Manter a concentração em uma época com muitas distrações

dezembro 11, 2018

Vivemos em um mundo globalizado, onde as demandas são constantes e nos exigem eficiência e rapidez. Temos prazos cada vez mais apertados e menos tempo para usá-lo como queremos. Assim, muitas vezes é inevitável que não consigamos manter a concentração e que as nossas atividades se sobreponham.

Como consequência, para economizar tempo, a nossa mente tenta se ocupar com mais de uma tarefa de cada vez. Esse modo de trabalhar geralmente acaba em desastre, já que a quantidade de estímulos relevantes também aumenta. Dessa forma, ficamos muito cansados e perdemos a concentração.

Neste artigo veremos quais são as distrações mais comuns que enfrentamos, bem como algumas maneiras de controlá-las. Dessa forma, não permitiremos, por exemplo, que tarefas que não vamos realizar imediatamente nos perturbem. Nesse sentido, não são apenas os estímulos externos que podem nos distrair, mas também os pensamentos intrusivos, muitas vezes na forma de preocupações que não têm nada a ver com o que estamos fazendo.

Por que nos distraímos?

Perdemos a concentração porque de alguma forma estamos programados para isso. O nosso cérebro, em sua caixa de estratégias, tem muitas formas de defesa que envolvem a concentração.

Mulher preocupada

Uma questão muito importante tem a ver com a dor: normalmente desviamos a nossa atenção daquilo que nos faz mal ou nos magoou para não sofrermos. É uma habilidade sobre a qual podemos agir: geralmente as pessoas decidem se afastar daquilo que as machuca, procurando uma rota de fuga. Esse sofrimento pode ser psicológico ou físico: procurar uma atividade para evitar assaltar a geladeira também é uma forma de distração.

Olhando por essa perspectiva, as distrações são positivas ou, pelo menos, podem jogar a nosso favor. No entanto, a imagem mental que formamos quando falamos de distrações é negativa. Isso ocorre porque a falta de concentração em muitos casos nos deixa mais lentos e prejudica a execução das tarefas. Muitas vezes o problema é que perdemos o controle sobre a nossa atenção e deixamos que o ambiente ou os pensamentos aleatórios nos dirijam.

O que nos distrai?

Há distrações tão antigas quanto o ser humano, outras são uma consequência do estilo de vida moderno. Podemos nos distrair com o voo de uma mosca ou com a luz intermitente do nosso telefone. Também é importante entender que existem patologias que afetam diretamente a atenção, embora aqui nos concentremos em questões que podemos resolver sem a necessidade de tratamentos médicos.

Nem todos são igualmente suscetíveis a distrações, mas muitos concordam que, após a chegada das novas tecnologias, a nossa maneira de nos relacionarmos com o ambiente mudou. Atualmente controlamos a nossa vida em dois planos: o físico e o virtual. O problema diretamente relacionado à existência dessas duas vidas é que não deixamos de ser um único indivíduo.

O tempo que temos hoje é o mesmo que tínhamos há 100 anos. De fato, de acordo com um estudo da plataforma Udemy, 36% dos membros da “Geração Y” e da “Geração Z” dizem que gastam 2 horas ou mais por dia usando seus telefones e realizando as suas atividades pessoais com eles. Essas duas horas, há 100 anos, poderiam significar um tempo de descanso, um pouco de leitura ou uma caminhada no parque. Uma vez que isso seja entendido, será mais fácil colocar em prática alguns exercícios de concentração.

O que podemos fazer para manter a concentração?

Estes são alguns dos exercícios que você pode fazer para manter a concentração:

  • Estabeleça prioridades: nem o trabalho, nem a família e nem o seu perfil no Facebook são tudo na sua vida. Escolha o que é e o que não é importante para você. Deixe de lado o que não é fundamental na sua vida.
  • Entenda que o lazer é necessário: não somos máquinas. Precisamos descansar, comer e socializar. Para colocar isso em prática, anote na sua agenda não apenas as tarefas que você precisa realizar no trabalho, mas também os passeios, o tempo de leitura e um café com os amigos. Se você considera tudo isso importante, por que não está na sua agenda?
  • Desconecte-se: ​​Como vimos, a nossa vida virtual diminui a vida presencial. Se você está preocupado com o uso das redes sociais, reserve uma hora do dia para isso, com um tempo limitado.
  • Faça uma tarefa de cada vez: tentaram nos convencer de que a multitarefa é para todos, mas se você não consegue manter a sua concentração em duas coisas ao mesmo tempo, talvez não seja a melhor estratégia. Tente completar as atividades que você inicia, uma por uma.
  • Estabeleça desafios possíveis: não tente ser quem você não é. Se você sabe que não é capaz de terminar uma tarefa em duas horas, não se engane, tente se dar o tempo de que você realmente precisa.
Mulher feliz em paisagem natural

A distração é uma coisa natural que não deve nos preocupar em excesso. Se não é a consequência de uma patologia, é importante controlá-la, mas também aceitá-la.

O nosso cérebro não está programado para estar ativo e com alto rendimento sempre que precisamos dele. Precisamos aprender a interpretar o que nosso corpo pede. Faça uma pausa, coma de forma saudável, faça exercícios físicos. Tudo isso terá um efeito positivo na sua capacidade de manter a concentração.