Precisamos fomentar os sonhos das crianças - A Mente é Maravilhosa

Precisamos fomentar os sonhos das crianças

outubro 5, 2017 em Psicologia 28 Compartilhados
É preciso fomentar os sonhos das crianças

Todas as crianças são feitas de um material delicado, inocente, quebradiço, onírico e magnífico. Todas elas são mentes borbulhantes que transformam suas brincadeiras em aspirações por cumprir. Por este motivo, cabe a nós fomentar os sonhos das crianças e permitir que elas os realizem.

Quando contemplamos as crianças, precisamos estar conscientes disso, de que somos seus treinadores, os responsáveis pelos seus devaneios, pela sua vontade de viver, pela sua autoestima e, por fim, pela sua construção.

Isso é essencial se pararmos para refletir. Quando pensamos em construir uma casa, logo em seguida nos damos conta de que precisamos começar pela base, já que se começarmos pelo telhado não vai haver nada para sustentá-la. Com a educação acontece a mesma coisa, se quisermos uma base sólida precisamos começar a construí-la o quanto antes, de baixo para cima ou, o que é a mesma coisa, desde quando as crianças são bem pequenas.

Fomentar os sonhos das crianças

Todas as crianças têm necessidades especiais

Todas as crianças têm necessidades especiais porque cada criança é única. Desde o ritmo de aprendizado até o modo de expressar as ideias, as emoções e os sentimentos. Tudo em uma criança é pessoal e intransferível.

É preciso dar amor e respeito em grandes quantidades às crianças. É preciso escutar suas ideias, suas loucuras e seus sonhos. Fechar os olhos e nos deslumbrarmos com suas palavras e com suas aspirações.
Compartilhar

O primeiro passo, sem dúvidas, é dedicar TEMPO. Isso significa manter a calma numa birra, ajudar a lidar com as emoções, oferecer estratégias para controlar as emoções, brincar com elas, inserir a criatividade nas suas vidas e, por fim, fomentar os sonhos das crianças.

Educar só se aprende educando. Isso parece óbvio e, por isso, precisamos prestar muita atenção para não acreditar em crenças falsas. Nós não sabemos tudo e, naturalmente, nem tudo o que “tentamos” fazemos no momento adequado (tanto para elas quanto para nós mesmos) ou na intensidade adequada.

Beijo carinhoso com pássaro voando ao fundo

Aquilo de “eu sei a teoria, mas na prática é diferente” é um escudo que usamos, uma barreira que nos limita na hora de abrir a nossa mente e nos darmos conta de que talvez não estejamos empregando todo o empenho que deveríamos quando queremos mudar alguma coisa no nosso estilo de criação.

No entanto, sem nos desviar do tema central desse artigo, devemos destacar que o pilar essencial da educação é dar asas aos nossos filhos para que eles realizem os próprios sonhos. Se os limitamos com frases e atitudes do tipo: “isso é muito difícil para você”, “se você continuar nesse caminho, vai se tornar um delinquente”, “não faça do seu jeito, faça como eu digo”, etc., vamos criar crianças imóveis, indefesas, conformistas e sem aspirações.

Conservar e fomentar os sonhos das crianças

Se dermos esperança, as crianças terão esperança. Se confiarmos nelas, e inclusive deixarmos que tropecem, elas vão aprender novas estratégias. Com o nosso medo irracional, vamos apenas conseguir gerar ansiedade a desconfiança em si mesmo. Faremos com que as crianças se tornem frágeis e quebráveis, as transformaremos em quem não são, ou melhor, em quem elas não querem ser.

Esse é um preço bem alto que não poderão pagar, pois se transformará em um valor em alta nas suas vidas. Por isso, a única caixa de cristal que as crianças precisam conservar na fase em que estão é a caixa em que depositam seus sonhos, as crenças sobre si mesmas, a autoestima que têm. É a essa caixa que elas poderão se apegar quando algo der errado, ou seja, quando se encontrarem com as barreiras próprias do ambiente.

Como fomentar os sonhos das crianças

Porque essas barreiras são as únicas que não poderemos eliminar do seu caminho, as barreiras vão estar aí presentes mesmo que nós odiemos a existência delas. Por isso a infância é o momento mais importante da vida, porque nessa fase não há suspiros quando se pensa em algo impossível.

É nessa fase que não há nada que nos impeça, uma fase na qual suas qualidades são suas e de mais ninguém, na qual você não se olha no espelho se comparando com a pessoa ao lado, na qual se você admira alguém é por causa do heroísmo dessa pessoa. Assim, ajude as crianças a descobrirem suas qualidades todos os dias, pergunte a elas qual foi o momento do dia de que mais gostaram, seu esporte preferido, as atividades nas quais se dão bem.

Faça com que elas se sintam importantes, ensine-as a recortar, a desenhar, a modelar massinha. Deixe que se entusiasmem, que aprendam que elas têm muito com o que contribuir, mesmo sendo “pequenas”. E, para que cresçam, mostre a elas mil e uma maneiras de fazer as coisas, de controlar a raiva, de compartilhar os desgostos e as alegrias.

Não deixe as crianças irem se deitar sem antes ter falado para elas coisas maravilhosas sobre si mesmas, sem antes destacar suas qualidades mais agradáveis. Não deixe de fomentar os sonhos das crianças, de valorizar suas conquistas, de se comunicar com elas. Ganhe tempo, ganhe qualidade, porque podemos garantir: é mais fácil criar uma criança forte do que recuperar um adulto despedaçado. 

Imagem principal cortesia de Karin Taylor.

Recomendados para você