Corra! – Entre a comédia e o terror

março 5, 2019

O filme Corra! foi um sucesso de bilheteria. O cineasta Jordan Peele – um dos membros da popular dupla Key & Peele – começou a ganhar uma reputação muito além de sua fama como YouTuber. Em seu canal, Key & Peele se dedicam a produzir vídeos de crítica social e política com um tom despreocupado.

Corra! é o primeiro longa de Peele, e recebeu críticas muito positivas. O filme, uma curiosa mistura de sátira e terror, fala sobre o racismo da sociedade norte-americana.

O filme narra a história de um jovem negro chamado Chris que vai visitar a família de sua namorada pela primeira vez. A namorada de Chris é uma jovem inteligente e bonita, mas, “acima de tudo”, muito branca. Ele se preocupa que o relacionamento inter-racial possa ser um problema para a família dela. Durante a visita, Chris descobrirá o sinistro segredo que sua namorada esconde.

Comédia ou terror?

O filme Corra! narra uma história muito assustadora, incluindo certas cenas que buscam o riso do espectador. Esta é a razão pela qual os críticos tiveram várias discussões sobre a qual gênero o filme pertence.

Por um lado, é certo que o filme é uma sátira do racismo que ainda existe na sociedade moderna. Por outro, Corra! toca elementos muito delicados da cultura, a discriminação e a violência contra minorias étnicas.

Assim, Corra! competiu em diversos festivais de cinema na categoria de comédia. Apesar disso, muitos críticos defendem que o filme poderia ter ganhado prêmios na categoria de filme dramático. Afinal, Corra! é, verdadeiramente, um filme de terror.

A controversa discussão em torno deste filme, e se ele se enquadra ou não nas categorias de drama ou comédia, alimentou outros debates. Alguns críticos de cinema se perguntam se não é hora de uma mudança. Eles sugerem que seja criada uma nova categoria que reúna filmes com um forte conteúdo dramático, mas que também carreguem cenas de comédia e leveza. O diretor, ciente da polêmica, disse no Twitter que Corra! é “um documentário”.

Corra!, um sucesso absoluto

O sucesso do filme Corra! é incrível por diversas razões. É o primeiro longa de um diretor jovem. Além disso, é um filme que, embora tenha toques de comédia, é principalmente um filme de terror.

Por outro lado, o filme arrecadou pelo menos US$ 30 milhões de dólares em seu primeiro fim de semana. Esse valor é ainda mais surpreendente ao confirmar que não tem atores muito conhecidos.

Corra! foi aclamado por críticos de cinema e também pelo público. Na popular página Rotten Tomatoes, Corra! obteve uma aprovação de 99%. Peele ganhou elogios de todos os espectadores, e com razão.

O filme toca de uma forma muito refrescante os estereótipos raciais nos Estados Unidos. A quantidade de clichês e problemas raciais mencionados no filme é surpreendente. Do tabu que as relações inter-raciais representam ao tráfico de escravos, ao racismo suburbano e à violência policial.

O que nos dá arrepios em Corra!?

O filme não é o primeiro a abordar um tema racial do ponto de vista do terror. Em 2012 estreou Deu a Louca nos Nazis, um longa que falava sobre o plano oculto dos nazistas de eliminar a raça negra depois da judia. No entanto, Corra! é muito mais arrepiante por uma simples razão: é mais próximo da nossa realidade.

Os nazistas são uma realidade longínqua para a maioria de nós. No entanto, Corra! apresenta personagens que podem ser encontrados no nosso dia a dia. Ela é uma estudante de sorriso adorável e de conversas inteligentes. A mãe dela é psiquiatra, enquanto seu esposo é um renomado médico. Todos parecem ser pessoas com vidas normais, sem nada que indique o horror que carregam consigo. Talvez esta seja a característica mais assustadora de todo o filme.

Cena do filme Corra!

Os vilões de Corra! não são nazistas em uniformes militares alemães. Eles nem sequer são nazistas com cabeças raspadas e jaquetas de couro. Nem são a nova direita alternativa, um movimento que se expandiu aos poucos nos Estados Unidos. Os vilões de Corra! são um casal aparentemente calmo de meia-idade.

Existem diversos cenários de violência rotineira contra pessoas negras. Esse tipo de violência que Peele apresenta, representado pelo casal de profissionais brancos de meia-idade, é muito real. São as pequenas cenas de racismo exercidas por aquelas pessoas que se dizem “inclusivas” que fazem desse filme uma obra-prima.

Corra! realmente capturou o que significa ser negro em um ambiente de peles claras. Peele empenha-se em apresentar os três modos pelos quais a pele negra é observada e apreciada: com fascinação, com “fetichização” e com medo.