A lenda da espada de Dâmocles

A lenda da espada de Dâmocles tem origem em Roma, cerca de quatro séculos antes do nosso tempo. Apesar da idade, é uma história que ainda está presente na linguagem do dia a dia.
A lenda da espada de Dâmocles

Última atualização: 14 Junho, 2021

O criador da lenda da espada de Dâmocles parece ter sido o historiador Timeu de Tauromênio. No entanto, foi o famoso filósofo Cícero que a transformou em uma narrativa famosa, que ainda é citada atualmente.

Embora a lenda da espada de Dâmocles envolva alguns personagens reais, ela é considerada um produto da imaginação e o seu objetivo seria principalmente de caráter moral. Cícero incluiu-a em sua obra Discussões Tusculanas e, a partir de então, tornou-se famosa em todo o Ocidente.

Marco Túlio Cícero foi um dos grandes políticos e pensadores romanos. Ele foi um grande defensor da República, mas viveu a ditadura de Dionísio I, ou Dionísio, o Antigo, que é lembrado como “o tirano de Siracusa”. A lenda da espada de Dâmocles é também uma alusão ao ditador.

“No passado, aqueles que procuraram loucamente o poder cavalgando no lombo um tigre acabaram dentro dele”.
-John Fitzgerald Kennedy-

Estátua de Cícero
Estátua de Marco Túlio Cícero

A tirania de Dionísio I

Dionísio I chegou ao poder graças a uma conspiração. Ele tinha um grande poder de persuasão, o que sem dúvida preparou seu caminho. Naquela época, não era costume que os governantes tivessem uma escolta. Como queria ter guerreiros sob seu comando direto, ele inventou uma conspiração contra si e o povo aprovou que 600 homens ficassem sob as suas ordens.

Ele possuía um espírito conquistador, o que lhe permitiu estender seus domínios.  Caracterizou-se por exercer um grande controle sobre a cidade, sendo implacável com seus inimigos. Ele também era muito dado aos prazeres dos sentidos. Bebida, comida e mulheres em excesso eram o seu dia a dia. Seu filho, que se chamava Dionísio, também tinha essa inclinação.

Dionísio I tinha um grande poder, mas não era feliz. Ele viveu cercado pelo medo de que seus inimigos montassem uma armadilha para matá-lo.  Dizem que ele dormia em uma cama cercada por um fosso para não ser surpreendido. Ele só confiava em suas filhas para fazer a barba e receber comida.

A lenda da espada de Dâmocles

A história conta que havia um cortesão chamado Dâmocles que bajulava constantemente o tirano. Espalhava que ele era um grande homem e exaltava seu estilo de vida. Ele afirmava que os excessos de comida e bebida eram naturais à grandeza do governante.

Muitos pensavam que Dâmocles, na verdade, tinha inveja do tirano. Assim que se encontraram, o cortesão encheu o governante de elogios. Farto da adulação, Dionísio I sugeriu que eles trocassem de lugar por um dia, para que Dâmocles pudesse sentir na própria pele o peso do poder e do excesso.

Dâmocles aceitou extasiado e, no dia seguinte, chegou bem cedo na sede do governo para ocupar o lugar do tirano. Ele se sentou no trono e, a partir de então, foi servido por uma multidão de criados que satisfaziam até o menor dos seus caprichos.

De repente, Dâmocles ergueu os olhos e viu que logo acima de sua cabeça havia uma espada afiada, sustentada apenas pela crina de um cavalo. Era óbvio que, se aquele fio fino se partisse, sua cabeça também rolaria. Ao perceber isso, ele passou a não gostar mais das comidas, das bebidas e das mulheres. Pouco depois, pediu para encerrar o experimento.

Faca para cortar maçã

Uma revisão da história

Cícero, que fez a versão mais famosa da lenda da espada de Dâmocles, pertencia à escola filosófica dos estoicos. Estes defendiam uma vida sem excessos, visto que só gerariam sofrimento a longo prazo. Pensa-se então que este pensador pretendia, principalmente, mostrar o outro lado do luxo e da pompa.

Outros acreditam que a lenda da espada de Dâmocles foi uma crítica direta ao ditador, destacando seu ponto fraco: o medo de ser traído por aqueles que estavam próximos a ele e que mais poderiam lhe fazer mal. A história mostra que o poder, por si só, traz riscos que impossibilitam usufruir das banalidades. “Aquele que é temido por muitos deve temer a muitos.”

Dizem também que a alegoria de Cícero é aplicável a qualquer ser humano. A espada de Dâmocles representa a morte, que está sempre espreitando e da qual ninguém escapa. Nessa medida, todos nós somos ameaçados de morte e basta um minuto para que o fio se rompa e “nossas cabeças rolem”.

Hoje em dia, a expressão “espada de Dâmocles” é usada para designar situações nas quais um erro pode ter consequências muito graves. Por exemplo, John Kennedy disse em um de seus discursos que toda a humanidade está ameaçada pela mesma espada de Dâmocles: a guerra nuclear.

Pode interessar a você...
Emoções: moedas com duas faces valiosas
A mente é maravilhosaLeia em A mente é maravilhosa
Emoções: moedas com duas faces valiosas

As emoções podem mudar o ritmo do nosso coração, a pausa da nossa respiração ou a eletricidade da nossa pele. Saiba mais neste artigo.



  • Markaris, P. (2012). Espada de damocles e-88.