Chaves para desenvolver a resiliência

Chaves para desenvolver a resiliência

5, julho 2015 em Psicologia 0 Compartilhados
resiliência

Seria ótimo ir à farmácia e comprar alguns comprimidos de resiliência. Um por dia seria suficiente para nos injetar a energia necessária para aprender a reagir à adversidade, ou simplesmente ao estresse diário que o trabalho e até a vida, sempre repleta de coisas boas e más, nos trazem.

A resiliência ganhou importância nos últimos anos dentro das ciências sociais e na área da saúde mental. A realidade é que este é um conceito cunhado pela física, e nos fala sobre o poder que alguns materiais têm de recuperar seu estado original contra certas circunstâncias que podem deformá-los e até mesmo fragmentá-los.

Como aplicamos esta propriedade no âmbito humano e psicológico? Podemos voltar ao nosso estado original apesar das perdas, traições, ou fracassos?

A verdade é que não. Jamais voltaremos a esse estado, a essa época em que éramos imunes a tudo e ainda não tínhamos conhecido os riscos da vida. No entanto, resiliência pode nos ensinar não só a aprender com esses efeitos, mas a enfrentá-los e superar a rejeição, a humilhação ou qualquer situação negativa, que, certamente, todos nós tivemos que assumir.

1. Todos podem vencer a adversidade

Certamente você conhece algum caso. Crianças que cresceram em contextos familiares desfavorecidos ou em famílias com graves problemas pessoais (maus tratos, alcoolismo, pobreza).

Nem todos que tiveram que passar por estas situações na infância atingiram a maturidade mostrando os efeitos psicológicos de um passado tão obscuro. Há aqueles que conseguiram superar a adversidade para desenvolver não só o senso de sobrevivência, mas de esperança, adaptabilidade e autoestima.

Como é possível?

Temos que aprender a separar os contextos de nossa própria realidade interior. Você merece um futuro de desespero e sofrimento? Não vale tanto ou mais do que qualquer um? Por que não aprender a ser feliz deixando de lado o passado? Depois de viver na escuridão, conhecemos as sombras para poder encontrar forças e enfrentá-las.

2. Aprenda a desenvolver sua competência emocional

As pessoas que puderam desenvolver a resiliência de forma adequada são emocionalmente competentes, mas o que isso significa? Significa que elas têm autonomia para decidir o que é bom e ruim para elas. Significa que elas têm boa autoestima e sabem o que querem.

As pessoas resilientes sabem o que é passar por um evento traumático ou complexo, onde é preciso ser forte para sobreviver, para permitir que os dias passem e não temer o futuro. Saiba que todos temos capacidade suficiente para enfrentar as adversidades e superá-las. Por acaso você não merece?

3. O caminho para a resiliência

Como podemos obter acesso a esse caminho para sairmos fortalecidos? Primeiro temos que ter clara uma coisa. A resiliência é ordinária, não extraordinária. Isto é, todos podemos desenvolvê-la. Ser resiliente não significa ser “imune” à dor, às angústias ou às preocupações, pelo contrário. A dor emocional deve ser assumida e compreendida.

Temos que ser realistas sobre o que nos acontece, tendo uma visão positiva de nós mesmos. Saber gerir as emoções, aceitando a dor, mas definindo metas e objetivos para o dia seguinte. Nunca perca a esperança. A mudança é parte da nossa vida e devemos aceitá-la, pois tudo isso nos fará crescer como pessoas e nos ensinará a ser mais fortes.