5 hábitos de higiene mental para aumentar sua qualidade de vida

· abril 25, 2018

E se aprendêssemos a cuidar da nossa mente da mesma forma que fazemos com o nosso corpo? Os hábitos de higiene mental compõem uma estratégia de vida para estar em maior harmonia com o nosso ambiente. Envolve exercitar o músculo da autoestima, superar a resistência da apatia, se mover em maior equilíbrio com nossas emoções e aprender a colocar filtros apropriados em nosso ambiente social.

Estamos conscientes de que atualmente essas abordagens destinadas a “cuidar” da nossa mente estão se tornando cada vez mais populares. Sem dúvida, falamos de estratégias como Mindfulness ou mesmo Wellness. Cada um, a partir de suas próprias origens e disciplinas, tem um mesmo objetivo: conferir um maior equilíbrio entre a mente e o corpo para garantir não apenas nosso bem-estar, mas também uma maior sensação de controle sobre nossa própria vida.

“Sem bem-estar, a vida não é vida; é apenas um estado de abatimento e sofrimento “.
-Francois Rabelais-

Independentemente de termos iniciado alguma dessas práticas ou não, vale a pena levar em consideração alguns aspectos simples. O bem-estar psicológico responde, em primeiro lugar, a uma série de hábitos e estratégias que cada indivíduo deve aprender a desenvolver com base em suas características. Algo assim requer, antes de mais nada, alguma criatividade e perseverança.

Por isso, a higiene mental se torna uma tarefa muito particular, onde cada um deve aprender a ventilar, higienizar e oxigenar seus próprios cenários mentais. Por sua vez, e não menos importante, também não podemos esquecer que fazemos parte de um cenário físico e social e que nossos contextos também afetam nosso equilíbrio.

Portanto, os hábitos de higiene mental requerem uma abordagem holística, implicam saber priorizar, focalizar, filtrar todo estímulo que nos venha para viver com maior harmonia. Vejamos, portanto, uma série de estratégias.

Hábitos de higiene mental para cuidar de si mesmo

Imagem de criança com borboleta

1. Aprenda a reconhecer a faísca antes que surja a chama

Grande parte da nossa experiência emocional surge de “faíscas”, de pequenas explosões de sensações negativas que colapsam em nosso cérebro. Estas pequenas descargas surgem devido aos desequilíbrios com o nosso ambiente. Um comentário que não nos agrada, mas diante do qual nos calamos; uma proposta com a qual não concordamos, mas que cumprimos; uma situação que devemos resolver, mas que adiamos…

Pequenas faíscas acumuladas, uma após a outra, acabam gerando uma chama. Nossa mente fica sem recursos e, no final, acabamos “queimados”, esgotados em todos os sentidos. Assim, uma primeira estratégia na qual devemos investir tempo e esforço é reconhecer esses gatilhos. Esses estímulos que nos incomodam e que devemos administrar o mais rápido possível.

Não deixe para amanhã a preocupação que causa incômodo hoje.

2. Prioridades claras, melhores decisões

Todo bom atleta conhece seu corpo, sabe onde estão seus limites e treina todos os dias para manter e melhorar seu desempenho. Tal desempenho não surge de forma aleatória, mas responde a um bom planejamento em que as prioridades e objetivos diários estão claros.

Quando se trata de cuidar do nosso cérebro e da nossa higiene mental, também seria bom ter nosso próprio plano, nossas prioridades diárias. Ninguém deveria, portanto, sair de casa sem estar vestido com um propósito, calçado com algumas metas, alimentado com uma motivação… É assim que caminhamos pelos nossos complexos trajetos com maior desenvoltura para decidir o que nos beneficia e o que nos prejudica, o que deveríamos deixar de lado para garantir o nosso bem-estar.

3. Relações baseadas na reciprocidade

Um pilar básico para cuidar e promover nossa higiene mental é atender ao equilíbrio de nossos relacionamentos. Todo vínculo desequilibrado supõe um alto custo emocional. Implica investir tempo, expectativas, esforços e afetos em pessoas que não nos transmitem a mesma energia, a mesma reciprocidade.

Mulher fazendo coração com as mãos diante de pôr do sol

É claro que nem todos os nossos relacionamentos serão simétricos no que se refere a dar e receber. Um exemplo muito claro disso é visto na relação entre pais e filhos. No entanto, é necessário que nossos vínculos mais importantes (casal, família, amigos) sejam mantidos em equilíbrio e, em alguns casos, em simetria.

4. Aprender a tolerar a adversidade

Quem resiste à adversidade, ao fracasso, à perda ou ao erro fica bloqueado no desânimo, na raiva, no desconforto. Por outro lado, uma boa higiene mental requer capacidade de crescimento e expansão. Algo assim só acontece quando alguém é capaz de vencer suas resistências, aprendendo a ser tolerante com a adversidade, com o lado complexo da vida, com seu lado mais delicado.

Devemos assumir, portanto, os contrastes da nossa realidade. Porque toda higiene parte da capacidade de saber curar. E para curar, temos que aceitar primeiro a existência de uma ferida sem negá-la, sem virar o rosto ou se enraivecer todos os dias com ela.

5. Uma mente em equilíbrio, uma mente centrada

Clifford Saron é neurocientista do centro Mente e Cérebro da Universidade da Califórnia. Seus interessantes trabalhos são focados em demonstrar como o treinamento de nossa atenção se reflete em nossas emoções. Uma mente centrada e em equilíbrio se traduz em bem-estar e em um cérebro mais saudável.

Assim como ele mesmo nos explica, a maioria de nós não tem consciência da grande plasticidade que nossos circuitos neurológicos possuem. Se aprendermos a nos concentrar todos os dias no presente, no que acontece ao nosso redor (e não tanto no passado ou no futuro que ainda não existe), veremos maiores possibilidades, nos sentiremos mais otimistas e com menos ansiedade.

Mulher meditando

Para treinar a nossa atenção, pode ser uma grande ajuda aprender a meditar, sabemos disso. No entanto, há outro aspecto que não podemos ignorar. Uma mente mais focada precisa, por sua vez, de um corpo mais relaxado. Portanto, não podemos negligenciar fatos tão básicos como promover uma boa noite de sono, tirar um cochilo de 15 ou 20 minutos, caminhar, fazer alongamentos para aliviar as tensões musculares, manter uma dieta balanceada…

Em resumo, a higiene mental é uma fabulosa estratégia de vida que é composta por diferentes atividades. São dinâmicas e hábitos diários focados em garantir nosso bem-estar físico e psicológico. Apliquemos aqueles que melhor se encaixam em nossas necessidades e comecemos hoje mesmo a investir em nós.