Feng Shui: a influência do lar em nosso bem-estar

· junho 18, 2017

Constantemente buscamos o bem-estar em todos os aspectos de nossas vidas. Com este propósito também construímos e decoramos nossos lares, embora às vezes não obtenhamos o resultado esperado.

Às vezes acontece que há lugares onde não é prazeroso estar e espaços onde não nos sentimos bem. Podemos habitar lares nos quais não ficamos confortáveis e que coincidem com o surgimento de problemas em nossas vidas. Por que isso acontece? O Feng Shui pode ter algumas respostas que nos ajudem a entender.

“Um lar que não está em harmonia é um obstáculo para o nosso sucesso, nossa vida pessoal, e inclusive a nossa saúde”.

O que é Feng Shui?

O Feng Shui é uma disciplina milenar originária da China. Seu objetivo é favorecer a energia positiva de nossos ambientes. Para alguns é uma arte e para outros uma ciência, mas o que é fato é que com sua aplicação ele nos permite melhorar nossa qualidade de vida.

O Feng Shui estuda como o que nos rodeia nos afeta, a influência tão poderosa que os espaços têm em nosso bem-estar e nossa saúde. São contemplados desde os elementos externos (bairro, edifícios, rios, montanhas…) até os elementos que estão dentro da casa (móveis, cores, localização de objetos…).

A importância do Feng Shui em seu lar

A energia vital ou “Chi”

Segundo a cultura chinesa, tudo que faz parte do mundo físico está dotado de uma “energia vital” chamada “Chi”. Esta energia vital também é denominada “Ki” ou “Prana”, dependendo do idioma e da cultura. Neste sentido, o Feng Shui se ocupa de aproveitar ao máximo o fluxo energético ou a corrente “Chi”.

Como condição essencial, a energia precisa de espaços organizados e claros para fluir livremente. O “Chi” se move de uma forma parecida com o ar que circula ao nosso redor. Seu fluxo e direção dependem dos objetos e das formas que encontra em seu caminho.

Se a energia que entra no lar flui harmonicamente, nutrirá de forma positiva os espaços e seus habitantes. Se, por outro lado, a energia é desequilibrada, também irá gerar desequilíbrio nas pessoas que habitam o espaço. Esta falta de harmonia gera nervosismo, intranquilidade, prejudicando a saúde e reduzindo a vitalidade.

É reconfortante saber que através das normas básicas do Feng Shui o indivíduo pode organizar e estruturar os espaços de modo que a energia flua com harmonia e ofereça equilíbrio às nossas vidas.

“A saúde, o humor e as relações melhoram em um entorno em equilíbrio”.

Algumas condições gerais para um lar Feng Shui

Estes são alguns dos conselhos gerais que potencializam o Feng Shui de nossos espaços e que, de maneira simples, podemos colocar facilmente em prática:

  • Deixar que a luz solar entre na casa. A luz natural é um gerador de energia.
  • Tentar que, em nosso lar, não existam espaços escuros ou fechados.
  • Manter as paredes com a pintura impecável, evitando manchas.
  • Os objetos decorativos da casa também devem ser positivos, nos agradar e despertar sensações de prazer.
  • Os corredores devem ser livres de obstáculos com boa iluminação. Devem ser fáceis de transitar.
  • Não se deve guardar objetos que não usamos mais ou que não nos servem. O mesmo ocorre com presentes que recebemos e dos quais não gostamos. É melhor se desprender deles.
  • Ter plantas saudáveis para se conectar com a energia da terra.
  • Purificar periodicamente a casa queimando incenso. Também se recomenda usar essências como alecrim ou lavanda, entre outras.
Decoração baseada no Feng Shui

O que devemos evitar ter em nossos lares

Segundo a cultura chinesa e o Feng Shui, todos os objetos têm energia própria. Todos os móveis, itens decorativos, eletrodomésticos, paredes, fotos, plantas… têm “Chi”. Por este motivo, é preciso avaliar quais objetos podem nos transmitir uma boa energia e quais não. Para isso, é aconselhável evitar:

  • Tapetes de peles de animais selvagens, animais dissecados, etc.
  • Flores murchas ou secas.
  • Roupas ou sapatos que não são mais usados ou que pertençam a pessoas que já faleceram.
  • Coleções de armas ou munições (geram energia agressiva).
  • Quadros, pôsteres ou qualquer imagem de dor, choro ou drama.
  • Móveis antigos ou de procedência duvidosa. Os móveis acumulam e contêm a energia das pessoas, situações e lugares onde estiveram anteriormente.
  • Coleções de antiguidades. Os objetos, assim como os móveis, também contêm um histórico energético dos lugares onde estiveram e de seus antigos donos.
  • Objetos (louças, espelhos) e móveis quebrados, velhos ou estragados. Nossos pertences representam o que acreditamos que merecemos. Um artigo quebrado ou envelhecido pode representar, reproduzir ou atrair uma falta de autoestima, de amor ou prosperidade.
  • Espelhos antigos. Os espelhos guardam a “memória” de todas as histórias que viveram.
  • Objetos e aparelhos eletrônicos que não funcionam ou funcionam mal. São elementos sem energia.
Móveis velhos

O que é recomendável ter em casa?

Em seguida vamos enumerar uma série de elementos que vão melhorar a energia que nosso lar desprende:

  • Plantas naturais com diversidade de flores e cores. As plantas eliminam as toxinas do ar e equilibram o “Chi” da casa.
  • Animais domésticos bem cuidados e atendidos. A cultura chinesa, com suas profundas raízes animistas, tem uma relação muito próxima com os animais por serem símbolo de qualidades não materiais como a força, a sabedoria, a longevidade, a fidelidade, etc. De acordo com o Feng Shui, os animais são curadores e equilibram nosso lar. É preciso cuidar deles com muito carinho, especialmente de sua saúde. Um animal doente pode estar alertando a respeito de um desequilíbrio na casa e estará roubando energia de seus habitantes.
  • Pôsteres, quadros, imagens agradáveis que nos inspirem emoções positivas.
  • Velas de cores quentes e vivas.
  • Esferas de cristal facetadas. Conhecidas como “esferas arco-íris” ou “bolas de Feng Shui”. Ativam e regulam as energias do lugar onde são colocadas.
  • Lâmpadas de sal do Himalaia. Cada uma das lâmpadas é uma obra única criada pela natureza. Elas purificam o ar neutralizando ondas nocivas emitidas pelos telefones celulares, eletrodomésticos, etc.
  • Fragrâncias de todo tipo. Fazem com que o “Chi” se mova por todo o ambiente. É preciso usá-las com moderação para que não oprimam ou perturbem.
  • Música suave, instrumental, sons da natureza, etc.

“Cuidar de nosso entorno é cuidar de nós mesmos”.

Não há dúvida de que nosso lar é nosso templo. É o lugar onde, depois de um dia de trabalho, recarregamos as energias, nossa “sede energética”. É o espaço onde recebemos as pessoas de quem gostamos, onde vivenciamos os momentos mais íntimos e reconfortantes com a família e os amigos.

Por isso é importante que este espaço esteja bem equilibrado e com energia positiva. Neste sentido, o acesso aos conhecimentos do Feng Shui faz com que todos possam habitar um lar em harmonia, um espaço que favoreça o nosso bem-estar e qualidade em todas as esferas de nossas vidas.

“Nosso lar é nosso santuário, é nosso reflexo e é o reflexo do que acreditamos que merecemos”.
-Louise L. Hay-