Disciplina inteligente - A Mente é Maravilhosa

A disciplina inteligente

julho 30, 2016 em Psicologia 20 Compartilhados
Pai ensinando disciplina inteligente

A disciplina inteligente pode ser definida como aquela que permite que as pessoas se ajustem a pautas e normas saudáveis, de maneira consciente e em função do crescimento pessoal e coletivo.

É um tipo de disciplina que se transmite de maneira razoável e se separa da educação permissiva e da educação autoritária.

As consequências de uma educação permissiva são realmente nefastas, tanto ou mais do que as de uma educação autoritária.

As evidências indicam que se as crianças e os jovens não aprendem a ser ajustar à disciplina, têm grandes dificuldades para formar seu caráter e alcançar metas em suas vidas.

“A disciplina é a melhor amiga do homem, porque ela o leva a realizar os desejos mais profundos do seu coração.”
-Madre Teresa de Calcutá-

pais-filho-disciplina-inteligente

A educação sem disciplina dá lugar a traços de personalidade muito definidos: irresponsabilidade, rebeldia, desconsideração, egoísmo, transgressão e imaturidade. Por sua vez, a educação com disciplina excessiva pode produzir como resultado pessoas submissas, temerosas e inseguras.

O pior dos cenários é o que combina os dois enfoques: alternam-se a permissividade e o autoritarismo.

Este é o caso típico dos pais que se excedem em um castigo, ou na aplicação de uma regra, a tal ponto que humilham ou machucam seus filhos. Depois sentem culpa pelo que fizeram e então se tornam permissivos diante de outros aspectos para aliviar seu arrependimento.

Educação permissiva e educação autoritária

Antes de falar em detalhes sobre a disciplina inteligente, convém ter claros os traços que definem a educação permissiva e a autoritária.

As principais características da educação permissiva são as seguintes:

  • Não formula regras claras e definidas.
  • Quer agradar a criança ou o adolescente.
  • Justifica os erros e falhas das crianças.
  • Busca satisfazer todos os seus caprichos.
  • As exigências são muito básicas, nada que realmente desafie a criança.
  • Os castigos e sanções são perdoados ou negociados.
  • Permite-se que a criança tome decisões de acordo com seu próprio critério.
  • Pouca importância ao cumprimento de horários, à ordem e à conquista das metas.
  • Liberdade excessiva: a criança deve aprender sozinha com seus erros.

Enquanto isso, as principais características da educação autoritária são:

  • As regras são impostas sem explicações ou argumentos.
  • Qualquer transgressão das regras é castigada fortemente, sem levar em conta o nível de gravidade.
  • Pretende-se exercer e manter um controle absoluto sobre a vida da criança.
  • Os castigos são muito severos e, frequentemente, incluem agressões físicas e/ou psicológicas.
  • Há uma ênfase exagerada na ordem.
  • A criança não recebe estímulos, nem gestos de reconhecimento por suas conquistas.
  • A opinião da criança não é reconhecida e nem considerada a ponto de ter algum valor.

A educação permissiva geralmente obedece ao desinteresse ou à falta de personalidade dos pais. A educação autoritária costuma ser uma resposta aos traumas dos progenitores, ou à sua excessiva ansiedade e medo.

pai-e-filho-ensinar-disciplina-inteligente

Rumo a uma disciplina inteligente

A disciplina inteligente se define como aquela que é capaz de transmitir valores às crianças, ajudando-as a reconhecerem os limites e, com isso, aprenderem a renunciar aos desejos impossíveis.

O ser humano constrói muitas fantasias na vida em torno de seus desejos. No fundo de cada um de nós há um irremediável narcisista que quer estar no centro de tudo. Também há um egoísta que quer tudo para si. E um pequeno ditador que quer obter o que deseja sem importar se tem que passar por cima dos demais para conseguir.

No fundo, o que a disciplina faz é introduzir uma série de pequenas frustrações. Através da aceitação destes limites, as pessoas vão aprendendo que não estão sozinhas no mundo e que não podem obter tudo que desejam.

Este aprendizado, por sua vez, nos permite desenvolver estratégias de adaptação ao mundo. Isso implica o exercício da razão e da tolerância à frustração. Em outras palavras, a disciplina nos ensina a colocar os pés no chão.

A clareza e consistência na prática das regras nos permitem adquirir um princípio de realidade sólido. Isso, com o tempo, se traduz em segurança em nós mesmos e senso de valorização pelos demais.

A disciplina inteligente nos permite traçar metas e fazer o possível e o necessário para alcançá-las. Com isso, já temos uma bagagem emocional saudável que, certamente, nos permitirá ter menos problemas e mais conquistas na vida.

Alguns passos para implementar a disciplina inteligente são:

  • Fixar limites antes de regras.
  • Oferecer opções bem definidas na aplicação das regras.
  • Envolver a criança no momento de estabelecer uma nova regra, fazendo-a ver que sua opinião conta, mas que não é a definitiva.
  • Ter claros os valores que pretendemos transmitir.
  • Incentivar o desenvolvimento do autocontrole.
  • Explicar detalhadamente por que alguns comportamentos irritam os adultos e as demais pessoas.
  • Reconhecer a criança quando faz boas ações e coisas certas.
  • Não entrar em conflito de modelos disciplinares dentro da família.
  • Atuar imediatamente diante de um mau comportamento, sem deixar para depois.
  • Estabelecer claramente quais são as sanções ao quebrar uma regra e cumprir o que foi anunciado.

A disciplina inteligente forma pessoas livres e conscientes. Indivíduos que são capazes de tirar o melhor de si mesmos e que respeitam aquela velha máxima que é base para a convivência diária: “Seus direitos terminam onde começam os dos seus semelhantes.”

Recomendados para você