Como lidar com as críticas e aprender com elas

· maio 5, 2018

Quando recebemos uma crítica, geralmente a experimentamos como um ataque pessoal, um comentário doloroso e, em alguns casos, vergonhoso, algo que nos machuca e incomoda. Por isso, muitas vezes lidar com as críticas não é tão fácil e uma das nossas primeiras reações é nos colocarmos na defensiva.

Deixar uma crítica nos afetar tanto não é uma boa ideia, principalmente se for injustificada. Em vez de ficar na defensiva, é muito melhor responder às críticas de maneira assertiva. Desta forma, poderemos tirar proveito delas e evitaremos muito sofrimento.

Antes de mais nada, é importante fazer uma série de perguntas sobre as críticas que recebemos, já que nem todos têm a intenção de nos prejudicar. Por exemplo, qual é o objetivo da pessoa que nos critica? Por que ela faz isso? Quais são as suas razões?

Se quando recebermos uma crítica, não pararmos para pensar por que essa pessoa está tão zangada ou qual é a razão da sua reação, provavelmente ficaremos na defensiva. No entanto, se evitarmos nos deixar levar pelos nossos impulsos e nos acalmarmos, tudo será muito mais simples. Vemos as situações de outra forma quando agimos com serenidade.

Agora, se decidirmos que a pessoa que nos critica está errada, mas não a contestarmos, ou aceitarmos o que ela diz, estaremos permitindo que os outros nos manipulem. Além disso, a nossa autoestima será afetada porque não estamos nos respeitando.

Pessoa sentindo tristeza

Lidar com as críticas

Quando uma pessoa não sabe aceitar críticas, geralmente reage se desculpando (“sim, mas …”), criticando ou até mesmo tentando evitá-las a todo custo. Há também aqueles que as aceitam superficialmente, mas sem a convicção da necessidade de mudança.

Todos esses comportamentos são prejudiciais porque entendem as críticas como ataques. Dessa forma, provavelmente nos sentiremos mal e também seremos incapazes de aprender com elas.

Como aceitar as críticas?

Se aprendermos a reagir com calma diante de uma crítica, aprenderemos a controlar as nossas emoções negativas. Se estivermos tranquilos, conseguiremos entender melhor o que nos dizem e tirar proveito disso. Dessa forma, poderemos avaliar as intenções do outro e perceber se foi com má intenção ou não.

Se a crítica for construtiva, poderemos aprender com ela e usá-la para melhorar algo em nós mesmos ou na nossa vida. Agora, se a outra pessoa não conseguiu se expressar corretamente, poderemos lhe mostrar uma maneira de dizer as coisas para evitar estragar o relacionamento.

Se é uma tentativa de manipulação, a melhor resposta não é raiva ou irritação, mas a capacidade de expressar o que pensamos de forma assertiva, com calma e tranquilidade. De fato, quando não reagimos com raiva, não mostramos os nossos pontos fracos.

Se a outra pessoa estiver certa e nós estivermos errados, o ideal é corrigirmos os nossos erros. Se, por outro lado, não for assim, o ideal é que reafirmemos a nossa posição. Se a outra pessoa não concordar, é melhor não entrar em conflito.

Quando estamos tranquilos diante de uma crítica, podemos sair vitoriosos de uma determinada situação que, na maioria dos casos, se tornaria desagradável. Responder com assertividade nos ajuda a não nos sentirmos atacados e a proteger a nossa autoestima.

“Uma crítica é apenas uma opinião. Você não precisa provar nada. Você sempre pode aprender com as críticas, melhorar e controlar as suas emoções para não entrar em conflito com ninguém”.

Casal conversando

Como responder às críticas com sucesso

Receber uma crítica não é agradável, especialmente quando acreditamos que o que nos dizem não é verdade. Neste artigo, veremos como responder às críticas com sucesso e como tirar o máximo proveito delas.

Depois de receber uma crítica, o primeiro passo é analisar e mudar o nosso discurso interior, isto é, o que nos dizemos e pensamos em silêncio. Por exemplo, podemos nos dizer o seguinte: “Eu não tenho que provar nada porque ninguém está me atacando. Ouça com atenção o que ela diz, isto pode ser muito útil. Procure entender o que ela quer. O fato dela o criticar não significa que você tenha falhado”.

Em seguida, devemos avaliar as críticas. Isso nos ajudará a decidir se devemos mudar o nosso comportamento ou se é conveniente rejeitar o que nos foi dito de forma construtiva. Para isso, poderemos nos perguntar e refletir sobre os seguintes pontos:

  • Reflita sobre quem está fazendo a crítica. Ele é qualificado? Ele me conhece o suficiente? Ele sabe do que está falando?
  • Qual é o propósito da outra pessoa ao fazer a crítica? A sua finalidade pode ser fazer com que você se sinta mal, mas também pode ser chegar a um acordo e demonstrar o que o incomoda para que haja uma mudança.
  • Pergunte a si mesmo se é uma crítica que você recebe com frequência. É a primeira vez que ouve essa crítica ou existem mais pessoas que concordam com isso?
  • Quanta energia precisamos gastar com a mudança sugerida pela crítica? Talvez não compense…
  • Avaliar o clima emocional. Talvez a pessoa estivesse com raiva naquele momento e você não deva levar em conta os seus comentários.  O momento emocional dá uma nuance diferente à situação. Todos nós podemos dizer coisas que não sentimos em um momento de raiva. Às vezes, o melhor é relativizar.

Para lidar com as críticas, a chave está na escuta ativa e na gestão do discurso interno, para posteriormente desenvolvermos uma resposta assertiva com calma e tranquilidade.

Pessoas conversando e tomando café

O que fazer se a crítica for adequada?

Se a crítica for apropriada, então poderemos agir de várias maneiras. São as seguintes:

  • Controlar as emoções. O ideal é não se irritar, mas administrar a forma como nos sentimos.
  • Não se defender diante das críticas. Se o que os outros dizem é verdade, então não há razão para se defender. É perda de tempo e energia.
  • Ouvir ativamente. Uma reação adequada é ouvir ativamente, isto é, prestar atenção à mensagem para entendermos melhor o que estão nos dizendo e respondermos apropriadamente às críticas.
  • Pedir mais informações e procurar dados que nos ajudem a mudar. É o momento de encontrar alternativas e não de se irritar.
  • Pedir informações específicas sobre como mudar. Uma das questões chave seria “Como eu poderia fazer melhor?” Tanto para a outra pessoa quanto para nós mesmos.
  • Resumir o que nos disseram para termos certeza de que entendemos tudo muito bem. Faça um resumo final e pergunte ao seu interlocutor se ele entendeu corretamente.
  • Estabelecer uma estratégia para as mudanças. Planejar e executar comportamentos que nos ajudem a mudar.

Como vimos, existem duas maneiras básicas de lidar com as críticas. Se a crítica não procede, devemos nos colocar na pele da outra pessoa e tentar entender por que ela nos critica. Se, por outro lado, a crítica for justificada, então é melhor ser assertivo e mudar o que está sendo criticado.

Referências bibliográficas

  • Caballo, V. Manual de avaliação e treinamento das habilidades sociais. S. XXI Editorial. 2002
    Goleman, D. A prática da inteligência emocional. Editorial Kairos. 1999