Carta para os apaixonados. Ass: Amor. – A mente é maravilhosa

Carta para os apaixonados. Ass: Amor.

Março 8, 2015 em Emoções 1 Compartilhados
apaixonado

O amor é a força mais maravilhosa do universo, não pela sua potência, mas pela sua origem; não pela sua força, mas pela sua energia. O amor só quer o bem e a felicidade do outro. E que esse bem e essa felicidade sejam mútuos a partir do que faz por aquele a quem ama. Não há amor quando o que se quer é apenas o próprio bem egoísta, fechado e que só vive para si. O amor busca a afirmação de si no bem estar do outro. O amor quer que ambos sintam a mesma energia, ou melhor, a mesma felicidade. O amor se sustenta na entrega e no abandono, no fluir com a outra pessoa, e em deixar que o outro se expresse e viva de verdade.

Também é preciso estar presente o amor a si mesmo. O amor a si mesmo deve servir de padrão, medida, reflexo e condição para o amor ao próximo. Amar a si não é o mesmo que amar a partir de si. O amor é o lugar de onde é possível alcançar a felicidade plena. A felicidade é o caminho mais direto e certeiro para chegar ao amor. Porque se é verdade que ninguém pode dar, nem oferecer, aquilo que não tem, aquilo que precisa… Se nem nós mesmos acreditamos e vivemos a nossa própria felicidade, como poderemos compartilhá-la?

O amor é o gesto de oferecer e compartilhar a felicidade com os demais… sem esperar nada em troca. Você não espera nada em troca porque, ao estar plenamente feliz consigo mesmo, ao estar inundado em sua própria alegria, ao estar instalado e viver sua própria felicidade, você já tem tudo.

O amor é, também, uma questão de expressão: expressar o melhor de si a cada momento. O amor transforma, em seu tempo, sem pressa, nem ansiedade.O amor afeta tudo o que toca, tudo o que se aproxima, porque contém dentro de si, a força mais misteriosa do Universo e da pessoa que está amando.

Entregue-se a viver o amor. Entregue-se a procurar a felicidade do próximo. Sinta-se em comunhão com o sentir da outra pessoa. Permanecer no amor é uma forma de fazer com que ele se intensifique e se manifeste, sem procurar nenhum objetivo, sem pretender que o outro mude. Queira somente viver a partir do amor, pois assim todo o universo e toda a vida será repleta de luz, cor e plenitude. Não ame somente a outra pessoa, ame também o amor com o que ama essa pessoa. Somente assim seu amor profundo poderá se conectar com o amor profundo do outro.

Seu amor se dirige para um rumo além da aparência, além do visível. É um amor que toca o eterno e vê o invisível. Cada vez que sentir o desamor, ou algum outro problema com alguém, pense nessa pessoa, sinta dentro de si um poderoso e impressionante sentimento, um foco de amor que, na altura do peito, irradia e alcança a outra pessoa. Sinta-se unido a essa pessoa pelo amor. Tenha em mente que essa irradiação é uma corrente que vai e que volta. O que se cria no amor, é o espaço intermediário entre ambos. Cada um mantém sua energia e seu espaço, e o amor criado entre os dois é devolvido multiplicado para cada um.

O amor não é um conceito, é uma forma de viver em si mesmo. O amor não é assunto de ideias, nem de palavras, é questão de vivência, de experiência, de gestos concretos e cotidianos. Em todo gesto visível que você faz, o amor é expressado.

E nos gestos não visíveis, que você não expressa, o amor está ausente.

Extraído e traduzido de: jmtoroa.blogspot.com.es

Recomendados para você