Cores e personalidade: como se relacionam?

junho 26, 2019
A preferência por certas cores costuma estar relacionada a determinados padrões de personalidade. Aprenda sobre esse interessante vínculo na psicologia humana.

Apesar de um grande número de pessoas pensarem que as cores não têm relação com os sentimentos, as opiniões ou os comportamentos, existem muitas outras que acreditam firmemente na relação entre cores e personalidade.

De fato, certamente são poucas as pessoas que escolhem uma cor que lhes desagrada para, por exemplo, se vestir ou pintar as paredes de um cômodo.

Sem ir muito longe, quase todas as pessoas afirmam ter uma ou mais cores preferidas. No entanto, se forem questionadas sobre a razão dessa preferência, pouquíssimas seriam capazes de explicar.

Portanto, parece que existe algo inerente ao indivíduo que mantém um vínculo idiossincrático com as preferências por uma cor ou outra. O campo de estudo da psicologia das cores é responsável por se aprofundar nesse assunto.

Explosão de cores

Cores e personalidade: diferenças entre indivíduos

Cada pessoa percebe as cores de formas diferentes e lhes outorga significados também distintos.

Não são somente as diferenças funcionais no sistema perceptivo-sensorial que podem constituir diferenças na percepção cromática – ainda mais se existem alterações como o daltonismo –, mas a história de vida de cada pessoa também tende a associar tonalidades emocionais diferentes a cada cor percebida.

Por isso, tentar deduzir regras comuns e de observação replicável entre diferentes pessoas pode ser bastante complexo. Inclusive, seria mais complicado ainda devido aos seguintes fatos relacionados:

  • Uma mesma cor tem diferentes versões – algumas mais frias, outras mais quentes – que podem estimular tipos variados de reações emocionais na pessoa mesmo se tratando da mesma cor.
  • Por vezes, existe uma dissociação entre os valores e as preferências. Uma pessoa pode escolher uma cor determinada para um contexto, ao passo que pode preferir outra diferente para outra situação. Por exemplo, a cor preta pode ser sinônimo de classe e elegância para algumas pessoas, sendo que para outras está relacionada com a escuridão e o luto.

“Deixe-me, deixe-me mergulhar minha alma nas cores. Deixe-me engolir o pôr do sol e beber o arco íris”.
-Khalil Gibran-

Estudo da relação entre cores e personalidade

Na maioria dos casos, a cor dos objetos influencia de maneira evidente as escolhas das pessoas. No entanto, não existem muitas evidências científicas que confirmem esse fato, visto que grande parte das conclusões dos estudos é resultado de evidências circunstanciais.

“A cor deve ser pensada, sonhada, imaginada”.
-Henri Matisse-

Assim, apesar de não existirem bases científicas sólidas que validem a relação entre as cores e a personalidade, existem alguns princípios e fenômenos aceitos globalmente no âmbito psicológico.

Por exemplo, há um certo consenso quando se afirma que as cores de preferência de uma pessoa refletem, em certa medida, seu estado psicofísico e cognitivo.

Por outro lado, alguns profissionais da psicologia interessados nesse tema propõem que, em geral, não é positivo evitar uma cor. Pelo contrário, eles afirmam que é recomendável tentar incorporar um pouco de cada cor, já que isso indicaria um maior equilíbrio psicoafetivo.

Diga qual é a sua cor e lhe direi qual é a sua personalidade

Tudo parece indicar que a maioria das pessoas costuma preferir a escolha de uma cor ou outra de acordo com diferentes aspectos de seu dia a dia, seja para uma peça de roupa, um elemento de decoração, um alimento, entre outras coisas.

Portanto, seria possível inferir que as regularidades da escolha das diferentes cores são o reflexo de regularidades da personalidade, e que é aí que reside a união entre ambos.

O que a psicologia das cores evoca é que mudanças drásticas na escolha de uma cor ou outra dependem do estado de humor de uma pessoa e de suas dinâmicas de vida.

Por outro lado, foi levantada a hipótese de que a mudança de uma cor preferida pode responder à necessidade de recorrer à nova cor como ajuda para o desenvolvimento de novas qualidades, a fim de enfrentar as circunstâncias que mudaram.

“A cor é vida porque um mundo sem cores nos é apresentado como morto. As cores são as ideias primordiais, os filhos da luz”.
-Johannes Itten-

O efeito das cores na personalidade

A cor da personalidade e as características pessoais

Para finalizar, vamos apresentar alguns atributos de personalidade que a psicologia, ao longo dos anos, tem associado a cores específicas:

  • Vermelho. Sugere força de vontade, ambição e energia.
  • Azul. Delimita uma tendência à manutenção de um conjunto fixo de princípios e valores, e o desejo de viver de acordo com os mesmos.
  • Amarelo. Pode indicar uma personalidade sonhadora e perfeccionista.
  • Verde. Sugere uma clara preferência pela segurança e pelo reconhecimento.
  • Laranja. Pode indicar o desejo constante de interagir com os outros e passar tempo com as pessoas.
  • Preto. Relaciona-se com a força de vontade e a independência.
  • Marrom. Sugere preferência por uma vida simples e pela formação de fortes vínculos de amizade.
  • Branco. As pessoas com essa tipologia de personalidade buscam a simplicidade, a abertura e a pureza.