Córtex pré-motor: características e funções

janeiro 12, 2019

O córtex pré-motor tem um papel fundamental quando aprendemos a tocar um instrumento, como o violão, quando aprendemos a dirigir ou quando adquirimos uma nova habilidade. Ele nos ajuda a elaborar e automatizar sequências de movimentos para executar uma tarefa corretamente.

Imagine que um amigo esteja contando sobre um evento negativo que aconteceu recentemente. O seu pai estava doente e morreu, mas ele não nos dá todas as informações: “meu pai estava muito doente e ontem …”.  Apesar dessa falta de informação, somos capazes de inferir o final da história e de nos colocarmos no lugar da outra pessoa.

Diferentes estudos indicam que o córtex pré-motor também está envolvido na empatia e nos neurônios-espelho. Você quer saber mais? Continue lendo!

Onde se localiza o córtex pré-motor?

O cérebro é dividido em quatro partes conhecidas como lobos cerebrais:

  • Lobo frontal.
  • Lobo occipital.
  • Lobo parietal.
  • Lobo temporal.

O córtex pré-motor está localizado no lobo frontal. Esse lobo é a estrutura cerebral mais recente na evolução do ser humano e está relacionado à necessidade de controlar e coordenar os processos cognitivos e comportamentais mais complexos.

Córtex pré-motor

Para contextualizar um pouco mais o córtex pré-motor, vamos revisar brevemente a estrutura do lobo frontal e suas principais funções. Este lobo é dividido em três grandes regiões: medial, orbital e dorsolateral. Essas regiões são, por sua vez, divididas em áreas: córtex frontal dorsolateral, córtex motor e pré-motor, córtex pré-frontal dorsolateral, córtex orbitofrontal e córtex frontomedial.

As principais funções do lobo frontal são: planejamento, controle de comportamento, flexibilidade mental, memória de trabalho, fluência na busca e atualização de informações, metacognição, mentalização ou capacidade de entender o que outra pessoa está pensando, comportamento social e cognição social (Flores-Lázaro e Ostrosky-Solís, 2018).

Funções do córtex pré-motor

Nadia Justel e Verónika Diaz (2012) concluíram em uma das suas pesquisas que “especificamente o córtex pré-motor e o cerebelo mostraram um papel fundamental no planejamento, preparação, execução e controle dos movimentos sequenciais dos dedos das mãos”.

Assim, os resultados desta pesquisa demonstram a importância do córtex pré-motor em tarefas como tocar um instrumento, dirigir e aquelas que requerem o uso de ambas as mãos.

“O jardim da neurologia oferece ao pesquisador espetáculos cativantes e emoções artísticas incomparáveis”.
-Santiago Ramón y Cajal-

Por outro lado, Pardo-Vázquez e Acuña (2014) investigaram o envolvimento do córtex pré-motor na tomada de decisões. Eles concluíram que esta é uma estrutura fundamental, uma vez que participa das diferentes etapas do processo de tomada de decisão com base na informação visual.

Os neurônios do córtex pré-motor não apenas codificam a informação, mas a comparam. E não apenas isso, através dessa codificação e comparação, reajustamos e adaptamos o nosso comportamento à medida que processamos essa informação, condicionando-a à situação.

A empatia e os neurônios-espelho também parecem ter seu lugar no córtex pré-motor. Foi demonstrado que os neurônios-espelho dessa área são ativados durante uma ação. Mas não apenas isso, eles ainda estão ativos quando parte da ação é ocultada, de modo que o final só poderá ser inferido. Qual é a importância dessa descoberta?

Dessa forma, fica provado que não nos relacionamos apenas com uma ação quando a vemos, mas geramos internamente no córtex pré-motor a representação motora de uma ação realizada por outras pessoas.

Isto nos permite entender os outros e suas intenções, o que está associado com a empatia ( Moya-Albiol, Herro e Bernal, 2010).

A influência do cérebro nas nossas interações

Conclusões finais

O estudo do cérebro representa uma grande dificuldade para os cientistas devido à sua complexidade, embora estejam constantemente atualizando os dados através de novas descobertas.

O córtex pré-motor, como as diferentes áreas do cérebro, continua sendo objeto de investigações científicas profundas e interessantes. Neste artigo, expusemos apenas as principais funções dessa área do cérebro. No entanto, não seria surpreendente se dentro de alguns anos ou mesmo em alguns meses pudéssemos obter mais informações.

“É necessário sacudir energicamente a floresta de neurônios cerebrais adormecidos; é necessário fazê-los vibrar com a emoção do novo e lhes infundir nobres e elevadas preocupações”.
-Santiago Ramón y Cajal-

Conhecer o nosso cérebro e saber como ele funciona nos dá informações muito úteis para aproveitarmos esse órgão tão complexo. Por exemplo, saber que nosso cérebro está se modificando gradualmente à medida que aprendemos uma nova habilidade poderá servir como motivação para não desistirmos quando começamos um novo aprendizado.

Dessa forma, apesar das dificuldades iniciais, sabemos que no nível mental estamos aprendendo e isso nos traz uma grande motivação. Então… procuremos aprender!