzirá o nível de vitamina D, essencial para a saúde óssea.

Consumir de maneira regular o chá de sálvia pode nos ajudar. Se mantivermos uma alimentação saudável e não descuidarmos dos exames médicos, esta planta pode ajudar a regular os hormônios.

Mulher com ramo de sálvia

Como vimos, os benefícios da sálvia são muito interessantes. Suas propriedades medicinais e o seu rico valor nutricional fazem dela um recurso natural que vale a pena ter em casa. Recordemos que devemos consumi-la com equilíbrio e moderação (1 ou 2 xícaras ao dia). No entanto, a sálvia não é adequada para as mulheres grávidas ou que estejam amamentando, assim como para pacientes que sofrem de doenças renais.

Façamos um bom uso desta planta, a mesma que Plínio, o velho, definiu como o remédio do bem-estar.