Caos emocional: quando o mundo desmorona

abril 29, 2019
O caos emocional não é alheio a nós, portanto, depende da nossa capacidade e coragem de enfrentá-lo. Assim, poderíamos passar da opressão para a harmonia.

Há momentos em que a única coisa que vemos em nossas vidas é a opressão e a falta de harmonia. É difícil sairmos do escuro porque não entendemos o que acontece conosco ou não sabemos como administrar. São momentos em que o caos emocional reina em nossas vidas diárias.

O nosso mundo desmorona sob os nossos narizes e não sabemos o que fazer. Nós gritamos: não quero mais! Mas devido à confusão, à imprevisibilidade que será o futuro e aos nossos erros do passado, nos acomodamos nessa situação.

Parece que há apenas sombras que carregamos em forma de frustração e outros desconfortos. No entanto, existe uma maneira de gerenciar esse caos emocional.

A seguir, mostraremos o que fazer nesta situação, quais são as suas características e os benefícios de estar ciente do que está acontecendo.

“Eu encontro esperança nos dias mais sombrios e me concentro nos dias mais brilhantes, não julgo o universo”.
– Dalai Lama –

O que é o caos emocional?

Representa aquele estado em que estamos deprimidos e confusos em relação às nossas emoções. Na maioria das vezes o associamos ao sofrimento, especialmente quando não sabemos o que fazer diante dos problemas. O caos emocional não é necessariamente assim. Também pode ser aqueles momentos em que somos invadidos por emoções positivas que não conseguimos administrar.

Então, é sobre quando não sabemos bem o que nos acontece. Podemos experimentar emoções diferentes, mas não sabemos como identificá-las ou expressá-las em palavras. Também podem ser considerados ‘caos emocional’ aqueles momentos em que não sabemos como administrar o que acontece conosco, mesmo que sejamos capazes de fazer uma boa análise da situação.

Para colocar de outra forma, como sugerido pelo psicólogo e autor do livro ‘Do caos emocional à paz interior’, David Solá, no caos emocional há uma contradição entre o mundo emocional e racional que nos leva a perder o controle, orientando o nosso comportamento pelos impulsos.

Mulher estressada

Características principais

O caos emocional geralmente tem os seguintes atributos:

  • Desordem. As emoções não estão sob nosso controle; podem ser desencadeadas algumas emoções que não conhecemos e que nos levam a comportamentos indesejáveis.
  • Confusão. Sentir falta de clareza nos leva a não saber quais decisões tomar. Portanto, nós geralmente as adiamos.
  • Medo. Tememos cometer erros porque não nos sentimos seguros. É uma emoção que gera uma desordem projetada para o futuro.
  • Remorso. Consiste em um sentimento de culpa que nos deixa inquietos. Trata-se de gerar um transtorno projetado para o passado.
  • Projeção. Acreditamos que é uma questão externa, culpamos os outros ou até mesmo as emoções, como se elas fossem alheias a nós.

O caos emocional pode estar associado ao bloqueio emocional. Isso acontece quando nos protegemos para sobrevivermos a uma determinada situação.

No início, pode ser uma maneira de nos protegermos, mas quando o bloqueio já está no nível do inconsciente e nós não o processamos, poderá nos levar a não sabermos como administrar as emoções. No futuro, quando não precisarmos mais nos proteger, as emoções associadas a essa situação podem nos dominar.

Além disso, o caos emocional também pode estar associado ao enfrentamento de novas situações, tão invasivas que paralisam a nossa tomada de decisões.

Para começar, como David Solá sugere, devemos saber que em pleno caos emocional, é difícil tomar decisões e recompor o que foi quebrado. No entanto, é possível gerenciá-lo de forma positiva.

Como lidar com o caos emocional de uma maneira positiva?

  • Através do autoconhecimento. É a melhor maneira de entendermos o que acontece conosco, por que estamos tendo uma determinada reação e qual caminho queremos seguir. Isso nos ajudará a saber como gerenciar as nossas emoções.
  • Dê espaço ao caos emocional. Às vezes queremos tanto fugir dele que a única coisa que fazemos é deixá-lo para outro momento e acumular sensações que vão crescendo cada vez mais. Será melhor assumirmos que isso pode acontecer com qualquer um e nos permitirmos um momento para deixá-lo fluir.
  • Não alongue o caos emocional. Embora seja importante deixar as emoções fluírem, é importante não o fazer “eternamente”; isto é, não ficar nessa situação por muito tempo. É importante seguir em frente, esta será uma maneira de colocar um limite no caos emocional.
  • Nem tudo vem de fora. Se é o nosso caos emocional, é porque tem algo a ver conosco. Vamos parar de culpar o outro pelo que realmente nos pertence.
  • Saiba como e onde expressar o caos. Embora seja importante entender e expressar o que sentimos, devemos ser assertivos. Nem todos os lugares são adequados para isso, pois podem até piorar a situação. Será mais saudável procurarmos um lugar onde possamos nos expressar com calma e tranquilidade.
  • Pedir ajuda. Muitas vezes temos vergonha de “pedir ajuda”, mas é normal precisar de apoio. Podemos falar com quem temos mais confiança, ou se acharmos necessário podemos ir a um profissional; um psicólogo será uma grande ajuda nesse caminho.
  • Não siga rigorosamente alguns ensinamentos. Às vezes há crenças familiares ou sociais que tomamos como mandatos. Esta situação pode nos sufocar. É mais saudável reconhecer quais estão contribuindo conosco e quais nos levam à frustração, para que possamos aprender com elas e evitar cair em outro caos emocional.
  • Fazer exercícios físicos também poderá nos ajudar. Com isso, diferentes hormônios e neurotransmissores são liberados e geram uma sensação de bem-estar. Outro aspecto que poderá nos ajudar a transformar o caos emocional em harmonia é fazer alguma atividade. Por exemplo, a arte nos ajuda a transformar as nossas angústias.
Mulher correndo em parque

Benefícios de estarmos cientes do nosso caos emocional

Prestar atenção ao nosso caos emocional nos levará a sermos mais assertivos. Além disso, teremos outras vantagens como:

  • Soltar as tensões.
  • Entender o valor que cada emoção apresenta.
  • Soltar o que nos fere.
  • Viver o aqui e agora.
  • Conhecer os nossos limites.
  • Saber quais são os nossos mecanismos de defesa.
  • Transformar a nossa angústia em criatividade.
  • Liberação emocional.
  • Maior capacidade de tomar decisões.
  • Autorrealização.

Conclusão

O processo é gradual. Não podemos esperar que, de um dia para o outro, aumentemos substancialmente o nosso grau de controle e nunca mais teremos um caos emocional em nossas vidas. Como todo ser humano, teremos altos e baixos, o importante é aprender com cada um.

Sair das sombras, do medo, da confusão, da culpa, parar de responsabilizar os outros ou ver as emoções como algo externo é possível. Consiste em dançar com as sombras, conhecê-las, convidando-as a sair no momento certo, aprendendo com elas e as transformando em bem-estar, pouco a pouco.

  • Solá, D. (2016). Del caos emocional a la paz interior: cómo lograr una sanación integral. Tyndale House Publishers.