O legado emocional que meu cão deixou na minha infância

· maio 1, 2016

A infância é vivida com maior plenitude se for ao lado de um animal de estimação, e isso nos dá um legado emocional capaz de nos construir como pessoas. A felicidade que um animal nos oferece, seja cão ou gato, é tão sincera e nobre que deveria ser um privilégio de todas as crianças.

Segundo um estudo publicado no jornal “The Guardian“, ter um animal de estimação ajuda as crianças a serem mais empáticas. Além disso, de acordo com este mesmo trabalho, elas ficam menos propensas a contrair asma (até 50% se crescerem numa fazenda).

O meu cão foi o melhor companheiro da minha infância, o meu cúmplice de aventuras, o guardião dos meus segredos e aquele que me viu crescer através de um olhar tão puro, que até hoje permanece no meu coração.

Os animais são uma fonte de bem-estar para as crianças. Tanto é que temos certeza de que ainda hoje você continua a recordar com carinho esse seu amigo que trouxe luz e sorrisos à sua infância. A seguir, queremos refletir sobre isso.

Mãe e filho passeando com seu cão

Os animais nos ajudam a socializar na nossa infância

Os cachorros e os gatos são muito mais que simples companheiros de brincadeira. Atualmente ainda existem famílias com receio de acolher um animal em casa quando têm crianças pequenas, pensando que pode existir algum risco. No entanto, convém recordar que um animal bem tratado é uma ferramenta terapêutica para os nossos filhos. 

Dieter Krowatschek, psicólogo infantil e escolar de Marburgo (Alemanha), nos oferece um interessante livro intitulado “As crianças precisam de animais de estimação“. Na obra, ele demonstra a capacidade que os cães têm de ajudar na socialização das crianças.

Os cães são seres terapêuticos para as crianças

Certos animais, como é o caso dos cachorros, são, em muitas situações, seres terapêuticos para as crianças:

  • Os cães são mais curiosos e menos cautelosos do que os adultos. Eles podem ser os exploradores mais audazes e confiantes, ensinando às crianças que a melhor atitude frente à realidade é se abrir às descobertas. Por outro lado, são excelentes protetores e isso os torna companheiros perfeitos para as primeiras brigas dos nossos filhos.
  • Graças aos animais, os nossos filhos desenvolvem uma boa capacidade empática, entendendo desde bem cedo o valor de um carinho, das palavras e da importância dos reforços positivos sobre os negativos.
  • Algo tão simples como ter um cão em casa impede o risco de passar várias horas de solidão em frente à televisão ou no computador. A sua forma de socializar será mais lúdica, mais aberta.
  • Os animais de estimação são excelentes companheiros para o alívio emocional, para canalizar tristezas, medos ou momentos de fúria. Na verdade, temos que ter em conta o que nos dizem vários estudosOs animais têm emoções e, além disso, sabem interpretá-las em nós. 

Algo que não podemos esquecer é o grande benefício terapêutico que os cães podem oferecer às crianças com autismo ou com déficit de atenção. Isso permite que eles se concentrem, desfrutem do contato físico e interajam com o ambiente de forma mais segura.

Cão com um bebê

Os animais e a sua importância na nossa memória

Diz-se frequentemente que uma infância feliz é a base para uma maturidade mais plena e segura. O fato de ter crescido na companhia de um animal nos oferece uma reserva cognitiva e emocional que nunca perdemos e que nos enriquecerá fortemente.

Aos olhos de um cão você poderá ver a grandeza da sua alma, vai sentir que é a melhor pessoa do mundo e vai querer fazê-lo feliz assim como ele te faz feliz. 

Outro aspecto a ter em conta é que a memória é definida na infância e nos dá identidade. Todos aqueles momentos especiais vividos com o nosso cão na infância são alojados no nosso hipocampo, criando uma espécie de “caixa preta“. Algo que dura eternamente.

  • As pessoas têm dois tipos de memória: há uma que parece ter uma preferência especial por voltar a partes mais incômodas do nosso passado. No entanto, há outra memória que “recompensa”: é a responsável por nos transportar para esses momentos felizes da nossa infância, onde os nossos animais tiveram um papel essencial.
  • A memória mais nítida começa a surgir a partir dos 3 anos. Desde esta idade até à adolescência, vivemos naquilo que Maria Montessori definiu como períodos sensíveis. Neles, todo o estímulo adquire uma importância vital.
  • Se a minha infância é a minha identidade, meu cão me ensinou a integridade do amor. Estamos certos de que você vai concordar com essa afirmação: graças a esse animal que cresceu ao seu lado, você aprendeu o que era dar tudo em troca de nada. Os cães não conhecem o rancor, e isso é algo que certamente você já aprendeu e não consegue esquecer.

Menina cochichando para seu cão

Também sabemos que é bem possível que as recordações (ao lado do cão, gato ou outro animal com quem você tenha compartilhado a infância) te tragam alguma nostalgia mesclada com tristeza. Um sentimento muito parecido com o que nos invade quando nos lembramos de alguns momentos que compartilhamos com entes queridos que, por alguma razão, já não estão conosco.

Agora, nunca esqueça que os nossos animais nunca morrem, eles simplesmente dormem em nossos corações. Não há maior tributo que podemos dar a esses nossos amigos do que recordá-los com um sorriso e agradecer-lhes por tudo o que fizeram por nós: graças a eles você é uma pessoa melhor, e ao se amparar na experiência que viveu, provavelmente vai querer que os seus filhos também cresçam ao lado de um animal.