O impacto da violência doméstica nas crianças

O impacto da violência doméstica nas crianças

agosto 6, 2015 em Psicologia 1588 Compartilhados
violência doméstica

As crianças que vivem em lares nos quais acontecem situações de violência doméstica sofrem sequelas importantes. Não importa se é abuso verbal, emocional ou físico: quando esse tipo de violência é produzida entre os pais, o impacto nos filhos é devastador.

A violência doméstica tem um impacto importante sobre os menores. Ainda que eles não sejam vítimas diretas das agressões físicas ou verbais, o impacto sofrido por eles pode provocar graves problemas em sua infância e, com o tempo, em sua adolescência e vida adulta.

A violência doméstica tem um impacto real nas crianças

Quando pensamos em violência de gênero, abuso doméstico ou termos similares, costumamos pensar primeiro (e às vezes somente) na vítima direta, aquela atacada pelo agressor ou agressora. No entanto, as crianças que vivem essas situações de violência também sofrem graves consequências.

Além disso, nos lares em que acontecem estas situações, as crianças costumam estar mais negligenciadas, o que agrava ainda mais a situação. De fato, há estudos que demonstram que as crianças que vivem situações de violência doméstica têm mais risco de sofrer de problemas de saúde, problemas de comportamento e traumas emocionais, e são mais propensas a ter distúrbios de saúde mental na idade adulta.

Efeitos da violência doméstica nas crianças

As crianças criadas em “lares abusivos” podem se sentir responsáveis pelo abuso que um dos seus progenitores exerce sobre o outro, ter pesadelos e problemas para dormir, ter problemas no colégio, desenvolver transtornos alimentares e tendências agressivas. Além disso, a situação as torna mais vulneráveis a cair nas mãos de “pessoas erradas” que se prestam a ajudar de forma nada adequada. Isso os torna vítimas fáceis para todo tipo de abusos.

Além disso, a situação pode provocar experiências de ansiedade que podem derivar em problemas de pânico, por exemplo.

Ao chegar a adolescência, a situação pode piorar ainda mais. O adolescente que viveu esta situação pode começar a se auto-lesionar, recorrer ao álcool ou às drogas, ter relações sexuais inapropriadas com o único objetivo de obter afeto, sofrer de depressão, ter uma baixa autoestima ou desenvolver diferentes problemas de saúde mental.

Além disso, pode chegar a se transformar em vítima daquela pessoa que maltrata, e se comportar de maneira ofensiva com os demais, tanto dentro de casa, como fora dela.

O que fazer?

Muitas pessoas não levantam a voz quando são vítimas de abusos domésticos, ainda que sejam “apenas” verbais. As razões para isso são diversas. No entanto, se não fazem por si mesmas, devem fazer, pelo menos, por seus filhos. Não há desculpas.

As crianças precisam saber que podem confiar em alguém, que estão seguros e que as pessoas também se importam com a sua segurança.

Recomendados para você