Como falar com segurança: o poder da autoconfiança

28 Abril, 2020
Falar com assertividade, segurança e carisma nos permite conquistar muitos espaços. No entanto, a chave para fazer isso está no treinamento diário de um músculo psicológico indispensável: a autoconfiança.
 

Muitos de nós já nos perguntamos: como falar com segurança? Como expressar nossas ideias por meio da combinação perfeita de assertividade, sedução e carisma? Sabemos que existem gurus nesta área; no entanto, às vezes nos sentimos quase constrangidos pelos conselhos e pela grande quantidade de estratégias existentes, porque o que nos falta, na realidade, é algo bem simples: a confiança em nós mesmos.

Quando duvidamos da nossa própria eficácia tudo vai por água abaixo. Temos que admitir, isso ocorre bem mais do que gostaríamos. É nessas ocasiões que nossas mentes se enchem de ideias do tipo “Com certeza vou ficar nervoso e estragar tudo”, “Vai ser igual da última vez em que paguei mico” ou “Não vou conseguir mostrar meu valor porque meu discurso é bobo, desconexo e pouco original”.

Esses tipos de circunstâncias podem limitar muitas oportunidades de trabalho e pessoais. Existem homens e mulheres que se destacam em seus trabalhos, mentes brilhantes que têm, curiosamente, sérios problemas de comunicação, de se expressar, de fazer com que suas ideias sejam transmitidas com clareza.

 

Além disso, algo que agradaria grande parte de nós é não apenas falar com segurança, mas fazer isso com carisma e ser capar de cativar um determinado público.

Existem estratégias, disso nós sabemos. No entanto, antes de aprender a usá-las, é interessante conhecer a razão deste problema, desta limitação comunicativa e falta de autoconfiança. Veremos a seguir.

Homem com transtorno de ansiedade

Por que tenho dificuldades de falar com segurança e firmeza?

Muitos de nós gostaríamos de saber como falar com segurança para melhorar em nossos trabalhos ou nos estudos. Também para demonstrar segurança nas relações, convencer aos outros de nossas ideias, ser mais persuasivos, fazer com que nossas mensagens sejam passadas de maneira mais eficaz e até cativar as pessoas para melhorar nossas relações conjugais.

 

Saber comunicar é, no final das contas, melhorar a convivência e consolidar um pouco mais o nosso potencial humano. No entanto, essas questões podem ser difíceis de resolver. As razões são muitas; no geral, podem ser resumidas nas seguintes realidades psicológicas:

Excitação do sistema nervoso autônomo

Quando temos dificuldade em nos comunicar confortavelmente, diante de uma ou várias pessoas, a causa está na própria insegurança, no estresse e na angústia.

Temos medo de errar ou de nos mostrarmos incompetentes, e é justamente esse medo que alimenta a ansiedade. Além disso, este tipo de ansiedade é produzida porque nosso cérebro codifica essas situações como uma ameaça.

A angústia do julgamento, de errarmos ou de fazer papel de bobo ativa nosso sistema nervoso autônomo e, então, é desencadeada uma série de sintomas: nervosismo, taquicardia, boca seca, falta de apetite, suor, etc. Tudo isso dificulta ainda mais a comunicação.

Pensamentos limitantes

Nossa mente pode ser um catalisador de forças ou uma carcereira de autoestimas e potenciais. Assim, quando nossos pensamentos derivam de ideias negativas nas quais nos julgamos como estúpidos ou antecipamos centenas de erros, o mais provável é que isso aconteça.

 

O fator situacional

Outro fator indispensável é o situacional. Existem entornos, momentos e pessoas que exercem uma pressão maior, fazendo com que duvidemos de nós mesmos, que sintamos uma certa insegurança.

Por exemplo, começar em um emprego novo onde esperam que disponhamos de recursos comunicativos para atrair clientes. Essa pressão gera angústia, principalmente quando nos vemos como ineficazes nessa habilidade. Esses são elementos que nos colocam à prova.

Dicas de como falar com segurança

Para falar com segurança devemos partir da nossa realidade social. Há quem precise apenas de um pouco de soltura e de dom. Outros, no entanto, devem fazer uma restruturação interna mais profunda, na qual possam apagar inseguranças, potencializar a autoestima, eliminar pensamentos negativos, controlar melhor a ansiedade, etc.

Todas essas atitudes levam um tempo e exigem um compromisso autêntico consigo mesmo. Tendo em mente esse aspecto e aceitando cumpri-lo, é o momento de integrar estes segredos básicos para saber como falar com segurança.

 

Estratégias para se comunicar melhor por meio da autoconfiança

  • Foque na mensagem que deseja passar, essa é a única coisa que importa. Deixe de lado outros pensamentos, medos e ansiedades e foque somente naquilo que deseja dizer e a quem vai dizer.
  • Saia de si mesmo e conecte-se com quem está à frente, seja uma só pessoa, várias ou uma grande plateia. A conexão é poder e você pode desfrutar dessa aliança. Se você se sentir cômodo, vai conseguir transmitir comodidade. Se sentir medo, transmitirá angústia.
  • A pressa está proibida na hora de comunicar com eficácia. Aja com calma, uma ideia depois da outra, em harmonia, mas enfatizando o que diz e expressando-se de forma que os outros se sintam atraídos.
  • Sem rodeios, evite repetições ou interjeições.
  • Apele às emoções, conte piadas, personalize… a simplicidade sempre cativa.

Por fim, diante da pergunta de como falar com segurança, a resposta é simples: muita prática e autoconfiança. Quando finalmente conseguimos confiar em nós mesmos, os medos já não são tão grandes, dominamos melhor as inseguranças e até nos sentimos bem em situações em que, até pouco tempo atrás, nos pareciam ameaças.