Casa, árvore, pessoa: o teste de personalidade (HTP)

Este teste projetivo é amplamente utilizado em uma variedade de contextos clínicos e de avaliação, devido à sua aparente simplicidade e aplicação fácil.
Casa, árvore, pessoa: o teste de personalidade (HTP)
Sergio De Dios González

Revisado e aprovado por o psicólogo Sergio De Dios González.

Escrito por Yamila Papa

Última atualização: 22 dezembro, 2022

O teste de personalidade ou HTP (pela sigla em inglês) permite analisar certas características particulares, que são as áreas que estão em conflito dentro de nós, os sentimentos que temos e a projeção de nós mesmos, ou seja, o que consideramos como próprio e de alguma forma colocamos fora de nós mesmos.

Este teste pode parecer uma “brincadeira de criança”, mas também é útil para adultos. Ele é realizado tanto nas clínicas como em consultas psicológicas e nos consultórios psicopedagógicos das escolas.

O que é o teste de personalidade?

Para a realização deste teste as pessoas analisadas são convidadas a desenhar uma casa, uma árvore e uma pessoa em uma folha branca. É por isso que a sigla em inglês é HTP. Ou seja: House (casa), Tree (árvore) e Person (Pessoa).

Este teste visa mostrar quais são os conflitos mais comuns e ao mesmo tempo mais “escondidos” dentro de nós.

Além disso, graças aos desenhos desses simples objetos cotidianos a pessoa que os analisa pode verificar elementos da personalidade do indivíduo em questão. Embora não percebamos, ao desenhar uma casa, uma árvore e uma pessoa destacamos elementos que estão armazenados no nosso inconsciente por diversos motivos.

Não é preciso ser um Picasso ou um Dalí para passar no teste, mas sim descobrir os segredos que o desenho oferece. O que pode ser dito através dele? Especificamente, ele ajuda a expressar o “eu” em relação a um ambiente familiar (como é uma casa ou árvore) e pessoas próximas.

Esses testes também são conhecidos como testes projetivos, neste caso, testes projetivos expressivos. Eles partem de uma vertente psicanalítica  na qual a execução dos testes envolve a projeção da própria situação interior.

Martínez e Sarlé (2007) apontam que “os testes projetivos visam explorar a personalidade ou algum aspecto específico dela em relação ao contexto global, mas com o propósito claro de atingir os níveis mais profundos dela, incluindo o inconsciente. Os autores destacam ainda que eles “revelam a posição da pessoa em relação ao mundo que a rodeia, aos acontecimentos em sociedade, à sua atitude em situações sociais difíceis ou ao seu comportamento moral.

As duas fases do teste HTP

O estudo vai além de desenhar uma casa com uma árvore e uma pessoa ao lado. Portanto, não deve ser menosprezado. A primeira instância (não verbal ou criativa) acontece quando o paciente é solicitado a desenhar esses 3 elementos.

O especialista provavelmente irá sugerir que a pessoa faça o desenho da forma mais natural que puder, esquecendo tanto quanto possível o contexto em que se encontra e a análise posterior do próprio desenho.

Enquanto a pessoa está desenhando, o analista aproveita para prestar atenção às suas atitudes, palavras e tudo o que ela demonstra. Os sentimentos podem ser de frustração, raiva, alegria ou qualquer outra emoção.

Assim que a “tarefa” estiver terminada, é hora de passar à próxima etapa. Nesta segunda fase, a pessoa precisa contar uma história usando os três tempos verbais principais (passado, presente e futuro).

Outra opção que também é muito utilizada durante o teste HTP é responder a uma série de perguntas previamente estabelecidas pelo especialista. Elas servem para motivar as pessoas que têm mais dificuldade para se expressar ou crianças que ainda não têm a capacidade de elaborar uma história ou um conto.

O como, quando e onde do teste HTP

Psicóloga analisando o desenho de menina.
Qualquer um pode “se submeter” a desenhar uma casa, uma árvore e uma pessoa para posterior análise.

Talvez para os adultos seja um pouco estranho ir a uma consulta com o analista e ele pedir um desenho no meio da sessão, mas os resultados obtidos são bastante interessantes. Para poder aproveitar ao máximo, é necessário estar em um local tranquilo e sem distrações, onde o paciente se sinta confortável. O consultório é ideal porque também oferece privacidade.

