Dissipe a sua névoa cerebral com a ajuda da alimentação

· outubro 2, 2018

Talvez você já tenha experimentado uma sensação de confusão ou falta de clareza mental, algo como ter a sua mente nublada, dispersa e sobrecarregada. Esse fenômeno é conhecido como névoa cerebral. Além disso, geralmente é acompanhado por problemas de memória e dificuldade de concentração e articulação de palavras.

Excesso de trabalho, multitarefa ou abuso de substâncias (como álcool, tabaco ou drogas) podem causar essa sensação de névoa mental. No entanto, existem várias soluções para ajudar a dissipá-la.

Comer corretamente, dormir mais ou melhor, fazer exercícios regularmente ou relaxar são algumas delas. Outra solução pode ser a desintoxicação do organismo, já que as toxinas acumuladas pela poluição e a má alimentação influenciam esse estado cerebral. Vamos nos aprofundar.

O que você deve eliminar da sua dieta para dissipar a névoa cerebral

A primeira coisa que você deve eliminar da sua dieta é o que alguns nutricionistas chamam de venenos brancos. Os venenos brancos são o açúcar refinado e todos os adoçantes. Além disso, xarope de milho, arroz branco, farinha refinada e seus derivados também estão incluídos. Às vezes, também o sal refinado e até o leite pasteurizado.

Reduzir o consumo de açúcar

O fato de alguns desses produtos serem de origem vegetal não os torna saudáveis. Em vez disso, consuma alimentos integrais ou não refinados, além de eliminar da sua dieta qualquer produto que não possa ser considerado um alimento de verdade. Isso inclui produtos como adoçantes sem calorias, que podem ser ainda mais prejudiciais do que o açúcar.

Mas, por que é necessário eliminar esses produtos da dieta para dissipar a névoa cerebral? A principal razão é que o cérebro se alimenta de carboidratos. Os carboidratos refinados causam um aumento do açúcar que é muito estimulante, mas a redução da glicose é tão rápida que produz um estado de carência. Isso leva a alterações de humor, irritabilidade, fadiga, confusão e deterioração do julgamento, ou seja, névoa cerebral.

Outras relações entre os alimentos e a névoa cerebral

Evitar, tanto quanto possível, os alimentos com glúten também ajuda a dissipar as distrações e melhorar a concentração. Descobriu-se que o trigo piora os distúrbios cerebrais, como a esquizofrenia, o autismo e o TDAH. Embora a supressão do glúten possa causar sintomas de abstinência temporária, geralmente vale a pena.

Os aditivos alimentares também devem ser reduzidos da dieta. Muitos deles estão presentes, curiosamente, nos alimentos considerados saudáveis. Entre a longa lista de efeitos colaterais que eles têm, os aditivos alimentares podem causar névoa cerebral e outros sintomas relacionados ao cérebro. Alguns deles são dores de cabeça, alterações de humor, tonturas, ansiedade e depressão.

Finalmente, outra maneira de dissipar a névoa cerebral e melhorar a concentração é não consumir cafeína, ou pelo menos controlar o seu consumo. Café e chá oferecem muitos benefícios para a saúde e podem ajudar a mantê-lo alerta e concentrado. No entanto, a desvantagem da cafeína é que ela é viciante, então a sua falta pode levar a sintomas de abstinência. Estes incluem a névoa cerebral, dor de cabeça, fadiga, sintomas de gripe e até mesmo náuseas e vômitos.

O que comer para melhorar a função cerebral

Evitar a névoa cerebral não é tão complicado. Você precisa apenas seguir uma dieta natural e saudável. Embora existam muitas abordagens possíveis e certas controvérsias a esse respeito, a maioria dos especialistas concorda em alguns aspectos básicos.

As gorduras saudáveis ​​são um importante combustível para o nosso cérebro. Alimentos como nozes, abacate, óleo de coco, azeite extravirgem (não refinado), salmão, ovos e carne orgânica são muito bons para melhorar a função cerebral. Verificou-se também que as gorduras saturadas, como o óleo de coco ou a manteiga Ghee, são muito benéficas para a saúde do cérebro.

Salmão e azeite

Também é importante evitar a desidratação bebendo muita água e consumindo alimentos ricos em líquidos. O volume de água no cérebro chega a 75%, portanto, mesmo uma desidratação leve afetará a capacidade de pensar com clareza. De fato, é preciso apenas 2% de desidratação para que a atenção, a memória e outras habilidades cognitivas sejam afetadas.

Adicionar iodo à dieta também é uma boa maneira de prevenir a névoa cerebral. As algas marinhas são uma boa opção, pois são um dos alimentos mais ricos em iodo. Outra alternativa é consumir sal iodado.

Outro alimento interessante para promover a clareza mental são os mirtilos (frescos ou congelados). Alguns estudos publicados indicam que essas frutas silvestres têm um efeito benéfico na função cognitiva.

Como podemos ver, consumir esses alimentos pode não eliminar completamente a névoa cerebral, mas ajudará muito a reduzi-la. Além disso, produzirá outros benefícios na sua saúde que farão valer a pena se preocupar com esse aspecto.