A comunicação bem-sucedida segundo Paul Watzlawick

· agosto 16, 2018

Paul Watzlawick foi um psicólogo e pesquisador austríaco que propôs cinco axiomas para alcançar uma comunicação bem-sucedida. Ele é considerado um dos mais importantes teóricos contemporâneos da comunicação. Ele também fez grandes contribuições para a psicoterapia aplicada ao âmbito familiar.

Desde 1967, Paul Watzlawick começou a trabalhar no tema da comunicação bem-sucedida. Ele achava que esse aspecto era fundamental para entender e melhorar as relações humanas, principalmente nas famílias. De lá, nasceram seus cinco axiomas, também conhecidos como ‘teoria interativa’.

“A crença de que a própria visão da realidade é a única realidade é a mais perigosa de todas as ilusões”.
-Paul Watzlawick-

Paul Watzlawick também foi um escritor muito prolífico, publicou 18 livros e cerca de 150 artigos acadêmicos. Ele desenvolveu suas pesquisas no Instituto de Pesquisa Mental da Universidade de Palo Alto (Califórnia, EUA) e também foi professor de psiquiatria na Universidade de Stanford. Estes são seus cinco axiomas e também os princípios fundamentais da comunicação bem-sucedida.

É impossível não se comunicar

O primeiro axioma da teoria de Watzlawick destaca que é impossível não se comunicar. Todo ser humano se comunica desde o nascimento. Não se pode escapar disso. Mesmo que não fale, seu corpo sempre estará dizendo alguma coisa.

O olhar, a postura, a expressão do rosto e do corpo são formas de manifestar o que há no pensamento. O próprio silêncio ou a quietude são maneiras de comunicar uma mensagem. Portanto, a comunicação é algo inerente ao ser humano.

Comunicação bem-sucedida no trabalho

Conteúdo, relação e pontuação

O segundo axioma de Watzlawick destaca que toda comunicação possui dois níveis: um de conteúdo e outro de relação. Em outras palavras, uma mensagem adquire seu significado pelo que é dito, mas também pelo vínculo existente entre as duas pessoas que se comunicam. Chamar alguém de “bobo” pode ser uma ofensa, uma piada ou até uma manifestação de afeição. Tudo depende do contexto.

O terceiro axioma fala sobre a pontuação, ou o modo como ela flui ou interrompe a comunicação entre duas pessoas. Cada parte contribui para dar continuidade, modular ou ampliar o intercâmbio que ocorre com a comunicação.

Analógica e digital – Simétrica e complementar

O quarto axioma de Watzlawick sugere que existem dois tipos básicos de comunicação: a digital ou verbal e a analógica ou não-verbal. Portanto, não apenas o que é dito tem influência, mas também a forma como é dito. Isso constitui a mensagem completa.

Axiomas da comunicação bem-sucedida

Entretanto, o quinto axioma destaca que a comunicação pode ser simétrica ou complementar. A simétrica é a que ocorre entre iguais. A complementar é a que ocorre verticalmente, isto é, entre alguém que tem poder e outro que não tem.

A comunicação bem-sucedida

Todos esses axiomas permitiram a Watzlawick estabelecer os parâmetros da comunicação bem-sucedida. Ela ocorre quando os axiomas funcionam corretamente e as pessoas conseguem sintonizar os temas e os tons com os quais estão falando.

Particularmente, fala-se de uma comunicação bem-sucedida quando esses critérios são cumpridos:

  • O código é correto. A mensagem é dita ou manifestada com as palavras e as expressões que realmente dão a entender o que quer ser dito. Uma declaração de amor não é feita a partir de uma equação.
  • Evitam-se alterações no código dentro do canal. Em outras palavras, expressões, palavras ou gestos imprecisos não têm vez. Busca-se a precisão.
  • Tem-se em mente a situação do receptor. Ao dizer algo, compreendem-se as características e a situação de quem vai ouvir ou ler. Não se fala da mesma maneira com um adulto e com uma criança, por exemplo.
  • Analisa-se o quadro no qual se encontra a comunicação. Leva-se em conta o contexto. Ou seja, pretende-se que a comunicação seja coerente com a situação em que ocorre. Por exemplo, evitar uma piada em um funeral.
  • A pontuação na sequência de eventos é bem definida. Isso significa que a comunicação tem um ritmo adequado. As pausas se alternam com as manifestações de cada um dos envolvidos no tom propício.
  • A comunicação digital concorda com a comunicação analógica. Ou seja, a linguagem verbal é coerente com a linguagem não verbal.
  • O comunicador tem um bom receptor. Os envolvidos sabem como falar e também escutar.
Paul Watzlawick

Watzlawick aponta que a comunicação falha, basicamente, quando as pessoas não conseguem se afastar de seu próprio ponto de vista. Nesse caso, rompe-se a escuta e fica impossível abrir caminho para o entendimento.