Conhecer minha vulnerabilidade me permitiu avançar

· agosto 11, 2016

A vulnerabilidade é o que nos torna seres únicos, e sobretudo pessoas. Ao reconhecermos nossas fraquezas aceitamos nossa condição de seres humanos.

No entanto, muitas vezes no empenhamos em ocultar tudo aquilo em que nos sentimos fracos e em não reconhecer isso, mostrando aos demais uma forma pouco autêntica de nós mesmos.

Quando escondemos tudo aquilo que somos caímos no autoengano, na negação de nossa essência, perdendo assim a conexão com as outras pessoas.

De alguma forma, existe em nossa cultura um modelo de conduta que nos leva a ocultar nossas fraquezas, onde temos que aparentar algo que os outros esperam e acreditamos que precisamos sempre nos esforçar para sermos os melhores.

Mulher enfrentando sua vulnerabilidade

O que significa ter que ser o melhor?

Quando desempenhamos nossos papeis cotidianos, tanto no âmbito profissional quanto no pessoal, nos propomos a ser os melhores custe o que custar…

Esta crença é o dia a dia de muitas pessoas que vivem sob a fantasia de que suas vidas consistem em ter que ser os melhores no que consideram importante.

A realidade coloca cada um em seu lugar, mostrando nossas limitações e nossas dificuldades. Tudo isso em seu conjunto, dentro de circunstâncias que vão variando constantemente e que não podemos controlar.

Assim, a vida nos dá o golpe, nos freia e faz com que levantemos. A chave e o objetivo não é sermos os melhores em uma ou outra coisa, já que desta forma estamos caindo também na competitividade e nas comparações com os demais.

Isso nos leva até o extremo da autoexigência, sem que tenhamos consideração alguma por nós mesmos e com nosso próprio processo de aprendizado.

Até podemos perder a perspectiva de nossas prioridades essenciais na vida e seguirmos rumo à desconexão com nós mesmos, onde não sabemos o que queremos e onde vamos.

Aceitando nossa vulnerabilidade

Aceitar a própria vulnerabilidade diante de si mesmo e dos demais requer coragem, já que supõe aceitar-nos da forma como somos: com nossas feridas, assuntos pendentes e erros cometidos.

Mulher aceitou sua vulnerabilidade

Assim começa todo um processo que nos leva a realizar um verdadeiro desenvolvimento interno, através do qual podemos amar a nós mesmos de forma incondicional e obter assim um estado de maior bem-estar e paz interior.

Este processo pode ser iniciado através da definição de objetivos que nos façam avançar e reconhecer nossa condição como seres humanos.

  • Vivemos sob condições e circunstâncias que, muitas vezes, não podemos controlar.
  • Em nossa vontade está fazer as coisas da melhor forma que podemos, descobrindo e fortalecendo nosso potencial.
  • Considerar que cada pessoa tem seu ritmo, contexto, circunstâncias, dificuldades, prioridades, etc.
  • Dar o melhor de si mesmo é a melhor forma de avançar, crescendo e superando a si próprio sempre.
  • Quando aceitamos nossas limitações sem criticar a nós mesmos, somos capazes de nos compreender e nossa atitude se torna mais compassiva e honesta.
  • As próprias limitações só podem ser superadas se forem reconhecidas.

Mostrando nossa autenticidade

No desenvolvimento rumo à aceitação de nossa vulnerabilidade nos encontramos com nós mesmos e obtemos, assim, acesso a nossa autenticidade, facilitando a conexão com as demais pessoas.

Ao conseguirmos aceitar nossas dificuldades, sem medo de sermos rejeitados, sem medo de nos expormos por parecermos fracos, tiramos as máscaras que costumamos usar, com as quais mantemos relações superficiais.

É aí que nos aproximamos de uma forma mais natural da realidade, podendo manter relações mais honestas e autênticas.

“Aceitar nossa vulnerabilidade em vez de tentar ocultá-la é a melhor maneira de se adaptar à realidade.”
-David Viscott-

Aceitando nossa vulnerabilidade conseguimos ser mais humanos, admitindo assim nossas imperfeições e, como consequência, também as dos demais.

Afastamos de nós a arrogância e a superioridade, sem acharmos que estamos acima de ninguém. Afinal, é muito pretensioso querer ser o melhor e ficar obcecado por esta ideia, perdendo nossa vida nesta busca incessante.

Superamos nossos medos e nossas limitações com a aceitação, conseguindo mostrar-nos como somos, para que sejamos sempre a melhor versão de nós mesmos.