5 benefícios de manter uma atitude positiva diante de uma doença

· outubro 17, 2018

Manter uma atitude positiva diante de uma doença pode melhorar o prognóstico de forma notável, atenuar os sintomas da doença e até mesmo servir de aprendizado de vida. Quando uma doença é grave, podemos chegar a sentir que o nosso mundo caiu. A primeira reação costuma ser: “Por que comigo?”

Talvez não tenhamos experiência com esta sensação e, quando ela aparece, pode ser muito difícil lidar com ela. Talvez nos sintamos muito vulneráveis e fracos diante da notícia, fazendo a nós mesmos perguntas que antes costumávamos ignorar e procurando esperança nos lugares mais inusitados. Estes estados emocionais podem esgotar nossas reservas de energia, diminuir nossa autoestima ou prejudicar o sono.

Manter uma atitude positiva é benéfico em qualquer aspecto da vida. No caso de ter que enfrentar uma doença grave, então, é algo que se torna imprescindível.

O diagnóstico da doença e o processo emocional

A verdade é que por trás de toda doença há sofrimento, um sofrimento que demanda saber lidar bem com as emoções. São momentos nos quais escolher uma estratégia de enfrentamento adequada pode fazer a diferença entre a cura, a cronicidade ou a complicação da própria doença. Além de influenciar de forma significativa a qualidade de vida.

No geral, manter uma atitude positiva diante de uma doença oferece inúmeros benefícios físicos, cognitivos, emocionais e sociais. Assim, um ambiente relaxado favorece o prognóstico.

Aqueles doentes que não aceitam o diagnóstico costumam sofrer muito mais. Simplesmente porque, na vida, é indispensável encontrar uma harmonia emocional.

Homem preocupado com doença

5 benefícios de manter uma atitude positiva diante de uma doença

A seguir, vamos ver alguns dos benefícios de manter uma atitude positiva diante de uma doença. Manter uma atitude otimista é fácil quando a dinâmica que nos cerca também é; no entanto, o assunto se complica quando a sorte se transforma em nossa inimiga e nada parece sair como queremos.

Nos torna mais fortes

A quantidade de problemas, tanto para aqueles que pensam de forma positiva quanto de forma negativa, costuma ser muito parecida. No entanto, o que facilita um pensamento positivo é a solução destes problemas, concentrando o processo de busca de soluções na pessoa. Esta é uma orientação que nos torna cada vez mais fortes, mais resistentes diante das dificuldades.

Objetivo: manter uma atitude positiva

É recomendável integrar em nossa rotina tarefas que nos ajudem a manter o otimismo. Escrever um diário, criar um blog, encher nosso espaço de vida ouvindo música ou entrando em contato com pessoas que passaram por situações similares faz com que a paleta de emoções não fique restrita às de valores negativos.

Aceitar a situação

A aceitação da doença gera um ponto de partida. Somente a partir dela podemos começar a trabalhar para melhorar. Se não, de que adianta fazer exercícios ou tomar medicamentos se não entendemos que existe um problema sobre o qual devemos intervir?

Por outro lado, a aceitação não tem nada a ver com o catastrofismo praticado por alguns.
Trata-se de aceitar o que existe, não de antecipar acontecimentos negativos que não necessariamente têm motivo para acontecer.

Mulher sorrindo em cama de hospital apesar de doença

Ajuda a resolver um processo vital

Embora pareça contraditório, a presença de uma doença é uma grande oportunidade para separar o importante do que não é. Absortos e enganados por um ritmo acelerado, frequentemente superficial, a doença pode servir de peneira para a realidade vivida pela pessoa.

Mudam os valores da vida

Os valores se sustentam e sustentam princípios e prioridades que nos ajudam a tomar decisões. Nesse sentido, os eventos traumáticos, crises pessoais ou doenças podem nos levar a repensar nosso fator existencial.

Em uma pesquisa realizada pela Universidade de Almeria, na Espanha, no ano de 2016, o objetivo consistia em identificar a possível mudança nos valores pessoais diante do diagnóstico de uma doença grave. A pesquisa concluiu que 87% dos pacientes manifestaram uma mudança na prioridade de seus valores, dando maior importância para as relações pessoais, para a família, a diversão e o bem-estar. Também demonstraram maiores índices de assertividade, empatia e dedicação.