O que é holocracia?

· setembro 6, 2018

Holocracia é um sistema organizacional no qual a autoridade e os processos de tomada de decisão ocorrem de forma horizontal. Portanto, não existe uma hierarquia na qual são distribuídas as responsabilidades e o poder.

Este sistema, embora possa parecer estranho e anárquico, já foi adotado em algumas empresas na Austrália, Alemanha, Estados Unidos, França, Nova Zelândia e Reino Unido.

Origens da holocracia

O sistema da holocracia foi desenvolvido pela primeira vez na Ternary Software, uma empresa informática de Exton, nos Estados Unidos. Seu fundador foi Ternary Brian Robertson, que colocou em prática as primeiras ideias de um novo sistema de organização em 2007.

Mais tarde, foi desenvolvida a Holocracy Constitution (Constituição da Holocracia), em 2010. Ela estabelece os princípios e práticas a seguir que formam a base deste sistema organizacional. Assim, serve como um guia de apoio para todas as empresas que desejam estabelecer seu organograma seguindo essa ideia.

Embora Robertson tenha sido o primeiro a lhe dar forma, o termo holocracia é derivado da palavra holarquia, cunhado pelo escritor e historiador Arthur Koestler. Em seu livro “O Espírito da Máquina”, publicado no ano de 1967, ele levanta a ideia de uma empresa composta por hólons.

Estas são unidades autônomas e autossuficientes que dependem de seu próprio coletivo. Portanto, uma holocracia seria, em suma, um conjunto de unidades autorreguladas, mas que funcionam de maneira independente.

Novidades incorporadas pela holocracia

A holocracia surge, em suma, como um sistema que tenta se opor à clássica hierarquia das empresas. Neste sentido, pretende deixar de lado a figura do chefe para instaurar uma empresa teoricamente mais igualitária e eficiente.

Diferenças organizacionais

Uma das principais diferenças da organização da empresa através da instauração de uma holocracia é a eliminação de uma estrutura em que cada funcionário esteja enquadrado em um posto fixo. Portanto, as funções de cada trabalhador deixariam de estar descritas em um organograma.

Em suma, a holocracia propõe uma estrutura em que cada funcionário possa desenvolver múltiplas funções dentro da empresa. Ao mesmo tempo, ele faria parte de equipes diferentes de uma só vez e suas tarefas seriam constantemente atualizadas para se adaptar às necessidades de cada grupo.

Segundo esta ideia fundamental, a empresa poderá fazer uso das melhores habilidades de cada trabalhador, dando-lhe também uma maior liberdade para tomar decisões.

Diferenças em relação à autoridade

No modelo de organização mais tradicional, a estrutura da empresa é pouco ou nada dinâmica. As ordens vêm sempre das esferas mais altas e são dadas às pessoas que estão nos níveis mais baixos do organograma.

No entanto, a holocracia tenta modificar constantemente a estrutura da empresa para que cada equipe de trabalho tenha a autoridade de organizar a si mesma, em função de como for melhor para alcançar o objetivo.

A holocracia pretende eliminar a figura autoritária do chefe.
Trabalho em equipe na empresa

Diferenças na filosofia da empresa

Um dos aspectos mais importantes do sistema da holocracia é que todos os seus membros, inclusive o CEO ou Diretor Executivo, devem seguir determinadas regras claramente definidas. Esta filosofia não deve seguir determinações que cheguem por meio de autoridade.

Portanto, a ideia fundamental é que haja transparência total nas regras, de forma que se diminua o impacto da política da empresa dentro das atividades das equipes de trabalho. Além disso, a tomada de decisões dependerá menos das pessoas em posições de autoridade.

O governo conjunto da holocracia

Em uma empresa que pratique a holocracia, o trabalho é distribuído em papéis que são atualizados com bastante frequência. Desta forma, os funcionários contam com plena autonomia para decidir como desenvolver suas funções, desde que sua preferência não prejudique seus colegas.

Por outro lado, a holocracia deve contar com um conjunto de reuniões periódicas em que todos os papéis do círculo organizacional possam intervir para revisar e reajustar seu trabalho.

Além disso, com estas reuniões será possível a interação constante de determinados círculos com outros, facilitando uma comunicação efetiva entre equipes de trabalho que compartilham membros. Estes membros podem exercer os papéis de líder, secretário ou representante, de acordo com o papel exigido por cada equipe.