5 frases de Peter Paul Rubens

janeiro 4, 2020
Peter Paul Rubens foi um pintor barroco muito famoso. Hoje, vamos descobrir algumas das frases que ele nos deixou e que nos permitem conhecer sua maneira de ver o mundo: em seus quadros e além deles.

Hoje vamos explorar algumas das melhores frases de Peter Paul Rubens, uma das grandes figuras da pintura barroca (1577-1640). Esse artista estudou na Bélgica e, depois, se mudou para a Itália. Lá, absorveu todos os conhecimentos de seu mentor, o duque de Mântua.

A pintura se tornou sua profissão e não lhe faltavam pedidos na oficina que abriu. Rubens deixou uma importante marca da sua personalidade em suas obras. Hoje, contudo, reunimos apenas algumas das frases de Peter Paul Rubens, as mais interessantes, para nos aproximarmos um pouco mais da forma de pensar desse pintor.

No entanto, antes de mergulhar nelas, é conveniente saber que Rubens também cultivou outro tipo de arte. O artigo La vista de Peter Paul Rubens (A visão de Peter Paul Rubens) expõe de maneira acertada sua viagem para além da pintura em forma de esculturas e tapeçarias.

No total, ele se dedicou a aproximadamente 3.000 obras. Dessa forma, vamos falar de um artista multifacetado.

Quadro de Peter Paul Rubens
A queda de Phaeton, Rubens

1. Frases de Peter Paul Rubens, um homem simples

“Sou apenas um homem simples em pé, sozinho com seus antigos pincéis, pedindo a Deus por uma inspiração”.

Essa frase de Peter Paul Rubens deixa transparecer que ele era um homem simples e humilde. De fato, quando vasculhamos um pouco a sua biografia, descobrimos que ele cresceu em uma família que passou por dificuldades financeiras. Talvez por isso Rubens costumasse desprezar quem era arrogante.

Apesar de saber que era um bom pintor, nunca deixou de aprender com os melhores. Por isso, encontramos diferentes influências em sua arte. A única coisa que Rubens temia era a falta de inspiração, a base de qualquer trabalho criativo.

2. O espírito de criação

“Todas as crianças têm o espírito de criação. Os desperdícios da vida frequentemente exterminam o espírito por meio do tédio e da miséria própria da alma”.

A segunda das frases de Peter Paul Rubens está relacionada à criatividade. Os mais jovens sempre têm ideias fantásticas, muitas das quais parecem verdadeiras loucuras. No entanto, o que acontece à medida que esses jovens crescem? Eles tendem a perder essa capacidade.

Rubens menciona o “tédio e a miséria própria da alma”, pois era uma pessoa católica. Ele acreditava que o espírito de criação poderia se recuperar graças a Deus.

Pintou um de seus quadros como uma forma de propaganda do catolicismo para lutar contra o protestantismo. Essa obra é Santa Teresa intercedendo por Bernardino de Mendoza no Purgatório.

3. A paixão que vem dos céus

“Minha paixão vem dos céus, não de reflexões terrenas”.

Como podemos observar, há muitas frases em que Rubens se mostra muito consciente de Deus. Aqui, combina a paixão que sente por pintar com os céus, o lugar onde Deus está segundo os católicos. Por outro lado, fala das reflexões terrenas, minimizando-as.

Essa frase deixa transparecer que Rubens questionava as reflexões que as pessoas comuns (ateias) ou pessoas cuja religião era distinta da que ele praticava podiam fazer. De fato, ele cede a responsabilidade da sua criatividade e paixão pela pintura a Deus.

4. O branco é venenoso, mas também útil

“O branco é venenoso para uma pintura: use-o apenas nas partes de destaque”.

Com essa frase, Rubens nos deixa um pouco deslocados. De alguma forma, o que ele pensa sobre a cor branca são duas ideias contraditórias. Considera que não se deve abusar do branco, visto que o qualifica como “venenoso”. No entanto, especifica que apenas se deve recorrer a ele para chamar atenção em determinadas áreas de uma pintura.

Talvez o que ele tenta nos transmitir com essa frase seja que, em excesso, a cor branca pode prejudicar uma obra, mas se utilizada apenas quando realmente for preciso para dar pequenos toques de luz em partes específicas, ela pode ser bastante útil.

Isso nos faz pensar na famosa frase que diz que “todo excesso é ruim”. De fato, podemos ver um claro exemplo na farmacologia: muitos medicamentos se tornam tóxicos quando a dose que ingerimos é superior à prescrita.

Obra de Peter Paul Rubens

5. O tamanho do valor nas frases de Peter Paul Rubens

“Meu talento, embora grande em tamanho, nunca superou o meu valor”.

Muitas pessoas costumam se definir dependendo do talento que têm. Embora seja verdade que Rubens era consciente do seu talento, com essa afirmação ele deixa claro que nunca permitiria que essa capacidade superasse o seu valor.

O valor de uma pessoa não é definido pelo que ela possui. Nem pelo que ela conseguiu, nem pelo seu talento, como bem afirma Rubens. Isso, talvez, seja outro sinal dessa rejeição que ele sentia pela arrogância, pois essa característica pode acabar cegando uma pessoa, fazendo com que nos esqueçamos de quem realmente somos.

Esperamos que você tenha conseguido conhecer um pouco mais sobre a forma de pensar desse artista. Se você nunca viu uma obra dele, queremos convidá-lo a dar uma olhada naquelas que mencionamos neste artigo e em outras, como As Três Graças.

  • López, José Enrique, Marcano Torres, Myriam, López Salazar, José Enrique, López Salazar, Yolanda, & Fasanella, Humberto. (2004). El arte Barroco. Las formas en el Barroco. Gaceta Médica de Caracas112(4), 325-340. Recuperado en 15 de septiembre de 2019, de http://ve.scielo.org/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0367-47622004000400005&lng=es&tlng=es.
  • López, O. (2008). Desnudo de mujer. Toulouse-Lautrec y sus mujeres. Buenos Aires: Olmo.
  • Macêdo, Érika Sabino de, & Chisté, Priscila de Souza. (2016). A Dialogic Pathway for the Reading of the Works of Rubens Gerchman. Bakhtiniana: Revista de Estudos do Discurso11(3), 80-102. https://dx.doi.org/10.1590/2176-457322325
  • Santos-Bueso, Enrique, Sáenz-Francés, Federico, & García-Sánchez, Julián. (2012). La vista de Peter Paul Rubens. Archivos de la Sociedad Española de Oftalmología87(9), 303-304. https://dx.doi.org/10.1016/j.oftal.2011.05.012