O que é mansplaining? 

· setembro 6, 2018

O mansplaining acontece quando um homem, geralmente falando com uma mulher, se mostra condescendente ou paternalista. Este fenômeno, por si só, é um eco da forma de se comportar e de pensar de boa parte da sociedade mais tradicional.

Este tipo de comportamento está comumente relacionado com um comportamento machista; mesmo que de forma sutil e, inclusive, sem que o homem tenha consciência de sua forma de agir e no que ela deriva.

Em que consiste o mansplaining?

O termo mansplaining provém do inglês e é composto pelas palavras “man” e “explain”, que significam “homem” e “explicar”, respectivamente. O mais comum é que se refira à forma condescendente e paternalista com que muitos homens agem diante das mulheres.

Tudo isso como se elas não tivessem suficiente capacidade, astúcia e destreza para se desenvolver em uma conversa ou em uma situação na qual um homem não estivesse presente.

Em muitos casos, podem ser vistos exemplos de mansplaining quando um homem fala sobre assuntos tradicionalmente masculinos, tentando se mostrar mais entendido e com a intenção de fazer com que a mulher se cale e aprenda.

O que é mansplaining?

A relação do mansplaining com o machismo

O mansplaining é, por norma, uma manifestação machista, já que o homem se expressa ou se relaciona a partir de uma aparente posição de superioridade. Falamos, às vezes, de um fenômeno bastante sutil. Assim, o mansplaining é comumente qualificado como micromachismo.

Definitivamente, o mansplaining tem um claro efeito sobre as relações de poder, o que pode supor que a mulher seja anulada em âmbitos profissionais. Isso acontece também em conversas com colegas ou chefes que se consideram mais sábios, experientes ou inteligentes.

O mansplaining direcionado a outros homens

Embora a maioria das situações relacionadas com o mansplaining seja na direção das mulheres, também podem acontecer casos de mansplaining dirigidos a homens. Isso costuma acontecer em contextos nos quais a competitividade é muito grande. 

Também é mais difícil que este fenômeno parta de mulheres dirigido a homens. Por um lado, não existe uma cultura tradicional que tenha educado nesse sentido; por outro, são vários os estudos que apontam que as mulheres têm uma maior preferência pelas relações simétricas.

Ideias nas quais o mansplaining se sustenta

De acordo com o comportamento de cada pessoa, pode-se encontrar diferentes variantes de mansplaining em função da lógica na qual acontecem:

O biológico

Este primeiro exemplo se relaciona com os homens que consideram as mulheres inferiores a nível biológico. De acordo com esta lógica, a inferioridade natural das mulheres tornaria necessário este tratamento condescendente e paternalista. Assim, muitos homens podem até mesmo pensar que agir dessa forma os faz melhores, mais humanos, coerentes e sensíveis.

A verdade é que a maioria dos estudos não encontrou diferenças significativas entre homens e mulheres no desempenho intelectual. Então, na maioria dos campos, para não dizer em todos, esta posição não se sustentaria.

Educacional

Um último exemplo de comportamento relacionado com o mansplaining é, talvez, o mais típico. Estas pessoas costumam considerar a si mesmas mais entendidas que as mulheres em qualquer assunto, inclusive em temas que podem ser mais próximos da mulher, como a gravidez ou a amamentação.

Homem praticando mansplaining

Definitivamente, por trás da maioria destes comportamentos de mansplaining encontra-se uma atitude machista. Isso porque eles partem de uma concepção desvalorizada da pessoa só pelo fato dela ser mulher. Essa concepção, em muitos casos, se manifesta no trato de forma sutil; de fato, é tão sutil que é muito complicado identificar se não há uma reflexão consciente sobre ela.