Os benefícios da convivência entre animais e bebês

Os benefícios da convivência entre animais e bebês

Abril 14, 2018 em Psicologia 0 Compartilhados
Os benefícios da convivência entre animais e bebês

Esperamos com entusiasmo e alegria a chegada de um bebê, mas também com muitos medos e dúvidas. Uma preocupação comum tem a ver com a convivência entre animais e bebês. Pensamos em todos os perigos que podem advir dessa convivência, sem prestarmos atenção aos benefícios que ela pode proporcionar.

No entanto, o sucesso deste relacionamento dependerá, em grande parte, de que não nos esqueçamos do nosso animal de estimação. Se continuarmos cuidando das suas necessidades físicas e emocionais, não haverá razão para não se formar uma das primeiras e mais belas relações de amizade que um bebê poderia ter.

Os benefícios de animais e bebês crescendo juntos

Quando os animais e os bebês crescem juntos, os benefícios são incontáveis. Os pais que têm a oportunidade de desfrutar dessa relação serão agradavelmente surpreendidos todos os dias. Estes são alguns dos benefícios que os animais trazem para o desenvolvimento dos bebês.

Estimulação sensorial

Os bebês estão muito interessados em explorar e investigar o mundo, e os animais são uma agradável fonte de estímulos. Com eles, os conhecimentos que extraem das suas primeiras “experiências” com o mundo tornam-se mais ricas. Brincar com um amigo proporciona experiências mais variadas, excitantes e divertidas.

Desta forma, a agilidade é treinada pelas tentativas do bebê de seguir visualmente o animal e, em seguida, movendo-se até ele. Além disso, descobrirá novas texturas no corpo do animal de estimação… texturas que ele vai adorar acariciar.

Bebê com cachorro no sofá

Afetividade e empatia

Os animais são extremamente sensíveis aos bebês, pois sabem que ele é um ser frágil e indefeso que precisa de delicadeza e proteção. Em diversas ocasiões ouvimos notícias de animais que salvam bebês, que os protegem de acidentes fatais ou que cuidam deles em situações extremas. Isso não é ficção: o instinto dos animais os leva a preservar a vida dos filhotes.

Os bebês aprendem a receber carinho e cuidar dos animais de estimação. Eles aprendem a interagir com esses membros da família com quem compartilham tempo e espaço. Animais e bebês aprendem a cuidar um do outro; a amar e demonstrar carinho de uma forma muito espontânea.

Além disso, diferentes estudos comprovam que as crianças que crescem com cães e gatos são emocionalmente mais inteligentes e compassivas. Um estudo com crianças entre três e seis anos de idade demonstrou que as crianças que têm animais de estimação são mais empáticas em relação aos animais e outros seres humanos.

Autoestima

Quando os pais envolvem as crianças e os bebês no cuidado dos animais de estimação, elas se sentem mais capazes e competentes, reforçando assim a sua autoestima. O fato de estar cuidando de um animal de estimação (tanto dentro da família como na sala de aula), proporciona às crianças um novo e importante senso de responsabilidade, além de aumentar significativamente a sua autoestima.

De acordo com Nienke Endenburg e Ben Barda, “se há animais de estimação em uma casa e pais e filhos cuidam deles regularmente, as crianças aprendem cedo como cuidar e alimentar um animal que depende deles”. É por isso que atualmente, em muitos países, as aulas de educação infantil têm um animal de estimação na sala de aula. A responsabilidade de cuidar de um animal faz surgir nas crianças sentimentos de segurança e aceitação de si mesmas.

Saúde

Os animais ajudam os bebês a desenvolverem um sistema imunológico mais forte, o que os tornará mais preparados para enfrentar diferentes doenças.

Pesquisadores da Universidade da Finlândia realizaram um estudo interessante para a revista “Pediatrics”, que concluiu que bebês com menos de um ano de idade que convivem com cães ou gatos têm 30% menos probabilidade de sofrer de tosse, rinite ou febre. Além disso, o mesmo estudo revela que a probabilidade desses bebês contraírem infecções de ouvido é reduzida pela metade.

Bebê dormindo com gato

Desenvolvimento da linguagem e desenvolvimento cognitivo

O fato de pais, mães e cuidadores conversarem com o bebê terá um impacto muito positivo, tanto no desenvolvimento cognitivo quanto na aquisição da linguagem. É importante dedicarmos um tempo para conversar com o bebê, lhe transmitir afeto através de carícias e palavras. No entanto, muitas vezes ignoramos a comunicação existente entre animais e bebês.

Quando animais e bebês crescem juntos, a comunicação entre eles é constante e extremamente enriquecedora. O bebê tentará se comunicar e encontrará no seu parceiro um receptor sempre disposto a ouvir e responder. Tanto é assim que estudos nesse sentido nos dizem que ter um animal de estimação facilita o desenvolvimento da linguagem e melhora a capacidade futura do bebê no campo da comunicação.

As crianças extraem muita informação da realidade brincando e interagindo com os animais. Algo que, por sua vez, estimula o desenvolvimento cognitivo dos pequenos, além de elevar o coeficiente intelectual que terão no futuro.

Sociabilidade

Os animais representam uma forma de vivenciar o mundo físico e social, à medida que respondem às suas primeiras verbalizações, expressões corporais, movimentos e toques.

Segundo Amparo Fortea, “vários estudos mostram que as crianças que interagem com animais saudáveis têm menos problemas de adaptação, são mais responsáveis e têm um sistema imunológico mais forte”. Algumas pessoas dizem que bebês e crianças que crescem com animais de estimação são mais felizes.

Em qualquer caso, o fato de ter desenvolvido e fortalecido as habilidades anteriormente mencionadas faz com que os bebês que cresceram com animais estabeleçam relações sociais com facilidade e desenvolvam laços mais fortes e profundos.

Família

Com o tempo, os bebês observam que há coisas que mudam infinitamente, enquanto outras permanecem. As pessoas, a família, são os pontos de apoio mais sólidos na vida das crianças. E é dentro desta família que elas incluem os animais. Eles são uma fonte de segurança e cumplicidade para as crianças.

Os animais, por sua vez, se sentem responsáveis pelo cuidado e proteção dos bebês. Às vezes isso pode ser estressante para eles no início. Então, dependerá da nossa administração para que eles vivam essa mudança da melhor maneira possível. No entanto, uma vez adaptados à mudança, descobrirão outra pessoa para amar. Outra pessoa que o ama; alguém com quem brincar e compartilhar.

Bebê brincando com cachorro

Não é suficiente querer que o seu bebê cresça com animais

Não basta querer que o seu bebê cresça com um animal de estimação. É essencial assumir a responsabilidade envolvida, entender os seus direitos, necessidades e garantir o seu bem-estar. Um animal requer tempo, dedicação e cuidados. Nesse sentido, precisamos ser sensatos e coerentes, porque eles merecem o melhor.

Os animais nos ensinam responsabilidades, emoções e consequências. Os animais nos ensinam o que é família, o que é amor. Os animais se entendem com os bebês porque ambos se comunicam através da inocência, da incondicionalidade e da ternura. O privilégio de crescer com um ou vários animais, independentemente de quantos anos tenhamos, não tem preço. Definitivamente, os animais nos tornam pessoas melhores.

Recomendados para você