Inteligência e sabedoria: 5 diferenças que você vai gostar de saber

· abril 11, 2018

Inteligência e sabedoria não são a mesma coisa. Entretanto, na linguagem cotidiana, usamos os dois termos indistintamente. Vivemos em uma sociedade onde a eficiência e os resultados são valorizados. Aparentemente, apenas os mais inteligentes estão destinados a obter sucesso. No entanto, apenas os sábios conseguem uma felicidade autêntica. Eles são guiados por valores e preocupados em fazer uso da bondade, aplicando uma visão mais otimista à vida.

Se procurarmos agora no dicionário o termo sabedoria, encontraremos uma definição simples: a faculdade das pessoas de agir de maneira sensata, prudente ou correta. Sendo assim, a primeira pergunta que vem à mente é: a inteligência não nos dá a capacidade de nos movimentarmos no nosso dia a dia da mesma maneira? Um QI médio ou alto não nos garante a capacidade de tomar decisões acertadas?

“A verdadeira sabedoria está em reconhecer a própria ignorância.”
-Sócrates-

É claro que sim. Também é claro que quando falamos de inteligência surgem diferentes nuances. Por isso, o tipo de personalidade e a maturidade emocional são fatores que influenciam concretamente as realizações das pessoas. Isso também é verdadeiro em relação à capacidade de investir mais ou menos em seu próprio bem-estar e no dos outros.

Em vista disso, inteligência e sabedoria são dois conceitos interessantes. Eles devem ser observados, analisados e desconstruídos. Assim, poderemos ter uma ideia mais precisa e útil do que realmente são. Afinal, se queremos algo, além de ter um alto QI, é desenvolver uma sabedoria excepcional e moldar uma personalidade virtuosa. Isso vai um passo além do cognitivo e do emocional.

Cultive a inteligência e a sabedoria

Diferenças entre inteligência e sabedoria

Por mais curioso que seja, a diferença entre inteligência e sabedoria não havia sido estudada até recentemente. O conceito de sabedoria sempre esteve associado a disciplinas filosóficas ou mesmo espirituais. Nelas, os grandes mestres gregos ou figuras do budismo nos iluminaram com suas ideias, reflexões e conselhos transcendentais.

Nas últimas décadas, a psicologia começou a se aprofundar no assunto. Pesquisas como a conduzida por dois professores do departamento de psiquiatria da Universidade da Califórnia em San Diego – Dr.  Dilip V. Jeste  e Dr. Thomas W. Meeks -, esclarecem muitas ideias interessantes.

Sendo assim, as diferenças entre inteligência e sabedoria são as seguintes.

A experiência, por si só, não nos torna mais sábios

Essa ideia é importante e destrói um mito clássico. Costuma-se dizer que a experiência que a vida nos proporciona também nos dá sabedoria. No entanto, não há associação direta e definitiva entre ter vivido muito ou pouco e se tornar sábio. Essa virtude não vem naturalmente com a idade.

Além disso, na atualidade, vários pesquisadores no campo da psicologia e da sociologia tentam entender um pouco melhor os processos sociais, emocionais e cognitivos que transformam a experiência em sabedoria. Na verdade, existem outras variáveis mediadoras entre as duas. Entre elas, a capacidade de refletir que condiciona a associação expressa no mito (experiência/sabedoria).

Inteligência e sabedoria

A inteligência nos torna eficientes e eticamente mais competentes

Pessoas inteligentes têm um alto senso de eficiência e de ética. Dessa forma, quando algo não se ajusta às suas expectativas, ocorre a frustração. Nesse sentido, tendem a ser muito orientados para os objetivos, para os resultados concretos. Acima de tudo, são focados nos resultados esperados.

Muitas vezes essa visão os faz cair em estados muito desgastantes. Em média, pessoas com QI alto não toleram muita incerteza. Por isso, esse fator é precisamente o que as diferencia de pessoas sábias. Essas últimas são capazes de aceitar o inesperado. Ou seja, lidam bem com o que não se encaixa ou não acontece como planejado. Dessa forma, conseguem relativizar e ter uma perspectiva mais paciente. Além disso, tendem a ter uma personalidade mais calma e compreensiva em relação à realidade.

Os sábios tomam decisões melhores

Mais uma vez, queremos esclarecer que existem muitas diferenças individuais entre pessoas com alto QI. Há as que tomam decisões com sucesso e responsabilidade. Por outro lado, há outras que simplesmente se deixam levar pelo mais prático ou objetivo, sem avaliar outras nuances.

Se há uma clara diferença entre inteligência e sabedoria é que esta última dimensão é caracterizada por estar associada a mentes mais abertas. Dessa forma, a sabedoria possui algo que vai muito além do simples conhecimento prático. Ou seja, pessoas sábias têm uma experiência mais refletida, um profundo sentido para a vida. Através disso, passam a aceitar as incertezas e os altos e baixos da vida.

Da mesma forma, há uma percepção mais precisa de como os eventos se desenvolvem com o tempo. Sendo assim, tudo isso lhes dá um senso de equilíbrio maior e mais estável.

Qual a diferença entre inteligência e sabedoria?

A inteligência pode ser usada para o bem ou mal

A inteligência pode ser aplicada para fins nobres ou, ao contrário, para manipular, conspirar, trair ou planejar a ação mais sofisticada com um propósito perverso. Da mesma forma, também pode ser orientada para fins mais benéficos e superiores.

A sabedoria, por outro lado, está ligada ao mais autêntico senso de bondade. Ela sempre teve essa conotação carregada de humanidade e um senso de espiritualidade que inspira os outros a cultivarem boas ações.

O homem sábio é otimista

Outra diferença interessante entre inteligência e sabedoria é a visão sobre a vida. A sabedoria quase sempre traz consigo uma visão muito positiva da vida, das pessoas e da realidade. Uma atitude quase sempre esperançosa, resoluta e alegre está intimamente relacionada ao descrito acima sobre o senso de bondade. Certamente, é daí que surge a capacidade inata do sábio para se mover. Dessa forma, ele nos fornece energia e desejo de avançar ao ouvir os seus conselhos e imitar sua própria visão pessoal das coisas.

Para concluir, é muito possível que, neste momento, a gente se pergunte o que é melhor: sermos sábios ou muito inteligentes? Bem, deve-se dizer que nenhuma dimensão é melhor que a outra. Há pessoas sábias que não são brilhantes, nem inteligentes, mas que no seu dia a dia são altamente eficazes e, é claro, felizes.

Portanto, podemos aspirar (na medida de nossas possibilidades) a ambas as dimensões. Podemos treinar nossos processos cognitivos, melhorar a inteligência emocional e absorver cada experiência a partir de uma perspectiva mais sensata e otimista.

Afinal, a sabedoria é a arte de saber o que é mais importante em cada momento, e aplicar respostas e estratégias apropriadas para garantir o bem-estar para nós mesmos e, acima de tudo, para os outros. Essa é a chave real.