Como regular as emoções negativas de maneira eficaz?

· dezembro 1, 2017

Você já parou para pensar alguma vez em como tende a reagir quando se sente mal? As suas atitudes realmente ajudam a diminuir o mal-estar? A verdade é que, às vezes, nós não sabemos regular as emoções negativas de maneira eficaz. Ou, pelo menos, quando conseguimos, ainda temos uma grande margem para melhorar.

Vamos analisar um exemplo: quem não conhece alguma pessoa que, após uma separação dolorosa, começou a ir para festas para, assim, superar a tristeza e a raiva que sentia? Pode ser que, no primeiro momento, tenha conseguido se distrair. Mas, a longo prazo, isso ajudou a resolver alguma coisa? Ou, em vez disso, o bem-estar foi recuperado ao colocar em prática outro tipo de estratégia?

“A pessoa emocionalmente inteligente tem habilidades em quatro áreas: identificar emoções, usar emoções, entender emoções e regular emoções.”
-John Mayer-

Classificando as diferentes formas de regular as emoções negativas

A regulação emocional engloba um conjunto de processos. Através deles, as pessoas exercem influência sobre as nossas emoções. Mais especificamente sobre quando as temos e sobre como as sentimos e as expressamos. Ou seja, diz respeito a como nos comportamos. Essa maneira de se comportar pode ser adaptativa (benéfica e funcional) ou desadaptativa (disfuncional). Mas como saber quais nos ajudam e quais não?

Antes de responder a isso, vamos conhecer as diferentes formas de regular as emoções que colocamos em prática. Por um lado, podemos tentar regular as emoções negativas colocando em prática estratégias ativas. Algumas delas são: a reavaliação positiva da situação, o planejamento do que precisamos fazer, buscar o desenvolvimento pessoal, tentar resolver o problema ou expressar o que sentimos.

Mulher sendo consolada por sua amiga

Por outro lado, podemos usar outras estratégias mais passivas, como nos conformar com a situação, reagir de maneira depressiva ou deixar ir, sem tentar resolver. Por fim, há as estratégias evitativas, nas quais se tenta negar, se distanciar ou se desconectar mentalmente do ocorrido e até mesmo colocando em prática respostas paliativas que combatem a ansiedade, e não a causa (como comer ou beber para se sentir melhor).

“Não podemos esquecer que as pequenas emoções são os grandes capitães da nossa vida, e as obedecemos sem nos darmos conta.”
-Vincent Van Gogh-

Quais maneiras de regular as emoções negativas não nos ajudam?

As estratégias disfuncionais de regulação emocional nos deixam mais instáveis emocionalmente. Além disso, fazem com que as emoções negativas adquiram protagonismo e permaneçam em nós. Os resultados dessa falta de regulação podem ser bem variados, mas nenhum deles é positivo. Falamos de problemas de controle da raiva, da ansiedade ou da depressão.

Como já falamos, dentro desse baú de estratégias ruins, temos as estratégias evitatitas e as estratégias passivas. Quando nos sentimos mal, é contraproducente tentar negar o que aconteceu. Mas há uma exceção. Quando uma notícia provoca um impacto emocional muito forte, nesses casos, essas estratégias podem servir nos primeiros momentos como um muro de contenção para esse impacto emocional. No entanto, até mesmo nesses casos uma hora devemos abandonar essas estratégias e adotar outras.

Também não vai ajudar em nada ficar dando voltas ao redor do assunto, se concentrando em como estamos mal e sentindo pena de nós mesmos. O autoconhecimento do nosso estado, quando ele está negativo, nos fornece informações para agir. No entanto, se transforma em um perigo para nós quando caímos na tentação de ficar presos a ele e não agir.

A mesma coisa acontece quando tentamos nos desvencilhar do que acontece consumindo álcool, drogas ou comendo em excesso. Todas essas estratégias afastam a sensação de mal-estar por alguns momentos. No entanto, é apenas um curativo que vai sair em breve, de maneira que depois vamos precisar de outro maior ainda. A verdade é que nenhuma dessas estratégias nos ajuda a regular as emoções negativas eficazmente. Pois, com o tempo, faz com que elas se mantenham e se intensifiquem.

“Uma emoção não causa dor. A resistência ou a supressão de uma emoção causa dor.”
-Frederick Dodson-

Quais são as maneiras de regular as emoções negativas que realmente nos ajudam?

Se esse tipo de estratégia não nos ajuda a regular as emoções negativas… Quais seriam as estratégias adequadas? São aquelas que envolvem o enfrentamento ativo do que aconteceu conosco. Entre elas, a capacidade de reinterpretar a situação de forma positiva é uma das mais importantes. Assim como buscar uma solução para o problema e colocá-la em prática. Parar para pensar, mas sem se deixar ficar na inércia.

Mulher olhando por janela de grades

Além disso, também pode servir de ajuda encontrar fontes de emoções positivas que restabeleçam o equilíbrio desfeito. Por outro lado, é importante ser capaz de expressar as emoções e buscar apoio social. E então, assumir a responsabilidade de que está nas nossas mãos o compromisso com a decisão final.

A verdade é que colocar em prática essas estratégias de regulação emocional pode significar um esforço extra em um primeiro momento, pois envolve ações diretas da nossa parte, mas que são necessárias para não deixar as emoções negativas se tornarem algo crônico nas nossas vidas… Aprenda a regular as emoções negativas de maneira eficaz!

Imagens cortesia de Cristopher Windus, Daniel Páscoa e Matthew Henry.