Crescer é aprender a dizer adeus

· julho 8, 2015

Dizem que crescer é aprender a dizer adeus.

Mas não um até logo, um talvez ou um até já. É uma despedida sem retorno, sem volta.

É um sonoro adeus e ponto final. É que é muito difícil colocar um ponto final, porque as reticências são mais fáceis de utilizar…

Deixar as coisas em  stand by, porque vai que… Dizer adeus é uma muito forte. Chegar a uma situação de não retorno nos angustia, pois está a nossa frente um horizonte de possibilidades ao qual dizemos adeus, e que não estará mais ali.

Um adeus daqueles que ressoam na alma. Daqueles que doem.

Eu nunca me atrevia a dizer adeus, mas não fazê-lo é deixar uma janela aberta à dor, à desilusão e ao desencanto. A esperança é a última que morre, mas se a causa estiver perdida, é melhor deixar ir, respirar fundo e soltar.

Dizer adeus a quem quebrou seu coração. A quem lhe rasgou a alma. A aquele que você diz até logo, porque é melhor sentir dor do que não sentir nada. Esse frio no peito aterroriza.  Nos deixa nus. Nos tira do chão.

E escolhe a incandescência da dor, da ira e da raiva.

Porque você não planeja dizer adeus. Você acredita que seus sentimentos só podem ser uma variação desses estados. O fogo, o frio. Porque você não conhece outra coisa. Porque não lhe ensinaram a se sentir de forma diferente.

Porque você não se atreveu a dizer adeus.

Você acredita que seu coração vai congelar e nunca mais voltará a se sentir quente. E lhe dou toda a razão. Que o melhor que pode acontecer é você nunca mais sentir esse ardor que consume. Que há outro estado, nem tão frio nem tão sufocante.

Um ponto médio, de calor suave, acolhedor.

Que não queima. Que não congela.

Que enche o peito e se estende até as pontas dos dedos dos pés.

E é ao dizer adeus que aparecerá alguém que lhe abraçará tão forte, que seu coração irá derreter de novo. Talvez não na semana que vem, nem no ano que vem; mas o momento chegará. Quando você aprender a dizer adeus de verdade, com todas as consequências. Então, aí, sua alma ficará livre para dar as boas vindas a alguém que lhe mereça de verdade.

Aprender a dizer adeus 2

Pouco a pouco você aprenderá a dizer adeus a aqueles que se aproveitaram de você, da sua amizade e da sua confiança. De quem não lhe dá o valor adequado. Adeus a essas pessoas que hoje estão aqui e que buscam estar à sombra de outras pessoas, porque são incapazes de irradiar luz.

Essas pessoas interesseiras, egoístas e tristes. Essas são as que merecem seu adeus. Mas aquele adeus sonoro e com ponto final.

Rodeie-se de pessoas que também aprenderam a dizer adeus, pois, com eles, você terá a certeza de uma amizade. Sofreram, choraram e deixaram ir.

Sabem o que querem, e o que é mais bonito, querem você ao seu lado.

Com seus defeitos, suas manias, mas querem você ao seu lado.

Quando aprender a dizer adeus, construirá relações verdadeiras e enriquecedoras.

Seu círculo se reduzirá, mas você não mudará nenhuma das pessoas que fazem parte dele, nem por todo o ouro do mundo.

Dizem que os amigos são a família que escolhemos. Dê adeus a aqueles que não podem ser chamados de irmãos.

O medo e a solidão, às vezes, nos fazem usar reticências… A dizer um “até logo” em vez de um “Não quero mais lhe ver”. Mas essa solidão é necessária para saber quem você quer que esteja à sua volta.

Talvez, por isso, mantenhamos relações ao longo da nossa vida que não contribuem, não nos fazem crescer, nem nos completam. O pior que pode acontecer é viver rodeado de gente, mas sentir-se só.

Com tanto ruído, você escuta os sentimentos com algumas interferências, como viesse de um rádio velho, mal sintonizado.

Escute a si mesmo. Afaste-se do ruído.

Seu tempo é valioso.

Não o desperdice com pessoas que não merecem.

Aprenda a dizer adeus. Libere-se dessas cadeias e abra espaço para novas recepções.