Minhas feridas foram causadas pelo seu abandono

Minhas feridas pelo seu abandono

24, novembro 2016 em Emoções 2536 Compartilhados
Minhas feridas pelo seu abandono

Uma das minhas primeiras memórias da infância é sua imagem saindo pela porta para nunca mais voltar. O som da porta batendo ainda me faz estremecer, me marcou para a vida, você não sabe quão profundas são minhas feridas devido ao seu abandono, papai.

Quando seu pai desaparece para não voltar mais, quando ninguém explica o que está acontecendo porque pensam que você é muito pequeno para entender ou estão apenas tentando protegê-lo, é aí que você acaba ainda mais machucado. Isso é assim porque cabe a você mesmo pintar sobre a realidade as razões que consegue ler entre as linhas, com todos os seus fantasmas.

E essas razões são as que mais mal poderiam fazer e as que marcam seus vínculos futuros com outros homens, com os seus parceiros, porque a culpa de terem indo embora, para você, é sua. Você foi uma menina má e não merece o seu pai ao seu lado. Você não entende de problemas no relacionamento, mas sim de castigos que indicam o quão ruim você foi, e perder o seu pai é um castigo.

menina-triste-com-balao-de-coracao

Seu abandono me trouxe culpa

Esse pai ausente, que a deixou por vontade própria, cria lacunas emocionais que você tenta preencher com a culpa, porque se você tivesse sido boa, ele não teria ido embora. Se você tivesse sido boa, teria merecido um pai do seu lado.

Você perdeu seu valor porque foi uma filha ruim e por isso ele foi embora. Não há nenhuma razão, ninguém lhe deu uma outra opção para pensar o contrário. Você é uma menina, e, como tal, nesse egocentrismo próprio do desenvolvimento de uma criança, pensa que realmente tudo está sob seu controle, tudo tem uma razão e tudo está relacionado a você.

Quando você é uma criança, acha que as coisas ruins que acontecem com os personagens das histórias são nada mais que o resultado da sua própria maldade. Essa é a moral, por isso a culpa é a emoção que melhor explica o que você sente diante do abandono de um pai. Por isso você se sente mal, porque você não conhece outra maneira de entender esse vazio emocional.

O abandono precoce afeta seus relacionamentos futuros

A ausência emocional é um vazio que marca e que é impossível disfarçar. Um vazio que se torna medo de que no futuro isso aconteça novamente. Um vazio que faz com que você veja todos os homens e pense que são iguais a aquele que foi embora e deveria ter cuidado de você.

menina-abrindo-a-caixa-de-pandora

Esse vazio emocional do abandono também faz com que você questione o seu próprio valor, com que sua autoestima já cresça com um fardo, com uma pedra que impede que você se ame. Porque ao experimentar o abandono em uma idade tão precoce, seu próprio valor se baseia na vontade dos outros de estarem ao seu lado.

Daí vem o seu estilo de apego. Seus relacionamentos são marcadas pelo medo e pela solidão, que ficam marcados como molas que fazem com que você não deixe ninguém se aproximar. Você se torna emocionalmente inacessível apenas para tentar se proteger, de tal modo que a sua maneira de se relacionar segue um padrão:

  • Primeiro você é fria e distante para evitar ser vulnerável diante dos outros: se não a conhecem, não podem machucá-la.
  • Então, se são capazes de conhecê-la, você começa a se distanciar, não necessariamente de maneira consciente, mas sim como uma forma de autoproteção. Se não houver nenhum vínculo emocional, não pode haver dano.
  • Isso faz com que seus medos sejam reforçados, porque a sua profecia se cumpre, todo mundo a abandona e quando você se sente mais sozinha, acha que o mundo é um lugar hostil.
  • Tudo isso faz com que sua autoestima diminua ainda mais, já que a razão para que todos a abandonem é que você não os merece: é o mesmo que aconteceu com seu pai, você não merece o carinho de ninguém.

coracao-amor-proprio

Superar o abandono é um passo de maturidade emocional

Superar o abandono é um passo que, quando superado, sempre traz uma maturidade emocional. Significa construir de novo, cimentar sua autoestima e sua maneira de se relacionar, começando por se amar e se aceitar, mesmo que tenha sido abandonada.

Significa aceitar a dor da ausência e compreender que as relações amorosas são quebradas, sem que exista um culpado específico, mas sim porque o amor acaba e isso às vezes dói. Precisamente por isso é difícil dar amor ao fruto de um relacionamento quebrado.

Também significa muitas vezes a aprendizagem de novas formas de relacionamento social e emocional, onde a aquisição de habilidades sociais lhe permita ser acessível sem ser dependente.

Por fim, superar os sentimentos negativos que a separação dos pais pode acarretar evita que você esteja condenada a repeti-la. O fato de entendê-la como um processo natural e necessário fará com que você se sinta livre dentro dos casais que pode formar, e com que essa memória não seja transformada necessariamente em um foco de ansiedade contaminante.

Recomendados para você