A chegada da aposentadoria: o que vai ser da minha vida?

· janeiro 29, 2019

A chegada da aposentadoria é um daqueles momentos contraditórios que unem uma conquista gigantesca com uma grande perda. Exatamente por isso não é raro que muitas pessoas se sintam perdidas nesse ponto em que termina o ciclo de trabalho e começa uma etapa de estabilidade, mas também de muitas dúvidas.

No sentido estrito, a aposentadoria é indicada como o final definitivo do âmbito profissional ativo, devido à idade ou às condições de saúde, que impedem a pessoa de continuar com o seu trabalho. O impacto que isso provoca em um indivíduo depende de muitos fatores. No entanto, em todos os casos, trata-se de uma transformação.

A dimensão profissional é um dos eixos sobre os quais construímos a vida. Essencialmente, nós organizamos a rotina em torno do trabalho. Isso determina os horários, o nosso tempo. E o tempo é tudo. Também marca os objetivos, influi decisivamente sobre o nosso autoconceito e o sentimento de sucesso ou fracasso na vida.

Por isso, a chegada da aposentadoria merece ser o começo de um bom projeto de mudança.

“Quanto mais areia tenha saído do relógio de nossa vida, mais claramente deveríamos poder ver através do seu vidro”.
– Jean-Paul Sastre –

Aposentado tomando café

A chegada da aposentadoria, um processo de várias fases

Há várias etapas no processo de aposentadoria. Cada uma delas representa um passo a frente no caminho de adaptação das novas condições de vida. Sem dúvida, não é um caminho fácil. De qualquer modo, ele se torna mais simples quando existe informação suficiente para enfrentar o que acontecerá a seguir.

As fases no processo de aposentadoria são as seguintes:

  • Pré-aposentadoria. Corresponde a uma etapa em que a pessoa começa a se acostumar com a idéia de que a sua vida profissional vai terminar. Aparecem algumas ideias vagas sobre o que acontecerá depois desse ponto.
  • Nova configuração. A partir do momento em que a pessoa deixa o trabalho, o normal é que apareça o entusiasmo de aproveitar muito mais o seu tempo livre.
  • Decepção. Aparece, geralmente, depois de um ou dois meses da aposentadoria. Alternam-se a depressão, a hiperatividade e a angústia. A nova vida não parece atender às expectativas criadas.
  • Reorientação. É uma fase na qual se reajustam as expectativas criadas nessa nova etapa da vida. A situação é revista e, então, são traçadas metas e propósitos de uma maneira mais realista.
  • Adaptação. Etapa na qual se organizam as novas rotinas, e se elabora um novo projeto de vida a curto e longo prazo em função das novas condições de vida.

Nem todas as pessoas vivem as etapas exatamente como elas foram descritas anteriormente. Algumas já sabem claramente o que vão fazer quando se aposentarem, e não apresentam muitos problemas. Outras, ao contrário, entram nessa etapa muito confusas, sem saber muito bem o que fazer ou esperar a partir desse momento.

Casal aposentado

Como enfrentar adequadamente a aposentadoria?

A mudança de horários, de rotinas e de entorno, em maior ou menor medida, cria uma nova configuração de vida. A aposentadoria costuma demandar uma atividade menor, mas contraditoriamente também uma iniciativa maior, pelo menos para a construção de uma nova rotina.

Também podemos assistir a um processo de perda dos espaços que deixam de ser frequentados, os colegas de trabalho que se vão e as tarefas que não serão mais realizadas.

Apesar de tudo isso, não devemos perder de vista o fato de que a aposentadoria é, também, uma grande conquista. Se ela é administrada adequadamente, pode iniciar uma bela etapa da vida, na qual é possível encontrar novos caminhos para alcançar outras realizações.

Existem algumas medidas que ajudam a dar um significado positivo a esta experiência:

  • Prepare-se conscientemente para a aposentadoria. A preparação começa durante o último ano de trabalho e não consiste em divagar sobre o futuro, mas em analisar as alternativas que são apresentadas nesta nova etapa da vida.
  • Faça uma lista com tudo aquilo que você gostaria de fazer. Isso inclui sonhos grandes, médios e pequenos. Falamos de um inventário com tudo aquilo que você deixou de fazer devido à falta de tempo.
  • Pré-aposentadoria ativa. Você não tem que esperar se aposentar para começar a desenvolver os projetos que planejou para depois deste momento. Comece-os um ou dois anos antes do seu adeus definitivo ao trabalho.
  • Fortaleça as relações sociais. A pós-aposentadoria é um excelente momento para a amizade. Com certeza existem muitas pessoas que estão em uma condição parecida com a sua, e pode ser uma boa ideia dedicar mais tempo a cuidar daqueles que o cercam.
  • Mude de perspectiva. Não se apegue ao passado, olhe para a frente. O que passou, passou. O melhor é se concentrar naquilo que virá, alimentando o entusiasmo por aquilo que você poderá fazer.

Nenhuma grande transformação de vida ocorre sem dor emocional, sem um certo sofrimento. Devemos ser conscientes disso, mas também temos que entender que a chegada da aposentadoria traz consigo aspectos de vida que são novos e apaixonantes, se adotarmos uma atitude aberta e soubermos explorá-los.