Desmistificando um curioso mito da maconha

A Universidade de Washington realizou um estudo para tentar apoiar ou desmistificar um mito: o uso da maconha aumenta a criatividade? A pesquisa produziu resultados interessantes.
Desmistificando um curioso mito da maconha

Escrito por Edith Sánchez

Última atualização: 17 fevereiro, 2023

A ideia de que fumar maconha aumenta a criatividade é bastante difundida. Talvez esse mito se origine do fato de que muitas pessoas no mundo da arte foram ou continuam sendo consumidores. O próprio Charles Baudelaire costumava dizer que as palavras mais simples, as ideias mais triviais, adquirem uma fisionomia estranha e nova depois de consumir haxixe.

Embora pessoas famosas como John Lennon, Bob Marley e até mesmo cientistas como Carl Sagan tenham estado entre os usuários de cannabis, o mito de que fumar maconha aumenta a criatividade parece não ter muito fundamento. Isso é corroborado por um estudo recente publicado no Journal of Applied Psychology.

Embora os próprios cientistas pensem que o assunto não está esgotado, e que mais pesquisas devem ser realizadas, a verdade é que as evidências disponíveis indicam que fumar maconha tem um impacto mínimo na criatividade e que isso só se aplica a algumas pessoas. Vamos ver o que a ciência realmente diz sobre isso.

cérebro criativo
“A cannabis provavelmente não o tornará mais ou menos criativo”. (Christopher Barnes).

Fumar maconha e ser criativo, uma investigação

A pesquisa publicada no Journal of Applied Psychology foi liderada por Christopher Barnes, psicólogo da Universidade de Washington. O objetivo era descobrir se fumar maconha nos torna mais criativos. Para verificar isso, ele usou 430 voluntários que eram usuários ocasionais de maconha.

Todos os participantes foram submetidos a um teste de criatividade entre 15 minutos e 12 horas após o consumo. Para tornar o processo mais eficiente, um segundo estudo paralelo foi realizado. Foram 191 voluntários que foram divididos em dois grupos. O primeiro grupo foi solicitado a fazer o teste de criatividade 15 minutos após o consumo. O segundo foi instruído a fazer o teste 12 horas depois de consumir a droga.

Além dos testes de criatividade, em diferentes momentos os participantes foram convidados a fazer um brainstorm. Ao final, uma banca de jurados pontuou as provas e as ideias que surgiram. Nenhum deles sabia qual voluntário estava avaliando; desta forma tentamos evitar qualquer tipo de viés.

Resultados da pesquisa

Os resultados mostraram que não houve diferença entre os participantes que responderam ao teste sob efeito de maconha, em comparação com os que estavam sóbrios no momento do teste. Portanto, concluiu-se que fumar maconha não influencia a criatividade.

No entanto, os pesquisadores descobriram que as pessoas sob a influência da droga tendem a superestimar suas próprias ideias, bem como as de outros participantes. Em outras palavras, eles sentiram que eles e os outros eram mais criativos, embora não fossem.

Isso também nos dá pistas para entender por que tantas pessoas se envolvem em atividades criativas e atribuem suas habilidades ao uso da maconha. Os cientistas acham que o humor positivo que a maconha promove na maioria das pessoas é um ponto de partida importante para ser mais criativo de qualquer maneira. Nesse caso, não é o consumo em si que fomenta a criatividade, mas a disposição positiva para criar.

lâmpada colorida
A maconha não torna os usuários mais criativos, mas mais propensos a superestimar suas ideias e pensar que eles são criativos, mesmo que não o sejam.

Outras investigações

As conclusões de Christopher Barnes são consistentes com outros estudos que analisaram a relação entre maconha e criatividade, embora com algumas nuances.

Uma pesquisa realizada em 2012 descobriu que o uso de cannabis estimulou levemente o pensamento divergente, o que é típico do pensamento criativo. No entanto, esse efeito só foi percebido naquelas pessoas que normalmente tinham dificuldade em inovar, sem que o efeito fosse muito significativo.

Outra pesquisa testou os efeitos da cannabis em três grupos: um recebeu THC (o ingrediente ativo da maconha), outro  uma quantidade mais pequena do mesmo produto e outro um placebo. Nenhum dos participantes sabia em qual grupo estava.

Uma série de testes foi então realizada para medir a criatividade. Os resultados indicaram que houve mais criatividade naqueles que consumiram baixas quantidades de THC ou placebo, do que naqueles que receberam altas quantidades de THC. De fato, neste último caso, houve uma notável redução na capacidade criativa. Até agora, portanto, não há evidências de que o uso da maconha nos torne mais criativos.


Todas as fontes citadas foram minuciosamente revisadas por nossa equipe para garantir sua qualidade, confiabilidade, atualidade e validade. A bibliografia deste artigo foi considerada confiável e precisa academicamente ou cientificamente.


  • Heng, Y. T., Barnes, C. M., & Yam, K. C. (2022). Cannabis use does not increase actual creativity but biases evaluations of creativity. Journal of Applied Psychology. Advance online publication. https://doi.org/10.1037/apl0000599.
  • Schafer, G., Feilding, A., Morgan, C. J., Agathangelou, M., Freeman, T. P., & Curran, H. V. (2012). Investigating the interaction between schizotypy, divergent thinking and cannabis use. Consciousness and cognition, 21(1), 292-298.
  • Kowal, M. A., Hazekamp, A., Colzato, L. S., van Steenbergen, H., van der Wee, N. J., Durieux, J., … & Hommel, B. (2015). Cannabis and creativity: highly potent cannabis impairs divergent thinking in regular cannabis users. Psychopharmacology, 232(6), 1123-1134.

Este texto é fornecido apenas para fins informativos e não substitui a consulta com um profissional. Em caso de dúvida, consulte o seu especialista.