Dez conselhos para que seu filho lhe obedeça – A mente é maravilhosa

Dez conselhos para que seu filho lhe obedeça

fevereiro 17, 2015 em Psicologia 11 Compartilhados

Uma criança que não obedece pode fazer qualquer adulto chegar no limite do autocontrole. Quando esse adulto é um pai ou uma mãe que deixou para atrás uma dura jornada de trabalho e tem pela frente uma dura jornada no lar, a tensão em casa se torna constante.

Por mais que esteja anunciado no título deste artigo, não há receita mágica para conseguir que a criança obedeça. Uma criança é, em si, uma pessoa com decisões próprias, e essas decisões costumam bater de frente com as ordens dos mais velhos. O que sim é possível é evitar que a criança ganhe todas as batalhas e tentar manter um clima em casa onde a calmaria vença as tempestades.

Vejamos estes dez conselhos básicos para conseguir que seu filho lhe obedeça:

1. A exigência de obedecer deve ser feita de forma gradual. Não se pode passar de zero a cem. É adequado começar pedindo obediência em tarefas que para eles são fáceis e agradáveis e, quando isto estiver estabelecido, subir para outro nível de exigência.

2. As instruções sobre o que a criança deve fazer devem ser simples e claras, sempre ditas em um tom normal e no seu nível (não do quarto ao lado e gritando).

3. Essas instruções devem ser dadas uma a uma, evitando dar muitas ao mesmo tempo.

4. A criança deve se acostumar a receber ordens uma ou duas vezes para serem obedecidas. Se passamos daí, o único que conseguiremos será alterar-nos emocionalmente. A partir da terceira ordem “não escutada”, terá a consequência à sua desobediência.

5. Temos que acompanhar a boa conduta da criança com elogios e, ocasionalmente, com pequenos prêmios. Elogiá-la e oferecer-lhe carinho quando faz as coisas certas são, de qualquer modo, o melhor dos prêmios.

6. Da mesma forma, as situações em que a criança não obedeça devem ter uma consequência (castigo, discussão, privar-lhe de algo que goste) mas nada mais, sem que obtenha uma atenção extra pela má conduta e se esteja todo o dia referindo-se a ela.

7. Em muitas ocasiões funciona bem empregar técnicas de conduta como a economia de fichas ou o cartão de pontos. Em lugar bem visível, serão colocadas as normas a serem cumpridas (poucas e simples) e os dias da semana: serão dados pontos positivos quando fizer o certo e negativos quando fizer o errado. Conforme a contagem semanal for positiva ou negativa, haverá prêmios ou não.

8. Evitar o castigo contínuo. As crianças se tornam imunes a ele. É mais adequado valorizar a boa conduta e ignorar a má, do que manter uma discussão constante.

9. Tentar evitar ao máximo inferências de outros familiares, informando-lhes sobre o que você está tentando conseguir e ser taxativo com o plano.

10. E o décimo? O décimo conselho bem podia ser o primeiro, o segundo, o terceiro: paciência, paciência e paciência. Um adulto paciente e controlado é o melhor espelho em que uma criança pode se olhar.

Fotografia cedida por Dmmalva.

Recomendados para você