Pessoas manipuladoras: quatro características

· novembro 17, 2018

Hoje iremos falar sobre as principais características das pessoas manipuladoras, um perfil que sofre e também fazem os outros sofrerem. Não é fácil conviver com esse tipo de pessoa devido à forma como são. Além disso, quando estão por perto, pode ser mais difícil se sentir bem consigo mesmo.

Fazer um esboço do “modus operandi” dessas pessoas é fácil, mas entender como a mente delas funciona é uma tarefa muito mais complexa. Talvez o primeiro aspecto que podemos melhorar em relação a esse perfil seja a nossa capacidade de reconhecê-lo. Dessa maneira, podemos ajudar as pessoas que sofrem mais com o efeito delas e, de quebra, nos proteger.

Principais características das pessoas manipuladoras

1 – Narcisismo

O narcisismo se caracteriza por um amor desmedido por si mesmo. As pessoas com essa característica acreditam que são melhores do que os outros. Este pensamento se mantém graças a diferentes estratégias, como, por exemplo, somente levar em consideração as comparações nas quais se saem melhor. É como se a parte vazia de um copo meio cheio fosse desconsiderada.

Uma das formas mais fáceis de identificá-las é através do diálogo. Em vez de se interessar pelo que o seu interlocutor tem a dizer, elas o ignoram e só se preocupam com sua própria fala. Isto faz com que o outro não se sinta ouvido na maioria dos casos.

Por outro lado, em sua própria mente as pessoas manipuladoras têm uma vida cheia de emoções. Portanto, ao conversar com elas, é comum que acabem contando sobre o momento em que agiram como heroínas. Embora essa característica, por si só, não seja necessariamente um sintoma desse tipo de personalidade, pode ser muito reveladora quando surge em conjunto com as demais.

Homem narcisista

2 – Maquiavelismo

O maquiavelismo é um traço de personalidade que faz referência a uma tendência muito específica: tratar os outros como se fossem instrumentos ou meios, e não como fins. Não permitir que alguém sofra pode ser um objetivo, mas sempre será um objetivo secundário quando comparado com a possibilidade de fazer progressos em direção às metas estabelecidas. Para isso, são comuns algumas estratégias, como a mentira ou a chantagem emocional.

Dessa maneira, quando estamos diante de uma pessoa que se encaixa nesse perfil, é comum ter a sensação de não estarmos fazendo o que realmente queremos. Em geral, o outro nos convence a agir de uma determinada forma. A longo prazo, isso deteriora a relação e a torna superficial.

3 – Necessidade de se destacar

As pessoas manipuladoras não suportam que alguém se destaque, a menos que sejam elas mesmas. Por isso, farão o possível para sempre ser o centro da atenção. Se for necessário, não vão hesitar em fazer a outra pessoa se sentir mal com o objetivo de continuar sendo quem mais se destaca em um determinado ambiente social.

Assim, por exemplo, não é incomum escutar uma dessas pessoas criticar os outros de forma sutil. A longo prazo, isso pode provocar inseguranças em quem precisa interagir com alguém controlador.

Por outro lado, quando sentem que estão perdendo o protagonismo em algum grupo, os controladores tendem a se sentir mal. Devido a isso, farão o que for necessário para voltar a receber a atenção dos outros. Vão contar uma história, falar mais alto ou se colocar fisicamente no centro.

4 – Inveja

Outra característica muito importante das pessoas manipuladoras é que não suportam que os outros tenham sucesso em aspectos nos quais elas não foram capazes. Isso está relacionado com a necessidade de sempre se destacar, mas vai um pouco mais além.

Assim, quando um amigo consegue alcançar uma meta, o normal seria ficar feliz e parabenizar o outro. Uma pessoa manipuladora, pelo contrário, sente muita raiva quando vê alguém conquistar um objetivo. Por isso, não vai hesitar em criticar, minimizar a importância do acontecimento, afastar-se da pessoa, etc.

Lidar com a manipulação emocional

O que fazer diante de pessoas manipuladoras?

Como você pôde ver, conviver com uma pessoa manipuladora pode ser realmente difícil. Em geral, as relações estabelecidas com os outros tendem a ser tóxicas. Apesar disso, o nível de mal-estar que essas pessoas podem causar vai depender da gravidade do comportamento delas.

Diante de um indivíduo desse tipo, há somente duas respostas possíveis: aceitar e tentar minimizar os danos ou cortar completamente a relação. Ambas as respostas são perfeitamente viáveis, mas é necessário compreender o que realmente está acontecendo para poder tomar uma boa decisão.

Afinal, se você está convivendo com uma pessoa manipuladora, o mais importante é saber estabelecer determinados limites. Se alguém está manipulando você ou está fazendo você se sentir mal para se destacar, será que realmente vale a pena que essa pessoa continue na sua vida?