A força de vontade

· maio 6, 2015

“Há uma força motriz mais poderosa que o vapor, a eletricidade e a energia atômica: a vontade” (Albert Einstein). A força de vontade é uma habilidade que podemos aprender e desenvolver. É como um músculo que podemos treinar. Assim como para os atletas a preparação mental e física é essencial, nos prepararmos para alcançar nossos objetivos é fundamental.

Como definir a vontade?

Etimologicamente, a palavra vontade vem do latim voluntas-atis, que significa desejar. Esse conceito envolve muitos outros fatores, como a capacidade de tomar decisões, escolhendo uma possibilidade entre tantas outras, a tendência ou desejo por algo que nos dá a oportunidade de evoluir, a determinação de metas que se relacionam com a capacidade de avaliar e esclarecer novos objetivos e ações, como um fator definitivo para executar um plano de ação.

A vontade é a força motriz que nos impulsiona a caminhar em busca dos nossos ideais e objetivos, apesar das dificuldades. Como diz o psiquiatra Enrique Rojas: a motivação e o entusiasmo são os dois ingredientes mais importantes nessa caminhada.

A força de vontade nos torna determinados

Tudo começa com um desejo, mas para realizá-lo não é suficiente somente desejar. Ele deve ser transformado naquilo que queremos, ou seja, precisamos chegar ao nosso objetivo final, guiados pelo nosso desejo e motivação.

No primeiro momento, a vontade significa escolha, e quando escolhemos também renunciamos a algo. O filósofo William James dizia que: “quando devemos fazer uma escolha e não a fazemos, isso já é uma escolha”.

Escolher, no caso da vontade, é apostar em algo distante de nós e que conseguiremos com muito esforço e paciência. Deixe a sua meta ser o estímulo para a ação, principalmente nos momentos difíceis. O que nos faz seguir em frente é a nossa motivação. Às vezes, vemos essa meta como algo positivo e outras nem tanto. O processo para chegar ao objetivo final pode ser difícil, trabalhoso e caro. Nesse caso, como manter nossa força de vontade?

A primeira coisa é perceber o que realmente queremos, e diante dessa resposta não perder de vista nossos objetivos. Quem sabe esperar tem a capacidade de utilizar a vontade sem pressa de colher os frutos, trabalhando com afinco para alcançar suas metas.

O verdadeiro objetivo da vontade é alcançar a vitória sobre nós mesmos.

Como dissemos anteriormente, a vontade é como um músculo que pode ser treinado. Mas como fazer isso? Damos aqui algumas sugestões:

A vontade requer um aprendizado gradual e progressivo, através de ações repetidas ao longo do tempo: lutamos, caímos e levantamos novamente. É um treinamento que requer muito esforço no início, mas vamos adquirindo hábitos e não nos deixamos abater.

Uma das coisas mais importantes é perceber que os benefícios, na maioria dos casos, não são obtidos imediatamente. O caminho para a realização do nosso projeto pessoal pode ser longo. A liberdade de tomar decisões e as lutas contra os obstáculos nos permitirão chegar ao topo do nosso desenvolvimento.

A motivação deve ser nosso motor principal; ela traz a força necessária para agirmos. É importante saber claramente o que queremos e ter objetivos bem definidos, para seguirmos na direção certa. Tenha em mente que estamos plantando uma semente, que deve ser cuidada para crescer saudável e dar bons frutos no futuro. Dessa forma, vamos nos conhecendo cada vez mais, perseverando e desenvolvendo nossa força de vontade.

É muito importante equilibrar a proporção entre ações e objetivos propostos, buscar a harmonia entre os fins e os meios, conhecer nossos pontos fortes e fracos e desenvolver estratégias para utilizar com sabedoria nossas capacidades e limitações.

Não se esqueça de que esse processo educativo da vontade não termina e está sempre em evolução, porque a vida nos surpreende continuamente com situações inesperadas que nos obrigam a mudar o rumo da nossa história pessoal.

Finalmente, se em algum momento sentirmos que não temos força de vontade, podemos tentar encontrar o motivo.

Você está fazendo algo que realmente quer? Vale a pena o esforço? Acredita que pode fazer? Por que? Questione-se!

Com essas perguntas, podemos chegar ao núcleo da nossa falta de força de vontade e descobrir as verdadeiras causas por trás dela. Se não prestarmos a atenção necessária, o nosso modo de pensar e as nossas crenças podem nos limitar, e não conseguiremos alcançar nossos objetivos.