Falar sozinho, um sinal de sanidade.

Falar sozinho, um sinal de sanidade

12, setembro 2015 em Psicologia 3970 Compartilhados
Falar sozinho

Quando éramos crianças, muitas vezes falávamos sozinhos ou expressávamos oralmente cada um dos nossos pensamentos. Isto é conhecido como “discurso privado”, e é um elemento essencial no nosso processo de crescimento e amadurecimento. Conforme crescemos e amadurecemos, o processo de pensamento é separado da fala e se internaliza.

Por que falamos sozinhos?

De acordo com a renomada professora e pesquisadora na área de desenvolvimento infantil Laura E. Berk, a necessidade de falar sozinho nunca desaparece. Na verdade, o discurso privado pode surgir naqueles momentos da vida em que temos que lidar com atividades que são muito duras ou desconhecidas. A nível psíquico, isto representa um recurso muito útil para adquirirmos novas habilidades e superarmos alguns desafios.

Falar sozinho? Isso não significa que eu estou com um parafuso a menos? Ou que estou ficando louco? De jeito nenhum. Esta prática pode até ser benéfica se você souber tirar proveito dela.

Falar sozinho não só alivia a solidão, mas também o deixa mais esperto. Mais esperto? Como? Muito simples: ajuda a clarear seus pensamentos, tomar decisões ou reafirmar as que você já tomou. Mas tenha em mente apenas uma coisa: falar sozinho só é benéfico se você falar com respeito.

Infelizmente, algumas pessoas são autocríticas e se maltratam. Elas dizem coisas como: “Você deveria ter percebido isso antes que…”, “Que idiota você tem sido” ou “Você deveria ter feito isso ou aquilo”. Falar desta forma é pior que o silêncio. Então, se este é o seu estilo, faça um esforço para parar com isso imediatamente. Você deve falar como se você fosse o seu melhor amigo, porque você é.

Aqui estão quatro maneiras de falar sozinho e que irão ajudá-lo a se sentir melhor:

1. Pensar sobre as suas opções em voz alta

Isso é útil, especialmente quando você está lutando para tomar uma decisão ou quando você estiver em uma encruzilhada e não sabe qual caminho escolher. Se você puder ouvir os seus pensamentos, você colocará as suas ideias em ordem mais facilmente; você vai ver mais claramente as alternativas possíveis e poderá tomar a decisão que fará com que você se sinta melhor ao final.

2. Motivação

É uma boa maneira de incentivá-lo a fazer as coisas que você não queria fazer, mas que são necessárias. Você poderá dizer, por exemplo, “Bom dia querida, que tal se hoje nós tirássemos o dia para limpar a casa?”, ou falar para o amigo “Cara, hoje, sem falta, você tem que ligar para o contador e pegar a papelada antes que seja multado “. 

3. Felicite-se

Por que esperar elogios dos outros? Se tudo o que você merece você pode sempre se dar? Elogie a si mesmo. Além disso, a maioria das pessoas não veem os seus pequenos sucessos, como quando você foi até à padaria e não comprou nada porque você decidiu perder peso, ou quando você finalmente lutou para terminar alguma tarefa a tempo e entregou-a no prazo. Você não merece um: “Bom trabalho!”? Claro, as crianças ouvem esse tipo de coisa o tempo todo, e os adultos raramente. Vamos corrigir isso agora!

4. Estabeleça objetivos

Suponha que você esteja tentando planejar suas férias. Estabelecer uma meta e fazer um plano (para onde ir, quando ir, etc.) poderá ser útil. Claro que você poderia apenas fazer uma lista dessas coisas, mas dizer isso em voz alta poderá ajudá-lo a focar a sua atenção, para reforçar a mensagem, controlar suas emoções e eliminar as distrações. Os atletas profissionais fazem isto o tempo todo, coisas como: “Mantenha sua cabeça para baixo, olhe para a bola, respiração profunda”, eles dizem. Se funciona para eles, por que não poderia funcionar também para você?

Mesmo sozinho, você sempre será uma companhia para si mesmo. Não deixe isso de lado; fale com você, mas sempre com respeito. E fique tranquilo, pois isso não é um sinal de loucura …

Esclarecimento: Às vezes falar sozinho, de fato, pode ser um dos sinais de alguma doença mental (juntamente com outros indicadores). No entanto, nesses casos, a pessoa muitas vezes também ouve vozes que respondem. Em outras palavras, a pessoa normalmente tem um diálogo com um interlocutor irreal. Além disso, essas mensagens são muitas vezes incompreensíveis ou têm pouca lógica.

Imagem cortesia de George Allen Penton

Recomendados para você