3 exercícios para fomentar o conhecimento emocional

· setembro 19, 2017

Você já se perguntou alguma vez o que é e como é possível fomentar o conhecimento emocional? Por que é importante desenvolvê-lo? O fato é que as emoções existem porque nos trazem uma informação valiosa, nos ajudam a nos adaptarmos às mudanças e melhoram nossa vida social. Contudo, será que sempre sabemos interpretar o que elas tentam nos dizer?

Para poder tirar todo o proveito das mesmas, é fundamental saber identificá-las e dar-lhes significado. Desta forma, saberemos por que aparecem e qual é o sentido de nos sentirmos de um jeito ou de outro nas diferentes situações.

“Conhecer a si mesmo é o princípio de toda sabedoria.”
-Aristóteles-

Iniciação no autoconhecimento emocional

Fomentar o conhecimento emocional é fundamental para ter uma boa inteligência emocional. Implica contar com critérios que irão nos permitir identificar e diferenciar as emoções, mas não só em nós ou nos outros, mas também entenderemos por que aparecem e como podem nos ajudar. Desta forma, o conhecimento e a experiência emocional são a base para poder controlá-las de forma eficaz e para que não provoquem um mal-estar excessivo.

Portanto, se temos pouco desenvolvido o nosso conhecimento emocional, as razões que expusemos são suficientemente valiosas para tentar melhorá-lo. Então, como podemos começar a conhecer a nós mesmos emocionalmente?

Pessoas desenvolvendo seu conhecimento emocional

Para isto, é possível começar fazendo um registro semanal durante uma ou duas semanas. Nele você anotará aquelas emoções que for vivenciando ao longo do dia, assim como as situações onde foram aparecendo. Desta forma, você conseguirá destacá-las e irá ganhando consciência de quais são as emoções que predominam. Este registro também permitirá perceber que muitas vezes vivenciamos emoções que são contraditórias.

Para afinar a capacidade de identificação é bom se fazer uma série de perguntas que deverão ser respondidas, como “Que emoção era?” ou “Como sei que se tratava dessa emoção?” Assim, você irá anotando os dados ou indícios que tiver observado e que tenham indicado que era uma ou outra emoção.

Fomentar o conhecimento emocional

Uma vez que tiver aumentado o seu conhecimento emocional, e que souber identificar suas emoções, será hora de tirar partido disso. O objetivo agora será compreender a função dessas emoções e como nos incitam à ação, além de entender que cada um tem certos pensamentos, emoções e intenções diferentes. Isto é, vamos fomentar este conhecimento emocional nas interações sociais.

Para isso, é possível trabalhar a compreensão em diferentes situações, desde aquelas em que não estamos envolvidos, como vídeos ou histórias alheias a nós, até conflitos onde tenhamos sido envolvidos e nos quais tivermos sentido certas emoções.

Uma vez identificadas a emoção e a situação que queremos trabalhar, é bom dividi-la em sequências adaptadas de como foram se desenvolvendo. Para cada uma delas, assim como para os diferentes personagens que aparecem, teremos que analisar o que dizem ou fazem, o que pensam e que emoção sentiram.

Desta forma, ganharemos consciência de que as emoções, os pensamentos e as condutas estão relacionados. Mas não só isso, também entenderemos que o que pensamos e sentimos em diferentes momentos não tem por que coincidir com o que pensam e sentem os outros. Por fim, vamos compreender essa função motivacional que mencionamos anteriormente e que implica que as emoções nos informam e nos ativam para procurar o que precisamos.

Mulher flutuando em piscina de flores

Não tente analisar suas emoções o tempo todo!

Como tudo nesta vida, o conhecimento emocional deve ser usado em equilíbrio. Não nos ajuda quando carecemos dele, mas também não quando estamos constantemente atentos a nossas próprias emoções e sensações corporais. Por isso, também precisamos aprender a suavizar a prática se passamos toda emoção que sentimos por esta análise. Caso contrário, corremos o risco de perder o poder dinâmico das emoções.

“Mude sua atenção e você mudará suas emoções. Mude a sua emoção e a sua atenção mudará de lugar.”
-Frederick Dodson-

Para isso, durante uma semana separe meia hora para si mesmo, durante a qual você se permitirá pensar naquilo que o inquieta e que não consegue afastar da sua mente, assim como sentir emoções desagradáveis sem evitá-las. Este exercício não consiste em se deleitar na sua própria dificuldade, mas em deixar essa preocupação constante que inunda o seu dia a dia para esse espaço exclusivo de tempo.

Então, se ao longo do dia aparecer essa emoção desagradável, em vez de ficar dando voltas na sua cabeça sem chegar a lugar algum, você a deixará passar até que chegue a meia hora estipulada. Nesse intervalo de tempo, você deve se sentar em um lugar da casa onde não possa ser interrompido e programe um alarme para soar depois de trinta minutos. Uma vez que tocar, deverá retornar a suas atividades cotidianas.

“É surpreendente como uma vez que a mente está livre da contaminação emocional, a lógica e a clareza emergem.”
-Clyde DeSouza-

Com estes três exercícios você conseguirá fomentar o conhecimento emocional, de forma a usar suas emoções para desenvolver o seu próprio bem-estar físico e mental. É normal sentir emoções negativas, mas é importante aprender a identificá-las para que não apareçam de forma tão frequente, intensa ou duradoura no tempo.

Imagens cortesia de Aral Tasher, Alejandro Álvarez e Averie Woodard.