Se eliminar duas palavras do vocabulário, sua vida pode mudar

Se eliminar duas palavras do vocabulário, sua vida pode mudar

Abril 29, 2018 em Psicologia 0 Compartilhados
Eliminar algumas palavras do vocabulário

A linguagem é um fator fundamental na nossa maneira de compreender a vida e de nos comunicarmos com o mundo. Dependendo de como a utilizamos, ela nos influenciará de um modo ou de outro a nível emocional e intelectual. Assim sendo, Bernard Roth assegura que eliminando duas palavras do vocabulário, nossa vida muda.

Isso tem sentido se prestarmos atenção ao fato de que, sem perceber, tendemos a usar frases feitas, sem saber como elas moldam nossa maneira de pensar e de ver a realidade. No entanto, é lógico pensar que, se mudarmos a nossa maneira de nos referirmos à realidade, nossa vida também pode mudar.

“As palavras são a configuração acústica das ideias”.
-Novalis-

Cuidado com algumas palavras do vocabulário

Bernard Roth é professor de engenharia da Universidade de Stanford e também diretor acadêmico do Instituto de Design Hasso Plattner. Este intelectual escreveu um livro chamado The Achievement Habit. Nele, menciona várias das fórmulas linguísticas que levam ao triunfo ou ao fracasso. A seguir lhe contaremos as duas mais importantes.

Sem o poder do “mas”, sua vida pode mudar

A palavra ‘mas’ é uma conjunção adversativa. Isso significa que ela serve para opor duas ideias, seja para qualificar alguma afirmação ou para ampliá-la ou confrontá-la. Se falada do ponto de vista psicológico, esta palavra é frequentemente usada para justificar, adiar ou impedir a ação.

Homem medindo suas palavras

Especialmente quando se utiliza em frases como “Sim, mas”, revela uma intenção de autossabotagem. É equivalente a criar obstáculos desnecessários ou fictícios para agir.

O que o professor Roth propõe é eliminar a palavra ‘mas’ do vocabulário usual. Ele sugere que sua vida pode mudar se você se desprender dela, já que te obriga a mudar sua perspectiva ao usá-la. A proposta é substituir esses mas pela conjunção e. Deste modo, em vez de dizer, por exemplo, “Quero trocar de parceiro, mas tenho medo de ficar sozinho”, se diria: “Quero trocar de parceiro e tenho medo de ficar sozinho”.

Porém, como sua vida muda mudando a maneira de dizer as coisas? Roth afirma que utilizar o mas te coloca diante de dois caminhos que são excludentes: ou segue um caminho ou segue o outro. Por outro lado, se você usar a conjunção e, verá as duas realidades simultaneamente, sem ser obrigado a escolher. Contempla o panorama de forma que não o força a escolher, mas o convida a ver as coisas de maneira mais objetiva e a não se sentir em uma encruzilhada.

A mudança de “tenho que” para “quero”

A segunda grande recomendação do professor Roth é mudar a expressão “tenho que fazer” pela expressão “quero fazer”. Quando você diz “tenho que fazer”, imediatamente se localiza no registro da obrigação. Isso em si é muito desmotivador. Implica que deseja uma coisa, mas deve fazer outra coisa, mesmo contra a sua vontade. Utilizar o tenho que causa um choque emocional.

Linguagem verbal

Bernard Roth salienta que, se você faz algo, nunca é porque realmente é obrigado a fazê-lo. De um jeito ou de outro, você escolheu fazê-lo. Então, eliminando a expressão “tenho que fazer” e substituindo-a por “quero fazer”, você está simplesmente admitindo sua responsabilidade para com a vida que leva. Vejamos alguns exemplos:

  • Substituir “Tenho que terminar esse trabalho para amanhã porque senão perco meu emprego por “Quero fazer esse trabalho para amanhã porque é uma maneira de manter meu emprego”.
  • Substituir “Tenho que ser tolerante com o meu parceiro porque senão pode se aborrecer comigo e me deixar” por “Quero ser tolerante com o meu parceiro porque é uma maneira de enriquecer a relação e ter mais bem-estar”.
  • Substituir “Tenho que fazer exercício porque estou engordado de uma forma horrível” por “Quero fazer exercício para me sentir mais confortável com o meu corpo”.

Toda vez que você muda o tenho que pelo quero, imediatamente se torna necessário trocar a perspectiva negativa por uma mais positiva. Ao mesmo tempo, elimina-se uma forte carga emocional. É por isso que sua vida pode mudar muito positivamente ao tirar essas palavras do vocabulário habitual. Por que você não pratica durante um mês e avalia os resultados?

Recomendados para você