Ao mesmo tempo é necessário fornecer todos os materiais necessários: folhas, lápis e borracha. É permitido apagar, mas é importante considerar a atitude tomada em relação a esta ação: se depois de terminado o desenho a pessoa decide apagá-lo por completo, isso é diferente de retirar apenas uma parte com a intenção de melhorá-la.

O teste HTP tem uma duração aproximada que vai de trinta minutos a uma hora, dependendo de quanto tempo o paciente leva para desenhar e contar a história. Obviamente, também depende da predisposição do mesmo e se o analista decidiu fazer perguntas no final.

Para que serve o teste HTP?

Desenho de uma família.

A lógica é simples. O teste de personalidade se baseia na crença de que muitos sentimentos (sejam do passado ou do presente), podem ser expressos graças aos desenhos , assim como desejos futuros.

Cada imagem tem um significado diferente: a casa projeta a situação familiar presente, a árvore é o conceito mais profundo ou interior de nós mesmos e a pessoa é uma espécie de autorretrato ou autoimagem que inclui a nossa consciência e mecanismos de defesa.

A localização de cada objeto na folha também é analisada. Por exemplo, se o paciente desenha muito perto da borda superior, o desenho estará relacionado aos sonhos e à imaginação, e a borda inferior ao material. O que é colocado à direita está relacionado ao futuro, no centro ao presente e à esquerda ao passado.

O tamanho, o traço (que pode significar firmeza ou fraqueza) e a clareza de cada elemento são avaliados. Também é muito interessante entender que cada parte da casa, árvore e da pessoa tem um significado.

Não vamos dizer o que cada um significa para você não trapacear caso faça o teste de personalidade, mas mostraremos um pequeno esboço geral dos elementos interpretáveis. Assim, no desenho da casa estão presentes os significados associados ao lar, à família e às relações com os outros. Por exemplo, o teto representa a vida espiritual e a conexão com a fantasia, as paredes simbolizam a personalidade e a firmeza de caráter e o piso se relaciona com a noção de realidade. É claro que elementos como o número de portas e janelas, se elas estão abertas ou fechadas ou se a pessoa desenhou uma lareira também têm um caráter interpretável.

Por outro lado, o desenho da árvore se refere às coisas mais profundas em nosso ser ou mesmo que estão no plano inconsciente. Aspectos como o tronco estão relacionados ao sentimento de pertencimento e ajustamento, a copa mostra a autoimagem social, os galhos o nível de satisfação com essa autoimagem e as raízes apontam para as nossas bases, alicerces, segurança e autoconfiança. Detalhes como incluir frutos ou a árvore estar seca também têm interpretações complementares.

Por último, o desenho da pessoa está profundamente ligado ao nosso autoconceito e autoestima. Cada uma das partes do corpo tem uma dimensão interpretável que mostra o nível afetivo, sexual, comunicativo e social. Por exemplo, as mãos se referem à afetividade, as pernas ao contato com a realidade e os braços à adaptação e integração ao mundo e às relações com os outros.

Neste teste de personalidade, como em todos os testes projetivos, a qualidade das informações obtidas dependerá da atitude com que enfrentarmos a tarefa de desenhar e construir a história, e também dependerá muito da habilidade do analista em diferenciar os elementos relevantes daqueles que não são.

Pode interessar a você...
Teste de psicologia das 4 cores
A mente é maravilhosa
Leia em A mente é maravilhosa
Teste de psicologia das 4 cores

O teste de psicologia das quatro cores é uma ferramenta valiosa para conhecer as características, habilidades e preferências das pessoas.


Todas as fontes citadas foram minuciosamente revisadas por nossa equipe para garantir sua qualidade, confiabilidade, atualidade e validade. A bibliografia deste artigo foi considerada confiável e precisa academicamente ou cientificamente.


  • Rocher K. Casa árbol persona. Manual de interpretación del test. España: Editorial Kaicron; 2009.
  • Buck J. The H-T-P test. Journal of Clinical Psychology. 1948; 4: 151–159.

Os conteúdos de A Mente É Maravilhosa servem apenas para fins informativos e educacionais. Não substituem o diagnóstico, o aconselhamento ou o tratamento de um profissional. Em caso de dúvida, é recomendável consultar um especialista de confiança.